Esfregando a pepeca com a amiga

Minha pepeca gulosa roçou na minha melhor amiga contos eróticos

lésbicas roçando buceta
Roçando na pepeca da amiga contos eróticos

Eu a conheci no meu primeiro dia de faculdade, e desde então somos amigas inseparáveis. Apesar de ser algo recente temos uma conexão inexplicável. Trabalhamos juntas e estudamos juntas também, acho que por isso rolou uma curiosidade aleatória. 

Eu já tinha me relacionado sexualmente com mulheres e ela sabia disso, e vivia me fazendo milhares de perguntas sobre qual era a sensação de trepar com uma mulher. Por brincadeiras de momento ela me falava coisas que se fosse outra pessoa eu levaria a sério, mas por diversas vezes desconversei e comecei outro assunto. 

O foda é que faz poucos dias que eu não aguentei a pressão da curiosidade dela e o que eu temia acabou acontecendo. Era pra ser só um beijinho de brincadeira num cantinho escuro do meu quarto, mas ela é tão  quente e tem uns lábios tão deliciosos que a beijei tempo suficiente pra ficar com a pepeca piscando de tesão. 

Não tive forças para parar de beijá-la e esperei que ela interrompesse aquilo, mas ela também não fez, então continuamos. O filme que tínhamos planejado assistir ficou rolando na sala sozinho enquanto a gente estava no quarto atrás da porta explorando nossos corpos um no outro. As batidas no peito dela eram tão altas que eu conseguia ouvir nitidamente. 

O beijo era tão intenso que nem os olhos eu conseguia abrir direito. Da sua boca fui descendo meus beijos até chegar em seus peitos para saber até onde poderia ir. Não tinha regra nem limites; ela queria fazer e eu também então continuamos. Naquele momento eu era aquela mesma criança que se escondia nos becos e vielas da minha rua pra dar uns chupadinhas escondida

Não demorou muito pros seios dela estarem na minha boca, era as mesmas tetas que viviam aparecendo nos meus sonhos promíscuos, mamei faminta aquele par delicioso de tetas torcendo pra que um dia meu namorado me perdoasse por isso. Eu lembrava do rosto dele e logo batia culpa e vontade de parar de fazer aquilo, mas logo eu escutava o  gemidinho dela no meu ouvido pedindo pra fazer mais então não aguentava. 

Estávamos sozinhas em casa, mas eu tranquei a porta do quarto por garantia, se alguém chegasse em casa do nada e nos flagrasse fazendo aquilo eu morreria de culpa. Grudadinha na minha melhor amiga fui indo em direção a minha cama. Aos poucos cada peça de nossas roupas foi ganhando um caminho diferente e logo tive a visão daquele corpo delicioso me esperando. 

Eu ainda estava tremendo; era tesão misturado com medo. Aquela altura eu só queria chupar tanto sua pepeca a ponto de sugar todo o seu melzinho, mas eu também sentia medo de ser pega e acabar com todo meu relacionamento até então saudável com meu namorado. Com tudo isso na cabeça eu apenas continuei. 

Essa maldita tem um cheio incrível, quando comecei a beijar seus lábios não aguentei me manter apenas lá e quando me dei conta estava com a cara no meio das suas pernas sentindo o gostinho da sua buceta. O grelinho duro apontado pra mim todo babadinho fazia minha buceta piscar sem nem ser tocada. 

Meu melzinho estava escorrendo pelas minhas pernas enquanto seu grelinho estava todo sendo sugado pela minha boca. Escutei alguém me chamando pelo portão e tocando a campainha, mas eu não consegui parar para atender. O cheiro dela me hipnotizou e eu fiquei, ignorei os chamados e me mantive sentindo seu gosto. 

Ela se colocou em cima de mim e nossas bucetas inchadinhas roçaram sem muita dificuldade, eu sentia o grelinho dela tocando no meu quase me fazendo explodir de tesão. Escorria um pouquinho de gozo pelo meu cu e dava pra sentir, não aguentei e fechei meus olhos para aproveitar mais ainda daquela sensação e senti os dedos dela invadindo minha pepeca. 

Foi nesse momento que desfaleci, perdi totalmente o controle do meu corpo e apenas deixei que o tesão me guiasse. Ela enfiava os dedos bem lá no fundo e não parava de meter até me ouvir soltar um gemidinho. Ela parecia gostar da tortura e me olhava com uma carinha de cadela no cio se aproveitando daquilo. 

Quando estava prestes a gozar senti que também era o momento dela e me segurei, queria ter certeza que faríamos aquilo juntas, e então veio de vez. Atraquei minha boca em seus peitos e cravei meus dedos em seu cuzinho tentando aproveitar ao máximo cada buraco dela. 

Não demorou muito e minha pepeca contraiu todinha junto com a dela quase gozando, a gente piscava ao mesmo tempo e eu sentia a buceta dela latejar enquanto me tocava. Ela tentava abafar os gemidos, mas era incontrolável. Sua bucetinha apertava meus dedos lá dentro e eu sentia ela tentando sugá-los com bastante fome. Então depois de gozarmos juntas; o tesão foi passando e não tivemos coragem de olhar uma para cara da outra. 

Completamente melada ela se deitou ao meu lado bem cansada, e por alguns instantes acho que a gente dormiu. Quando abri os olhos assustada minha amiga já tinha se levantado e corrido até ao banheiro pra se limpar. Logo depois ela foi embora sem dizer uma palavra, já faz uns dias que isso aconteceu e apesar de querer repetir a dose ainda sinto vergonha pelo acontecimento. 

By - Sheillaxv 

Comentários