Contos eróticos tio

Meu tio me comeu escondido

contos eroticos
contos eróticos tio

Ele ficava pelado na minha frente, as vezes sentava de pernas abertas e eu via suas bolas balançando pela beirada do short. Minha mãe não ligava muito pra esse jeitão do meu tio, ela achava que eu era nova demais pra reparar nesse tipo de coisa, mas ela não sabia que ele fazia isso justamente pra que eu pudesse ver. 

Quando estávamos em casa sozinhos ele inventava de tomar banho e deixava a porta aberto pra que eu pudesse ver ele se lavando. Ele ensaboava sua piroca dura e punhetava até sair seu leitinho. A porta do banheiro dava bem de cara com a sala e eu conseguia ver tudo enquanto fingia estar assistindo tv. 

Minha pepeca sempre dava sinal de vida quando meu tio fazia aquelas coisas, ela ficava piscando em baixo de mim como se desejasse a qualquer custo passar a cabecinha do seu pau no grelinho. Meu tio sempre dormia lá em casa quando meu pai estava viajando, ele dormia num colchão na sala, mas sempre no meio da noite ia ver como eu tava. 

Acordei uma vez com a sensação de ter feito xixi na cama, um melado gosmento na minha calcinha e meu grelinho bem sensível. Depois de um tempo descobri que era ele quem fazia aquilo. De madrugada ele vinha na ponta dos pés, deixava a tv baixinho pra fingir que estava assistindo e a porta do banheiro ele fechava também pra fingir que estava usando caso alguém aparecesse. 

Depois ele ia pro meu quarto e deixava encostada a porta, vinha até mim e verificava se eu estava dormindo; depois ia descendo até encontrar minha pepeca. Ele me cheirava, dedava minha bucetinha e chupava meu grelinho com uma fome insaciável. Certa vez ele fez em mim ainda quando eu estava acordada, eu estava na sala com a pepeca assada de tanto ele chupar na madrugada e ele percebeu que eu não sentava direito. 

Quando ele perguntou eu respondi que estava daquele jeito porque tinha me assado e ele pediu pra ver. Minha bucetinha estava bem vermelha por causa das suas chupadinhas e quando ele viu aquilo chegou bem pertinho dela e deu um beijinho. Ele ia beijando e perguntando se poderia dar mais e eu sempre concordava então ele continuava. 

A putinha do tio

Depois dos beijinhos sua língua passeou pela minha xota, ele usava sua língua pra procurar meu buraquinho e deixava bem molhadinho. Naquele dia ele parou sem avançar muito em mim, depois das lambidinhas fui ao banheiro me secar e voltei pra assistir. Nos dias seguintes ele sempre inventava algo pra me ver pelada, as vezes tinha desafios e outras ele só pedia pra ver mesmo. 

Um dia ele finalmente colocou sua pica dura na minha frente, eu estava deitada com a cabeça no seu colo quando vi aquele mastro imenso começar a ficar duro. A barraca ficou tão armada que eu tive que levantar, foi aí que ele botou pra fora e me fez segurar nele. Minha boca instintivamente procurou engolir a cabecinha da pica, parecia que eu já sabia o que deveria fazer.  

Eu colocava o máximo dentro da minha boca, passava a língua na cabecinha e chupava suas bolas, uma de cada vez porque não cabia tudo dentro da minha boca. Ele gemia o tempo inteiro, seu pau latejava na minha boca e ele se controlava pra não esporrar tão cedo. 

Depois de mamar meu tio safado ele me fez parar, me colocou sentada e bem arreganhada no sofá e começou a chupar minha buceta. Fiquei molhada com aquilo, meu melzinho escorria enquanto sentia sua língua passeando em mim. Depois de chupar ele parou e encostou o pau dele na minha buceta. 

Ele roçava o pau dele devagar em mim e me olhava com um olhar faminto. Eu senti ele forçando sua entrada em mim, gritei no seu pau quando ele rompeu meu lacre. Mas a dor não durou muito tempo, logo fui relaxando e me abrindo mais pra ele. 

Seu pau de vez em quando saía da minha buceta e procurava meu cuzinho, eu sentia a cabecinha tentando me romper pelo cu também, mas logo ele voltava atrás e enfiava na frente de novo. Por uns instantes minha pepeca apertou seu pau, ele me olhava fazendo aquilo e ria de mim; eu estava gozando no seu pau. Logo em seguida meu tio também esporrou seu líquido, tirou a pica de dentro de mim e mirou nas minhas tetas. Meu tio me comeu escondido e eu gostei disso.

Ele queria me ver suja com sua porra e lambuzou tudo o quanto pode. Depois dessa tarde meu tio continuou me visitando no quarto de madrugada, mas antes ele fazia questão de me acordar pra sentir minha pepeca lambuzando seu pau com meu melzinho de novo. 

By - Contos Eróticos

Comentários