O carro quebrou na estrada e meu cunhado me comeu

Meu cunhado gozou dentro de mim no carro contos eróticos

contos eróticos


A gente já estava trocando mensagens carinhosas a um certo tempo pelo wpp, ele vivia me contando do quanto estava carente por minha irmã passar tanto tempo fora. No início de tudo eu até tentei me controlar e não dar bola pras coisas que meu cunhado falava, mas eu sou muito mole e acabei me deixando levar por ele. 

Depois de um tempo eu já estava caidinha pelo meu cunhado e já sonhava apresentando ele como meu homem pra minha família. Eu morria de medo de sonhar trepando com ele e gritar seu nome pra todo mundo da casa escutar. O foda é que depois que a gente começou a ter um relacionamento mais íntimo eles tiveram que se mudar pra nossa casa e então ficou cada vez mais difícil viver assim. 

As vezes meus pais viajavam e ficava eu, minha irmã e meu cunhado em casa; a noite eu escutava minha irmã gemendo no pau dele e morria de inveja. Foi nesse tempo que acabei desabafando que sentia inveja por minha irmã ser tão bem tratada na cama daquele jeito e ele acabou me mandando uma foto do seu pau duro

Naquele dia eu me masturbei tanto vendo sua piroca que minha bucetinha doeu de tão sensível que ficou. Nosso primeiro beijo iria acabar acontecendo a qualquer momento; e quando aconteceu me fez a mulher mais feliz do mundo. Como de costume meus pais tinham viajado e estávamos apenas nós em casa, a gente planejou assar um milho e comer no fundo de casa bebendo uma cervejinha. 

Minha irmã, fraca pra bebida, logo ficou caidinha de sono e foi se jogar no sofá. Eu já estava um pouco alterada pela bebida, mas tinha plena consciência do que estava fazendo assim como meu cunhado. Mas a gente jogou a culpa do nosso beijo na bebida... no fundo da casa ele me encostou na parede e fez uma brincadeirinha que levou ao nosso beijo. 

A melhor parte daquilo foi sentir seu pau duro encostar na minha buceta; ele forçava seu quadril no meu pra sentir mais ainda e aquilo me deixou toda molhadinha. Se minha irmã não tivesse acordado naquela hora com certeza eu teria ido pra cama com ele naquela noite. Infelizmente ele teve que dormir ouriçado aquele dia porque sua mulher estava bêbada demais para satisfazê-lo. 

Depois de um tempo a gente até parou de conversar sobre essas coisas; parecia tão errado o dia após nosso beijo que por dias a gente mal se falou. Isso só mudou quando tive que fazer uma viagem com ele que duraria umas 2 horas no mínimo, estávamos indo buscar minha irmã no aeroporto e no meio do caminho tudo aconteceu. 

Faltava pouco mais de uma hora para chegarmos ao local quando o carro deu sinais de que estava nos seus últimos momentos de vida. Não deu tempo de chegarmos no posto e ficamos num acostamento vendo um carro passar de anos em anos. Não tinha muito o que fazer além de esperar o guincho então entrei no carro e sentei no banco de trás pra relaxar. 

Meu cunhado veio logo em seguida atrás de mim e deitou sua cabeça em cima do meu colo, eu usava uma saia e ele mais uma vez veio com umas brincadeirinhas que tinha cara de ser coisa errada. Eu tava mexendo no celular quando meu cunhado resolveu morder minha coxa, dei um tapa de levinho na sua cabeça e ele deu outra mordida. 

Não sei como aconteceu, mas ele acabou com a cara enfiada entre minhas pernas fingindo que iria morder minha pepeca. Parecia engraçado na hora, mas hoje contando foi super errado. Fui me deixando levar pela situação e quando me dei conta já estava segurando minha calcinha de lado pra facilitar sua língua passeando na minha pepeca. 

Vi seu pau crescendo dentro da sua calça e fazendo um volumão que implorava para ser chupado, por uns instantes esquecemos completamente da minha irmã e nos entregamos aquele tesão. Não demorou muito para estarmos sem roupa dentro daquele carro, tiramos cada peça de roupa quase rasgando. 

Era difícil se movimentar ali dentro, mas sentei em cima dele me preparando para cavalgar gostoso no seu pau. Pulei tanto ali no seu colo que o carro até sacudiu, enquanto eu rebolava em sua pica senti sua porra me invadindo e me lambuzando por dentro. Foi aí que me de conta de que estava sem camisinha e com porra dentro de mim, saí de seu colo atordoada procurando minha calcinha. 

Enquanto ainda estávamos nos vestindo minha irmã ligou perguntando se iríamos demorar e ainda ofegante meu cunhado pediu perdão pela demora. Aquele foi o primeiro dia que trepamos dentro do carro, mas felizmente não foi o último. 

By - Contos Eróticos I Sheillaxv

Comentários