Meteu forte no meu cuzinho e eu apaguei

Me enrabaram forte no cuzinho e eu apaguei contos eróticos

contos eróticos fui enrabada


Fazia pouco tempo que eu tinha perdido minha virgindade, naquele tempo eu tava doida pra ter todas as experiências sexuais no menor tempo possível. Eu provocava até homens bem mais velhos que eu até saciar minha sede de ser desejada. 

A madrugada era o melhor momento para ter esse tipo de conversa porque não tinha mais ninguém acordado na minha casa. Na madrugada eu poderia tirar fotos pelada a vontade que ninguém iria me flagrar, eu tirava várias e ia mandando pros pervertidos que estavam loucos para me comer. 

Tinha um em especial que eu amava conversar, seu pau era lindo e ele sempre me mandava vídeo gozando e dizia que era em minha homenagem. Eu era tão bobinha ainda que me apaixonei até pelo seu nome; de vez em quando eu me pegava falando: "Anderson" na minha cabeça. Por um tempo resolvi que iria conversar apenas com ele, apesar da diferença de idade eu jurava que um dia seria sua namorada. 

Eu gostava de aparentar ser muito experiente, mas com Anderson eu exagerava demais, eu falava sobre minhas fantasias sexuais e até inventava um pouco pra deixar ele pensativo. A gente só tinha conversado por mensagens então pra apimentar mais eu prometia que quando nos encontrássemos pessoalmente eu daria todos os buracos que ele quisesse. 

Era sempre nesse momento da conversa que eu ganhava meu videozinho do seu leite saindo da pica. Eu só me dava por satisfeita depois de ver meu macho gozando por mim; aí sim eu ia dormir tranquila e feliz. Ele morava sozinho então eu vivia dizendo que qualquer dia apareceria na casa dele de surpresa sem roupa. 

Mais da metade dessas coisas que eu falava eu nunca nem tinha pensado em fazer eu só gostava de ver a cara de surpresa dele quando me via daquele jeito. Certa vez inventei que tinha um fetiche de ser comida por vários homens ao mesmo tempo, ele ficou doido com aquilo e perguntou quantos meu rabinho aguentava. 

Eu não sou de arregar numa conversa de baixaria então quanto mais assustado ele ficava mais coisas absurdas eu falava até finalizar com uma foto do meu rabo empinado. Depois dessa conversa não demorou muito tempo para marcarmos um encontro; ele me convidou para ir num encontro de motos porque mais uma vez menti dizendo que amava esse tipo de coisa. 

Eu o beijei pela primeira vez naquele lugar; perto de umas arvores e escutando uns roncos super alto de moto. A pegada dele só não era melhor que seu beijo, ele era enorme e me cobria inteirinha quando me abraçava. Ali mesmo senti seu pau duro e ele disfarçava me colocando na sua frente, mas quanto mais ele me abraçava por trás mais sua piroca crescia. 

Ele acabou me convidando pra sua casa e eu aceitei, achei que seríamos só nós dois pra manter aquele clima romântico, mas quando cheguei lá percebi que tinha outros 2 amigos dele. Sentei no sofá depois de cumprimentá-los; Anderson sentou ao meu lado e se inclinou pra me beijar, ele agia como se estivéssemos sozinhos. Ele apalpava meus peitos e enfiava sua mão entre minhas pernas; fiquei envergonhada, mas deixei. 

Quando parei de beijar ele notei que seu amigo estava ao meu lado pedindo um também; olhei pro Anderson meio encabulada e ele deu um sorrisinho, beijei seu amigo enquanto sentia a mão do Anderson passeando pelo meu corpo. Enquanto eu estava ocupada beijando um senti uma mão levantando minha blusa e deixando minha barriga pra fora; logo em seguida sinto alguém beijando minha barriga e dando chupão. 

Na minha cabeça a gente não passaria daquilo, mas me assustei quando notei que meu short estava sendo tirado; não deu tempo de reclamar e evitar que tirassem meu short. Quando finalmente consegui me afastar do beijo eu já estava nua da cintura pra baixo, eu tinha contado pro Anderson que meu sonho era fazer um grupal e ele estava prestes a realizar isso. Me despiram completamente antes de colocarem pra fora umas pirocas grossas e grandes. 

Fiquei de joelhos no chão mamando e punhetando várias pirocas ao mesmo tempo, eu mal tinha tempo de falar. Me colocaram deitada no chão de pernas arreganhadas e chuparam minha buceta; cada um teve oportunidade de sugar minha pepeca por uns instantes. Depois se revezaram pra meter na minha bucetinha, a pica mais grossa me alargou e logo em seguida os outros vieram pra completar a rodada. 

Eu já estava cansada de tomar pica quando me colocaram de joelhos em cima do sofá e miraram no meu cuzinho. Meu rabo ainda não tinha sido arregaçado e eu tava prestes a perder as pregas com uma piroca imensa. Comecei a tremer antes mesmo de meter a cabecinha, eles olhavam minha perna tremendo e davam risada. 

Quando a cabecinha da pica passou pelo meu cu quase chorei de dor, mas me segurei até onde deu. Quando aquele homem meteu sua pica de vez dentro de mim me senti um frango com um pau espetado no cu, ele poderia até me levantar na vara se quisesse. Naquela primeira estocada eu apaguei, mas acho que eles não pararam até se satisfazerem; acordei no dia seguinte com um rombo no meu cuzinho e ainda cheia de porra no meu rabo

By - Contos Eróticos I Sheillaxv

Comentários