Ele chupou meus peitos

Ele chupou meus peitos contos eróticos

mamando nas tetas

Eu tinha que confessar as besteiras que ando fazendo, sou muito nova pra ter tanto pecado assim nas costas e fui em busca de uma orientação. Minha mãe, evangélica, passa o dia inteiro ajudando na igreja e sempre me convida na tentativa de eu seguir os mesmos passos que ela. Eu sempre neguei, mas ultimamente senti necessidade de participar mais e acabei indo. 

Minha parte preferida foi saber que eu poderia me confessar sem ser julgada, e que eu poderia contar tudo; era justamente o que eu estava precisando. Quando finalmente pedi um momento de confissão minha mãe até se assustou, me olhou como se eu fosse um ET e foi me guiando até um homem que ficaria do outro lado me escutando. 

Achei que seria como nos filmes e que eu não conseguiria vê-lo, mas entramos em uma sala nos fundos da igreja. Ele queria me deixar confortável e longe do movimento e me colocou  ali dentro onde apenas ele poderia escutar meus pecados. Quando comecei a contar as merdas que andava fazendo aquele homem me olhava cada vez mais curioso sobre as coisas, ele pedia detalhes e o que eu sentia quando fazia aquilo. 

Revelei a ele sobre a minha maior fraqueza: o sexo, e ele assustado disse que faria o possível pra tirar aquilo de mim. No final da confissão ele já estava sentado ao meu lado me consolando, eu não estava nem um pouco nervosa, mas ele me abraçava me pedindo calma. Por uns instantes senti a mão dele em cima do meu coração, ele queria sentir minhas batidas e fazer uma oração pra tirar aquele pecado de mim. 

Mas como eu tinha muitos ele teria que fazer aquilo várias vezes até sair tudo. Por uns minutos ele orou por mim com a mãos nos meus peitos, mas era só porque ele tava procurando minhas batidas. Cheguei a pensar que ele tava tentando procurar o biquinho das minhas tetas, mas era impossível um homem como ele fazer isso. 

Minha tarefa pelos próximos dias era ir até ele e confessar meu dia, e no final receber outra oração. Ele marcou um horário especial pra mim no final do dia, a igreja naquele momento estava vazia e apenas eu e ele trancafiados dentro daquela sala. No início eu me confessava e logo depois ele orava por mim. 

Me abraçando por trás ele tirava todo o meu pecado, sua mão apertando forte minha virilha tiraria o demônio do sexo de mim. Eu podia jurar que nesses momentos seu pau ficava duro na minha bunda, mas com certeza era o demônio tentando me confundir. Segurando forte em minha cintura e me apertando contra ele com muita força eu conseguia ouvir sua voz trêmula, parecia gemidos abafados e logo em seguida seu corpo tinha um espasmo forte. 

Ele me apertava tanto que eu conseguia sentir tudo isso, logo depois ele me soltou dizendo que a oração tinha tirado bastante de mim. O único problema de tudo aquilo era que minhas roupas ainda estavam sujas e deveria ser limpas separadas do meu corpo, eu aceitei e logo tava sendo purificada por ele completamente nua. 

Ele ainda me abraçava por trás, mas dessa vez sua mão tocava diretamente na minha pepeca. Ele me prometeu que nesse dia tudo seria mais forte, mas eu teria que vendar meus olhos pra funcionar direito e logo usei minha blusa pra fazer isso. Eu tinha que manter meus olhos fechados e não poderia sentir prazer no que ele faria em mim; deveria me conter e segurar meus demônios. 

Eu poderia jurar que era seu pau roçando na minha pepeca, mas ele me garantiu que não era. Roçando alguma coisa na minha entradinha da buceta senti ao mesmo tempo algo sugando os biquinhos do meu peito. Ele passava a língua na minha teta e dizia que estava me limpando, eu sentia ele morder e puxar com vontade. Estava me excitando muito com tudo aquilo, mas não podia. 

Não aguentei por muito tempo e tirei uma parte da minha blusa dos meus olhos tentando ver o que ele tava fazendo em mim e o peguei com o pau roçando na minha buceta e ele com a boca nos meus peitos. Seu pau envergado pra cima tava tão duro que babava enquanto me esfregava, ele se controlava pra não entrar de vez em mim e quando vi aquilo fiz questão de assustá-lo descendo de vez no seu pau. 

Minha pepeca engoliu sua pica de vez e ele me segurou calado apenas sentindo minha buceta por dentro. O homem não se atreveu a se mexer dentro de mim, ficou parado como uma estátua então comecei a movimentar meu quadril em cima dele. Não sei porque, mas ele ainda tentava me convencer a não tirar a blusa dos meus olhos, tava gostosinho então eu aceitei. 

Eu perguntava se tava ficando livre do pecado só pra perturbar o juízo daquele homem que aquela altura nem conseguia mais falar. Com seu pau ainda dentro de mim ele chupou meus peitos; abocanhou um de cada vez com tanta fome que até machucava os biquinhos, foi nessa última chupadinha que senti um melado bem no fundo da minha buceta. 

Era seu gozo me lavando por dentro, quando ele saiu de dentro continuei sentada enquanto sua porra escorria da minha buceta. Não me movi e esperei ele falar que já podia vestir minha roupa. Talvez aquela tenha sido a última sessão, ainda não tenho certeza, ou talvez eu devesse voltar lá e descobrir se já estou limpa. 

By - Sheillaxv

Comentários