Era só a cabecinha

Era pra meter só a cabecinha e foi tudão

novinha safada
Era pra meter a cabecinha e foi tudo

Eu tenho trabalho no almoxarifado esses tempos para complementar a renda. Eu não queria trabalhar lá, mas era a única opção perto de casa. O fato de só ter homens naquele lugar me causou um pouco de receio em ir, mas precisava do dinheiro então não tive outra escolha. Meus colegas em geral até que são tranquilos, mas meu gerente é quem mais me causa arrepios. 

Ele tem um jeito estranho de falar com a pessoa, sempre com muito toque ele olha de um jeito que até deixa o outro desconfortável. Recentemente fui pedir ao gerente uma troca de horários por causa do meu dentista, e com muita luta consegui. Por incrível que pareça isso nos aproximou e começamos a conversar mais durante o serviço. 

Ele tirava a aliança quando vinha falar comigo, sempre dizia que tava apertado e então colocava no bolso. Meu gerente chegava tão pertinho de mim para falar algo que eu chegava a sentir o cheiro do seu perfume bem forte. Outro dia fui trabalhar de tarde depois de sair da faculdade e como estava atrasada não pude ir pra casa trocar de roupa, tive que ir de vestidinho mesmo e pedir desculpa lá no serviço. 

Nesse dia fiquei na sala do meu gerente pois não conseguiria pegar as caixas, mas precisava bater o ponto, sentei bem na frente dele e pude sentir seu desconforto me vendo naquela roupa. Eu podia jurar que ele conseguia ver minha calcinha do jeito que eu estava sentada, mas tinha vergonha demais pra me levantar e me ajeitar. 

Meu capozinho de fusca desprotegido atiçou ele, percebi suas mão forçando em cima do seu colo tentando disfarçar o volume da sua calça. Achei que ele se controlaria até o final do dia, mas ele me chamou pra sentar ao seu lado e ensinar a mexer numa configuração no computador. Quando me sentei ali tudo começou, meu gerente casado e safado olhava pra mim como uma animal prestes a abater sua presa. 

Senti a mão dele no meu pescoço procurando uma forma de me fazer submissa, então ele me beijou. Ele sugava meus lábios e tateava sua outra mão pelo meu corpo. Meu vestidinho frágil não suportava impedir seu toques e logo já estava com as tetas sendo protegidas apenas pelo meu sutiã. 

Ele me fazia ver o tempo inteiro seu pau duro por cima da calça, e sem aguentar se segurar ele colocou aquilo pra fora. Sua jeba saltou de vez como se quisesse fugir dali, veiudo e bem grosso fiquei hipnotizada por ele. Não tive reação quando vi sua piroca, fiquei estática sem conseguir me mexer ou falar algo, até que ele veio e se aproveitou das minhas tetas pra fora e começou a me chupar. 

Ele sugava meu peitinho e mordia os biquinhos com força, me puxando pra cima dele me fez sentar de pernas abertas no seu colo. Eu queria me levantar e pelo menos trancar a porta para não sermos pegos, mas ele não deixou. Sua pica encostando no meu grelinho me fazia ter uns choquinhos de medo e tesão. Ele explorava minha buceta com seus dedos enquanto chupava meus peitos, ele entrava em mim e movimentava lá dentro me fazendo tremer em seu colo. 

Ele me bolinava e eu não conseguia fazer nada contra isso, e nem sei se realmente queria que parasse, no fundo tava gostosinho e eu queria continuar. Não demorou muito pro meu gerente começar a roçar a cabecinha da sua pica no meu grelinho, eu tava molhadinha aquela altura então ele deslizava gostoso na minha pepeca. 

Quando sua piroca alcançava minha entradinha e ameaçava entrar em mim eu recuava pra não deixar ele meter ali. Então ele chegava bem pertinho do meu ouvido e pedia pra meter só a cabecinha dentro de mim. Eu tinha medo e não queria deixar, então sentia seus dedos passeando pelo meu cuzinho e entrando por trás de mim. 

Nesse momento fechei os olhos enquanto sentia os dedos dele no meu rabo e sua piroca roçando no meu grelinho. Eu tava prestes a gozar com tudo aquilo quando senti o safado enfiando de vez sua piroca dentro da minha bucetinha. Era grosso e eu ainda não tinha me acostumado com o tamanho, senti dor e parecia que tava me abrindo por dentro. 

Ele ria enquanto olhava pra minha cara de assustada vendo ele me penetrar. Gaguejando eu tentava justificar que ele tinha prometido que era só a cabecinha, mas ele apenas dava risada de mim. Mais uma vez fiquei paralisada e apenas fui colocada em cima de uma mesa toda arreganhada. 

Já completamente nua ele começou a entrar e sair de mim bem rápido, eu senti suas bolas batendo na minha bunda e sua mão segurando forte minhas tetas. Não demorou muito naquela posição pra ele gozar, ele tirou sua jeba de dentro de mim e esporrou todo seu leite em cima do meu grelinho duro. Voltei pra casa nesse dia com muito peso na consciência, mas agora já passou e eu acho que quero roçar só a cabecinha na pepeca de novo. 

By - Sheillaxv

Comentários