O porteiro da igreja me comia escondido

O porteiro safado metia a pica dentro de mim contos eróticos

contos eróticos


Eu morava na frente de uma igreja, mas não era a que eu frequentava; mesmo não indo lá toda noite de culto eu ficava na frente de casa até tarde da noite esperando uma coisa acontecer. Depois que todo mundo ia embora apenas o porteiro ficava lá pra ajeitar as coisas, de vez em quando umas mulheres também ficava pra ajudar, mas não era costume elas ficarem; normalmente apenas o porteiro ficava. 

Eu preferia quando ele estava sozinho porque nesses momentos eu olhava pra dentro da igreja e conseguia ver ele com o pau duro na mão. As primeiras vezes que flagrei sua pica pra fora ele punhetava seu mastro até esporrar seu leitinho no chão; eu sempre ficava espiando até o final pra ver o leite sair. 

Com o tempo passei a frequentar aquela igreja, mas não do jeito que deveria, eu só aparecia lá depois do horário quando justamente só tinha o porteiro ali. Ele me levava lá pros fundinhos da igreja onde só tinha umas tralhas velhas e me deixava tocar no seu pau, ele pedia beijinhos na cabeça da pica e até forçava uma chupadinha

Com um tempo eu fui cedendo e comecei a passar a língua no seu pau, comecei a aceitar seu jato de porra no rosto, a punhetar até ele gozar, mas ainda não tinha liberado a bucetinha. Dava pra perceber o olhar dele faminto pra cima de mim, as vezes ele ficava bravo por eu não ser obediente e era bem grosso comigo. 

Um dia eu fui até ele no final do culto e ele me puxou pra cima dele segurando na minha buceta, tentei me soltar dos seus braços porque ainda não me sentia pronta, mas ele me segurava mais forte ainda. Eu sentia seu pau duro na minha bunda e seus dedos quase furando meu shortinho pra entrar na minha buceta, com muita relutância naquele dia ele não me comeu, mas não saí dali sem receber uma bela gozada na minha boca. 

Depois daquela violência toda era motivo suficiente pra nunca mais voltar naquele fundinho, mas eu voltei, no dia seguinte de cultinho eu tava lá bem piranha pra segurar no seu pau. Nesse dia eu deixei que ele me deixasse nua; enquanto tirava minha roupa seus olhos em cima de mim parecia um animal. 

Quando tirei minha calcinha ele cheirou bem no fundinho e veio se aproximando da minha bucetinha, abri minhas pernas ao máximo enquanto ele colocava sua boca na minha pepeca. Ele sugava meu grelinho com tanta força que parecia que iria me engolir; eu já estava completamente nua nos fundos daquela igreja quando ele resolveu me comer. 

Até pensei em negar a entrada do seu pau dentro de mim, mas já era tarde demais, ele já estava com a cabeça da pica roçando na minha entradinha. As roçadinhas que ele dava no meu grelinho era gostoso, mas quando meteu de vez me causou tanta dor que afastei meu rabo do seu pau, mas ele era mais rápido e forte que eu e bem fácil me puxou de volta cravando sua pica dentro de mim. 

Quando relaxei ele começou a bombar sua pica lá dentro, eu não estava tão molhadinha, mas ainda assim tava gostosinho; era melhor ainda quando tocava no meu grelinho enquanto metia em mim. As vezes ele parava de meter e descansava a cabeça da sua pica na entradinha da minha buceta que parecia ter vida própria e abocanhava seu piroca outra vez. 

Quando isso acontecia ele batia forte na minha bunda me chamando de putinha. Prestes a gozar ele não me disse nada; apenas me virou de frente e me colocou pra mamar, achei que voltaria a meter na minha pepeca depois da chupadinha mas não rolou. 

Seu leite veio quando a cabeça do seu pau estava lá no fundo da minha garganta, não tive nem chances de cuspir engoli cada gotinha do seu leite farto. Depois que ele descobriu que poderia me comer não quis mais parar e toda vez que eu aparecia lá era pra fuder atrás da igreja.

By - Contos Eróticos I Sheillaxv

Comentários