Me chupavam na garagem de casa

Meu tio chupava minha pepeca na garagem de casa contos eróticos

contos eróticos pepeca gostosa
Deixei meu tio safado mamar minha pepeca contos 

Passei por uma época muito conturbada, tinha muita coisa acontecendo ao meu redor e isso fez com que eu me isolasse do resto da família. Nossa casa era muito pequena pra tanta gente então tinha que ficar procurando um canto calmo para me desestressar; rapidinho descobri que a garagem era o melhor lugar porque nunca ninguém aparecia lá. 

Nessa mesma época que comecei a usar a garagem de casa como refúgio o meu tio passou a morar com a gente. Os boatos que rolavam era que ele tinha ficado doido depois da separação e tinha tentado até tocar fogo na casa. Ele passou uns dias internado e quando saiu foi direto pra minha casa. 

Era mais uma pessoa naquela casa pequena e eu passei a ficar cada vez mais tempo sozinha na garagem. O lugar era tão tranquilo que eu chegava a dormir. Mas o meu tio não era insuportável, a gente tinha uma relação bem legal e por vezes era até melhor do que com o resto da minha família. Isso começou a mudar quando ele descobriu meu lugar de calmaria; numa noite ele tava bem agitado e andando pela casa inteira e acabou me encontrando na garagem. 

Por horas ficamos só nós dois ali batendo papo, eu estava sentada encostada na parede e meu tio depois de um tempo se deitou no chão com a cabeça na minha perna. As vezes ele coçava o cabelo e de vez em quando podia jurar que seu dedo tocava na minha buceta. Aquilo tinha mais cara de ser coisa da minha cabeça então eu só ignorava quando tinha essa sensação de estar sendo tocada. 

Depois dessa primeira vez meu tio passou a ir ficar comigo lá com bastante frequência, as vezes eu chegava e ele já estava lá me esperando com um sorriso de orelha a orelha. Até que em uma noite eu acabei chegando primeiro ali e estava tão cansada que acabei pegando no sono deitada num lençol velhinho. Eu gostava de usar roupas bem confortáveis quando estava em casa e naquele dia estava usando uma calcinha bem folgadinha e uma saia. 

Eu estava num sono profundo e sonhando quando comecei a sentir que alguém estava me bolinando. Sentia algo tocando em minha buceta, mas estava tão sonolenta que custei abrir os olhos, por uns longos minutos fiquei tentando discernir se aquelas sensações eram reais ou só mais um sonho intenso. 

Quando finalmente tive forças para acordar percebi que era tudo real; o meu tio doido estava ali entre minha pernas com sua língua passeando pela minha bucetinha. O jeito que ele fazia aquilo era gostoso, dava uma vontade de apertar sua cara na minha buceta quando ele passava a língua no meu grelinho. 

Por uns instantes não consegui dizer uma palavra; era como se aquilo tivesse me deixado completamente muda e ele se aproveitou daquilo. Naquele momento passei a sentir ele cheirando minha pepeca e falando do meu gosto. Meu tio me abria inteira pra ele; deixava minha buceta arreganhada com meu buraquinho livre para receber suas linguadas

Quando ele sugava meu grelinho meu corpo estremecia e eu chegava a pensar que teria um treco de tão bom que aquilo era. Minha pepeca molhava minha calcinha e ele me mostrava só pra eu ficar envergonhada, eu sentia seu dedo entrando fácil dentro de mim de tão molhada que eu estava. 

Eu ainda estava deitada naquele lençol velho quando senti meu corpo ficar molinho molinho, parecia que um caminhão tinha passado em cima de mim. Eu passava meus dedos em cima da minha pepeca e sentia ela toda sensível; quando meu tio me viu naquele estado veio pra cima de mim como se eu tivesse que retribui-lo pelo prazer que tinha acabado de me proporcionar. 

Ele ficou de joelhos na minha frente e colocou seu pau na frente do meu rosto enquanto me convencia a abrir a boca; me recusei, parecia nojento fazer aquilo e travei meus lábios enquanto seu pau batia na minha cara. Meu tio não aguentou muito tempo e logo esporrou seu leite no meu rosto, na hora que seu leite saiu dei um gritinho de susto por ver tanta porra saindo da pica daquele jeito. 

Por sorte todo mundo da minha família estava entretido assistindo tv. Depois desse dia a garagem deixou de ser meu refúgio de calmaria para ser meu refúgio de deixar meu titio doido chupar minha pepeca; e ele fez isso por muito tempo até eu começar a liberar a bucetinha.

By - Contos Eróticos I Sheillaxv

Comentários