O porteiro se aproveitou do meu tesão

O porteiro safado se aproveitou do meu tesão pra gozar em mim contos eróticos

porteiro safado comendo novinha

Eu adoro conversar com os porteiros do meu prédio. É incrível como apenas minutos de conversa e gentileza na portaria pode abrir portas em algumas vantagens no condomínio. 

Eu trabalho e estudo a semana inteira, então na maioria das vezes as encomendas grandes precisam chegar nos finais de semana; o que é extremamente proibido no condomínio. 

Mas graças a minha simpatia consigo essas colheres de chá com uns amigos da portaria sempre que preciso. De vez em quando rola até uma mão amiga pra carregar caixas imensas e pesadas até minha casa. 

Na maioria das vezes quem me ajuda com esse tipo de carregamento é o Leozinho, o mais velho da turma na portaria e o que mais desenrola as coisas pra mim. 

Pra agradecer eu sempre o ofereço um cafezinho ou um suco com lanche depois que a gente chega em casa e ele sempre aceita. Por um tempo considerável a gente conversa e só depois Leozinho vai embora. 

Ele é bem mais velho que eu, mas é bem charmoso e consegue me deixar constrangida de vergonha quando quer. Sempre muito atencioso comigo aparece sempre pra saber como estou ou se preciso de algo. 

Leozinho sabe a hora que saio de casa e quando chego. Eu não sou de dar em cima de homem casado, mas também não sou de ferro, e essa atenção especial que ele dava pra mim acabou despertando uns desejos promíscuos em mim. Até então nunca tinha deixado transparecer um sentimento por ele além da amizade. 

Mas durante a noite, na minha intimidade, me pegava sempre me masturbando enquanto imaginava como seria um transa com ele. Sempre antes de dormir eu usava meu vibrador e enfiava até o fundo imaginando que era aquela piroca imensa que eu via fazendo volume na sua farda de trabalho. 

O peso na consciência aparecia logo depois de gozar, mas até lá eu me esbaldava tanto que encharcava minha calcinha com meu melzinho de pepeca. 

Apesar disso, nosso relacionamento tem muita confiança e respeito, tanto que quando preciso até o deixo livre pela casa enquanto tomo banho. Foi em uma dessas vezes que não aguentei e resolvi experimentar passar por ele de toalha logo após um banho e tudo aconteceu. Dentro de casa e de portas trancadas não havia nada que pudesse impedir aquele beijo. 

Fui ouriçada atrás de pica e tomei

Fui até ele de toalha fingindo que tinha esquecido o sabonete na área de serviço e nos esbarramos na cozinha. Ficar quase nua na sua frente era o máximo de sinal que eu tinha coragem de deixar pra ele. Desse jeito ele me beijou, me apertando contra seu corpo tão forte que me tirava do chão. 

O porteiro Leo se aproveitava pra passar a mão no meu corpo que estava protegido apenas pela minha toalha. Ele forçava pra tirar e me deixar completamente nua, mas eu tentava segurar; em comparação de força ele com certeza ganhou e eu fiquei ali toda despida beijando o porteiro safado. Eu ia sentindo seu pau endurecer encostando na minha virilha, quanto mais duro ficava mais eu sentia ele se esfregando em mim. 

Suas mãos logo foram descendo procurando meu rabo, não demorou muito pra que alcançasse meu cuzinho e logo senti seus dedos dedando meu buraquinho. O porteiro mamava meus peitos enquanto me acariciava, ele sugava os biquinho tentando engolir o máximo que podia de mim. 

O zíper da sua calça parecia quebrado, eu via a cor da sua cueca e o volume que seu pau estava fazendo ali bem nitidamente, parecia que a qualquer momento sua jeba iria pular pra fora. 

Aquela altura eu não tinha mais reação; eu não tinha certeza se queria continuar ou terminar com aquilo porque era muito errado. Enquanto milhares de coisas passavam pela minha cabeça eu continuava a deixar o porteiro se aproveitar de mim. 

Ele me chupava ouriçado pra sentir o gosto de cada parte do meu corpo. Os biquinhos das minhas tetas já estavam bem vermelhinhos de tanto que ele tinha mordido e sugado. 

Então não demorou muito pra que ele fosse descendo até chegar na minha pepeca. Quando sua boca alcançou meu grelinho e senti ele sugando de vez meu corpo todo estremeceu; fiquei sem forças pra continuar em pé e fui descendo sentindo meu corpo todo tremer. Leozinho rapidinho foi me guiando até o quarto se aproveitando daquilo e me jogou em cima da cama toda arreganhada. 

Sua língua parecia ter ímã pra minha pepeca e sugava tão gostosinho que me fazia gozar e logo estar sedenta pra receber sua linguada de novo. Me deixando extremamente molhada ele resolveu entrar em mim, uma pica grossa e veiuda teve que entrar bem devagarinho pra não me arregaçar. 

Quando estava mais acostumada com ele dentro de mim fui sentindo ele entrar e sair um pouco mais rápido e forte. Suas bolas batiam na minha bunda e pelo barulho era capaz até de o vizinho estar ouvindo as estocadas. Era tanto tesão acumulado que liberei tudo pro meu porteiro. 

Eu mal conseguia controlar meus gemidos e parecia uma prostituta cavalgando. Involuntariamente minha buceta apertava seu pau por dentro de mim, eu não sabia como parar com aquilo. Mais uma vez eu gozei, mas dessa vez foi com o pau dele atolado dentro de mim e seus dedos cutucando meu cuzinho. 

Logo em seguida meu porteiro safado também gozou, ele direcionou sua porra nos meus peitos e na minha boca; queria que eu limpasse seu leitinho e eu limpei. Fui pro banho com o velho safado pra tirar aquele cheiro de sexo, mas a gente estava tão cansado que não tivemos uma segunda rodada ali dentro. 

Antes dele ir embora eu ainda o beijei como se estivesse me despedindo do meu macho antes do trabalho. Agora falta coragem para cumprimentá-lo novamente na portaria, mas sobra desejo de ter ele dentro de mim outra vez. 

By - Sheillaxv

Comentários