Acordei com ele me chupando

Acordei com ele me chupando gostoso contos

contos eróticos dormindo
Acordei sendo chupada 

Meu pai sempre teve uma mania de trazer seus amigos para dormir em casa. Por causa disso sempre tinha um fluxo de gente que eu mal conhecia passeando por aqui. Alguns eu até conhecia, mas outros eu não fazia ideia de que buraco havia saído, mas tinha sempre que ser a boa moça e servi-los quando bem quisessem. 

A parte boa nisso é que graças a esse fetiche do meu pai sempre fiz muito amigos, principalmente quando traziam as famílias para cá. Foi nesses rolês que conheci o Junior, ele era rodoviário, mas bem novinho; tinha acabado de entrar pro serviço. 

No dia ele estava de viagem marcada e como morava longe teria de ficar no alojamento, mas meu pai sempre muito gentil convenceu que a melhor opção era ele ir pra nossa casa passar a noite e acordar descansado para viajar no dia seguinte. 

Eu arrumei toda a casa nesse dia, deixei um brinco de tão limpa; estava já nos retoques finais quando o Junior apareceu no portão com meu pai. Eu usava uma blusa bem mulambo que mal segurava minhas tetas, meu short rasgado e sujo tava quase no meio da bunda de tão folgado. 

Junior me viu naquele estado e me encarou por uns segundos antes do meu pai me escarrerar pra ir tomar um banho e me ajeitar. Já cheirosa e bem ninfetinha fui cumprimentar o rapaz que iria dormir aquela noite com a gente. 

Um abraço e um beijo na bochecha foi o máximo de interação que tivemos na frente dos meus pais. Não podia passar a mão, mas com certeza as trocadas de olhares diziam muita coisa. Ele tinha um olhar de libido, parecia um animal no cio rodeando uma fêmea pra comer. 

A casa pequena e apertadinha era o disfarce para que toda vez que aquele homem passasse roçando em mim ele usasse isso como desculpa. Minha mãe logo se ocupou na cozinha para preparar algo gostoso pra janta e meu pai teve de sair pra pegar o carro no lava jato, coube a mim o papel de fazer sala pra ele; e eu fiz com muito gosto. 

Eu escutava a cada minuto o quanto era bonita e o quanto tava cheirosa, para não ficar por baixo e parecer inocente demais até me ofereci para cheirar mais de perto. Tava sentindo o nariz dele no meu cangote quando escutamos o barulho do portão abrindo, era meu pai chegando e estragando a brincadeirinha.

Na madrugada fui acordada pra trepar 

Quando a noite caiu, e a hora de dormir chegou, fiquei com aquele homem na cabeça; eu tava doida pra fazer algo a mais com ele, mas até então tive de me contentar com uma siririca pensando na cheirada que ele tinha me dado mais cedo. 

Acabei dormindo logo em seguida, durmo fácil depois de gozar. Acordei um pouco mais tarde com uma sensação diferente, eu ainda estava bem sonolenta, mas sentia um melado diferente na minha buceta. 

Algo estava acariciando meu grelinho com vontade e deixando bem meladinho, tava gostoso e eu ainda não tinha forças para abrir os olhos direito. Aquilo durou uns minutinhos até o sono foi passando e fui me dando conta que aquilo não era um sonho, tinha alguém entre minhas pernas com a cara atolada na minha pepeca. Tudo tava bem escuro, eu só conseguia escutar o barulhinho das chupadas. 

Eu sabia que era o Junior e o quanto aquilo era perigoso e fui tentando afastar sua cara de mim pra gente conversar, mas não tinha papo, ele se recusava sair dali e a cada momento ia ficando mais gostoso ainda. 

Acordei com ele me chupando e tirando meu melzinho de dentro de mim isso me deixou tão atordoada que não sabia mais o que fazer, então fui me deixando levar até ao ponto estar completamente nua pra ele. 

Ele me chupava e eu tentava controlar os gemidos pra não acordar meus pais, meu grelinho era sugado todo pra dentro da sua boca e ele me torturava me linguando daquele jeito. 

Junior chupava com tanta sede que parecia querer me deixar seca, eu tava quase gozando na sua boca quando ele parou de vez e veio subindo dando chupões pela minha barriga até chegar nos meus peitos. 

Bem devagarinho ele ia passando a mão e me sentindo nele, meus peitinhos foram chupados até ficarem durinhos de tesão. Segurei no seu pau pra sentir ele na minha mão e percebi a dureza daquela jeba. 

Tava tão duro que colava na sua barriga e pulsava soltando uma babinha. Logo ele veio pra cima de mim abrindo minhas pernas e colocando aquele mastro na minha entrada. 

Bem devagarinho ele foi metendo pra dentro de mim. Eu sentia cada centímetro do seu pau me invadindo, minha buceta apertadinha engolia ele num fogo que até me assustava. Quando o ritmo das estocadas dele dentro de mim aumentaram tive medo de acordar alguém e pedia o tempo inteiro pra ir devagar. 

Minha cama fazia barulhos cada vez mais altos então implorei para que parasse, ele me atendeu; me levantou cravada no seu pau e me colocou no chão gelado sem tirar o pau de dentro de mim. 

Agora eu não tinha mais porque reclamar e teria de aguentar até o final. O barulho das bolas dele batendo na minha bunda era tão gostosinho que me fazia molhar mais ainda seu pau. 

Logo senti minhas pernas ficarem trêmulas e minha pepeca anunciar que iria gozar; meu grelinho ficou durinho e bem sensível e do nada um espasmo intenso me fez amolecer. Gozei enquanto o rodoviário safado me penetrava, logo em seguida ele também gozou e veio pra cima de mim pra despejar seu líquido na minha boca. 

Aceitei sem relutar muito engolir seu leite, bastante porra desceu pela minha garganta e uma boa parte escorreu pelas minhas tetas. Satisfeita e bem cansada fiquei jogada no chão esperando minhas forças voltarem pra eu me levantar e voltar pra cama. 

Acordei bem tarde no dia seguinte, só aguentei levantar da cama umas 10 horas, quando saí ele já tinha ido embora; mas felizmente meu pai (o fornecedor)  faria a gente se reencontrar bem rapidinho. 

By - Sheillaxv

Comentários