Acordei sendo chupada pelo patrão

Meu patrão me pegou dormindo e gozou dentro de mim contos eróticos

empregada fudendo contos

Eu morava sozinha com meu irmão nessa época, ele arranjava uns bicos pra ganhar um dinheiro de vez em quando, mas não era nada muito firme. Quando terminei o colégio, não conseguia arrumar emprego, e quando as coisas apertaram mais eu resolvi procurar trabalho como empregada doméstica pra ajudar mais em casa. 

A primeira casa que peguei para trabalhar era de uma família com os horários bem corrido, eu passava o dia inteiro praticamente sozinha. O homem da casa não era muito boa pinta, ele não era feio, mas não era lá tudo isso, pelo menos era simpático. Foi o primeiro que fiz amizade; ele não gostava que eu chamasse ele de uma maneira muito formal e rapidinho eu acostumei a chamá-lo pelo apelido.  

Jorginho fazia amizade muito fácil por causa da sua simpatia, as vezes era até difícil distinguir se ele estava sendo gentil ou dando em cima de alguém. Pra evitar confusão decidi considerar qualquer tratamento dele como um carinho comum. Eu já estava há um mês na casa, sua mulher confiava muito em mim. 

Jorginho já passava todo dia em casa pra almoçar e ficava lá até a hora da sua mulher chegar, depois ele voltava pro trabalho. Quando ela chegava ele estava deitado no sofá tirando um soninho, ele falava que minha comida tava deixando ele gordo e preguiçoso; sua mulher só fazia rir acreditando na lorota do marido dela. 

Quando ele começou a ficar mais ousado pra cima de mim tive medo de ter câmeras na casa nos vigiando, eu tentava me esquivar ou ir pra outro cômodo, mas ele sempre ia atrás de mim. Ele pedia pra encostar um pouquinho em mim e só parava de me roçar quando eu ficava quietinha. 

No começo ele aceitava minha timidez e corria atrás de mim por quase todos os cômodos esperando que eu ficasse mais confortável. Mas depois de um tempo acho que ele foi cansando e já tentava me roçar em qualquer lugar. Ele sempre gostava de me encoxar enquanto eu lavava a louça, ele chegava de fininho usando apenas um short folgado sem cueca e encostava seu pau duro na minha bunda. 

Eu sentia um calor atrás de mim e logo em seguida batia um medo absurdo de ser flagrada. Aquilo me assustava, e ele gostava de fazer eu me sentir assim. Quando ele me pegava com força eu não tinha como escapar e ficava ali parada esperando ele terminar, eu sentia tanta vergonha que nem tinha coragem de olhar pra trás. 

Ele só parava depois de gozar, eu sentia seu leite melando a roupa que sua mulher havia comprando pra eu trabalhar. As vezes depois de esporrar em cima da minha roupa ele deixava eu sair mais cedo do trabalho, não sei qual desculpa ele inventava pra mulher, mas sempre funcionava; no dia seguinte ela estava sempre de muito bom humor pro meu lado. 

A patroa viajou e o patrão esvaziou suas bolas em mim contos eróticos

Em um dia sua mulher precisou viajar e me pediu pra ficar uns 2 dias dormindo na casa pra cuidar das coisas. Eu fiquei apreensiva quase dizendo ''não'' sem poder explicar o motivo, mas ela me convenceu com um aumento na diária por esses 2 dias e eu não pude negar. O combinado era seu marido ir dormir na casa da mãe dele pra me deixar mais a vontade. 

Eu achei ótimo e quando soube disso parei até de pensar em levar alguém pra dormir comigo na casa. Chegado o dia de dormir lá eu estava super tranquila, levei apenas o necessário e somente roupas leves. Eu planejava sair de lá direto pra uma viagem até uma cachoeira então levei meus biquínis só pra não ter que passar em casa na volta. 

Quando cheguei no serviço notei que ela já tinha saído e tinha deixado um bilhete com as recomendações. A noite chegou bem rapidinho, depois de tomar meu banho vesti minha roupa de dormir, era um vestidinho e apenas uma calcinha. Eu estava sozinha e tinha certeza que ficaria só pela noite inteira, então não me importei de usar algo mais comportado. 

Pela primeira vez resolvi assistir um pouco naquela tv enorme. Sentei no sofá e acabei pegando no sono no meio do filme. Não sei quanto tempo eu dormi, mas acordei sentindo uma respiração e uma coisa molhada acariciando minha pepeca. Eu tinha um sono muito pesado e sempre tive dificuldades de acordar depois de dormir. 

