Putinha da escola

A putinha da escola contos eróticos

putinha da escola
Contos eróticos: putinha da escola

Eu costumava andar apenas com os meninos da minha turma, eles eram mais legais e sempre tinha jogos divertidos. Na maioria das vezes eu era a única menina do grupo e sempre falavam de mim por causa disso. Os boatos que rolavam era que ou eu era a sapatão novinha ou a putinha da turma. 

Sempre reclamavam comigo por causa disso, meus tios viviam falando que menino não valia nada e que uma hora ou outra passariam a mão em mim, mas eu batia o pé sempre de que eram meus irmãos. Por ser mulher sempre era a café com leite e quase sempre nem se davam ao trabalho de me procurar nos piques ou então me deixavam por último, mas eu estava lá; sempre!. 

Com o tempo, e de acordo com as mudanças que meu corpo estava sofrendo as brincadeiras começaram a se voltar mais para mim. As vezes eu tinha que pagar desafios e na grande maioria das vezes isso incluía deixar alguém ficar me abraçando por trás em algum lugar escondido. Na volta pra casa os desafios continuavam; a gente entrava em casas abandonadas pelo bairro e eu tinha que ir junto em duplas. 

Eu acompanhava os 5 até uma parte escondida das casas e ficava lá por um tempinho; todos eles queriam me abraçar por trás ou passar a mão em mim, mas apenas 2 se atreviam a ir mais adiante. O Alex sempre foi o mais ousado, era o mais velho e o que sempre me beijava quando tinha oportunidade. 

Quando eu tinha que pagar algum desafio ele sempre tentava enfiar sua mão dentro da minha calcinha e quase sempre ele conseguia. Foi com ele que comecei a matar aulas para namorar escondido nos banheiros, a gente entrava e ficava por horas lá dentro com ele tocando minha pepeca e tentando me chupar. 

Ele me fazia prometer que apenas ele poderia beijar minha pepeca e que eu não contaria aquilo pra ninguém pra só ele poder fazer aquilo. Mas um dia a gente foi pego fazendo aquilo, estávamos voltando pra casa e mais uma vez eu tinha um desafio a cumprir. Era a vez do Alex entrar comigo na casa e ele me levou até um quartinho lá dentro, ali ele me beijou e ficou tentando enfiar sua mão dentro da minha calcinha. 

Os meninos entraram quando ele estava com o dedo todo atolado dentro da minha pepeca. Ouriçados em ver aquilo eles me fizeram ficar de pernas abertas até que todos se aproveitassem um pouquinho de mim. Naquele dia chuparam meus peitos e minha bucetinha por horas antes de eu voltar pra casa. 

No dia seguinte, quase todos os meninos da escola estavam sabendo o que eu havia feito. O Alex, sempre querendo ser o primeiro entre eles me chamava sempre pro banheiro e tirava minha roupa. Completamente pelada ali dentro ele se abaixava entre minhas pernas e colocava seu rosto no meio da minha bucetinha. 

Eu sentia sua língua sugando meu grelinho e minha pepeca deixando ele todo molhado, era gostoso sentir aquilo e ficava mais ainda quando eu via seu pau duro por cima da calça. Quando parava de me chupar ele colocava sua pica pra fora e roçava a cabecinha em cima do meu grelinho, eu sentia a cabeça do seu pau latejando na minha buceta. 

Sua respiração ofegante em cima de mim fazia tudo ser mais gostoso, ele roçava gostoso em mim até sua porra me sujar. Depois ele ia embora e eu ficava ali dentro até dar o tempo de eu sair sem levantar suspeitas. 

Mas não demorou muito tempo pra que outros meninos descobrissem o que a gente tanto fazia no banheiro, e quando descobriram já organizaram um rodízio pra que um de cada vez pudesse entrar lá e roçar em mim também. Aos pouquinhos me fizeram de putinha da escola e eu gostava daquilo; por bastante tempo eu matei aula para ir ao banheiro, uma pena quando nos pegaram no flagra. 

By - Sheillaxv



Comentários