Aquela era uma sensação estranha, eu sentia que deveria abrir os olhos pra ver o que era, mas não tinha força. Não sei por quanto tempo continuei de olhos fechados e nem o quanto meu patrão me apalpou enquanto eu dormia. Quando finalmente acordei eu me dei conta da situação que estava. Jorginho estava completamente sem roupa entre minhas pernas. 

Minha pepeca molhada entregou que eu estava gostando: contos eróticos

empregada gostosa contos

Eu estava com minhas tetas pra fora e toda arreganhada deitada no sofá, eu não sabia pra onde tinha parado minha calcinha, mas também sentia que estava sem ela. Minha pepeca estava molhada, sensível e bem greludinha. Eu tinha certeza que ele tinha me chupado bastante antes de eu acordar. 

Não sei porque não tive coragem de abrir os olhos e parar com aquilo, parecia muito errado, mas quando ele passava língua no meu grelinho minha buceta latejava tanto que eu quase gozava na sua boca. Por algum motivo resolvi continuar fingindo que estava dormindo, eu abria levemente meus olhos e deixava ele me usar do jeito que queria. 

Senti a respiração dele começar a ficar ofegante enquanto descia suas mãos pela minha barriga, depois pra minha bucetinha. Ele me acariciava bem de leve, acho que pra não me acordar e acabar com sua festa. Com muito cuidado eu sentia ele enfiando seus dedos dentro de mim, ele se punhetava enquanto me dedava daquele jeito. 

Quanto mais ele enfiava seus dedos dentro de mim mais molhada eu ficava. Cheguei ao ponto de sentir meu melzinho escorrer pelo meu cu, acho que ele também viu aquilo e resolveu que aquela era hora de me penetrar. Devagarinho ele veio colocando um travesseiro em baixo de mim. 

Aquilo me deixava bem mais alta e facilitava muito mais a vida dele. Quando eu já estava na posição certa senti ele pincelando sua piroca na minha pepeca, meu grelinho extremamente duro entregava que eu estava gostando daquilo. Era errado demais e por isso me sentia melhor em fingir estar dormindo. 

Meu patrão tentava controlar seus gemidos e sua respiração, mas ainda assim estava muito alto.  Minha buceta me traía, quando ele já estava dentro de mim minha buceta apertava tanto seu pau que deixava ele maluco. As vezes ele parava de meter e ficava quietinho lá dentro só pra sentir minha bucetinha apertando seu pau. 

Suas bolas batiam na minha bunda e fazia um barulhão, não era possível que ele realmente acreditasse que eu estava dormindo com tudo aquilo acontecendo com meu corpo. Por uns instantes ele se descontrolou e aumentou o ritmo das suas estocadas, ele não se importava mais em ser delicado dentro de mim e apenas se movimentava enfiando e tirando seu pau lá de dentro. 

Senti minha buceta esquentar rapidinho, ele urrava no meu ouvido e colocava seu peso todo em cima de mim. Enquanto ele marcava meus pescoço com chupões eu não aguentei e abri meus olhos, segurei forte o forro do sofá tentando me conter. Eu via aquele homem enorme e suado me comendo com força e acabei não aguentando. 

Gozei no seu pau enquanto sentia sua língua passeando pelo meu pescoço. Gozei e voltei a fechar meus olhos pra esperar aquilo acabar. Não demorou muito pra eu sentir seu jato de porra, ele esporrou em cima da minha buceta e saiu de cima de mim. Aquela era a deixa pra eu abrir meus olhos e brigar com ele, mas eu me mantive quietinha. 

Esperei que ele me vestisse de volta e saísse dali pra dormir na casa da sua mãe. Ele botou minha calcinha de volta no lugar, mas nem se deu ao trabalho de limpar sua porra de cima de mim. 

Minhas tetas ainda estavam pra fora quando ele deu uma última chupadinha, achei que pelo menos iria arrumar meu vestido, mas ele me deixou ali: arreganhada, gozada e com os peitos pra fora. 

Quando ele foi embora eu tive que tomar outro banho, resolvi usar o chuveiro do casal, acho que a dona da casa não iria se importar muito por isso; afinal eu já tinha acabado de usar a pica do marido dela. 

By - Contos eróticos I Sheillaxv

Comentários