Roçando a pepeca no sogrinho

Meu sogro safado contos eróticos

contos eróticos traindo
Sexo com sogro contos eróticos

Meu sogro era bem novinho, teve filho cedo, mas sempre se cuidou. Ele é o típico tiozão tirado a gatinho, a diferença é que ele realmente é gatinho. Eu costumava brincar com ele de que se tivesse conhecido ele antes com certeza meu namorado estaria solteiro agora. E essa é a nossa relação; cheia de brincadeiras e piadinhas internas, ele é quase um segundo pai bonitão pra mim. 

O engraçado é que a gente brinca tanto que as vezes é até difícil saber quando tá falando a verdade principalmente quando nossas brincadeiras ficam mais picantes. Eu nunca comecei um assunto safado com ele, mas não sou de recusar uma brincadeirinha maldosa. Quando tem festa em família meu sogro fica alterado pela bebida rapidinho e as vezes vem com uns papinhos de sexo perto de mim insinuando que meu namorado não da no couro como ele. 

Logo em seguida sempre tem um sorrisinho maldoso e ele sempre olha pra mim nessas horas como se quisesse me dizer algo mais indecente ainda. Uma vez ele disse isso enquanto eu lavava os pratos, eu estava virada de costas pra ele e senti uma encoxada na minha bunda logo depois dessa piadinha, era meu sogro colocando seu prato na pia e aproveitando pra roçar seu pau na minha bunda

Aquilo durou uns 5 segundos, ninguém leva tanto tempo assim pra colocar um prato na pia, soube na hora sua real intenção e apesar de considerar meu segundo pai fiquei excitada com aquilo. No final de semana seguinte foi o aniversário dele, ele queria comemorar num sítio e com muita carne. 

O lugar era bem espaçoso, tinha uma piscina enorme e um campo de futebol do lado, rapidinho a família foi se espalhando...alguns ficaram na piscina e outros foram jogar bola, meu namorado foi um dos que logo foi correr atrás de uma bola. Meu sogro e eu fomos pra piscina com outras 3 pessoas, alguém teve a ideia de brincarmos de pique ali dentro da água. 

Fazia tanto tempo que eu não brincava disso ou de qualquer outra coisa, todo mundo aceitou a ideia e logo estávamos correndo feito crianças dentro da piscina. Em um momento da brincadeira meu sogro ficou com o pique e teve que correr atrás da gente, a primeira pessoa que ele resolveu pegar fui eu, veio atrás de mim como um predador faminto. 

Ele me alcançou rápido, já perdi aquele meu pique esportivo, ele enrolou seus braços no meu corpo e me pressionou contra o dele. Me pegou por trás, confesso que não esperava aquele abraço tão apertado, aquilo mexeu comigo, por uns segundos tive a sensação de sentir seu pau duro nas minhas costas, mas não fui inconveniente pra olhar. 

Quando a noite chegou me preparei para ir embora, mas tive que desistir quando vi o estado deplorável do meu namorado, completamente bêbado e sem aguentar ficar em pé direito, seu pai o levou pro quarto e teve que botar pra dormir. Eu estava tão brava que nem acompanhei aquela cena, fui pra varanda e fiquei lá sozinha me segurando pra não chorar de raiva. 

Meu sogro me consolou com a pica

sogro gostoso
Fudendo com sogro

Meu sogro sempre muito atencioso rapidinho me encontrou pra me consolar, a casa era grande e todo mundo estava entretido com alguma coisa ou bêbado demais pra ligar pra mim...mas o meu sogro não, ele ficou ali atrás de mim me abraçando pra que eu não chorasse por besteira. Pra me alegrar ele fingia dançar atrás de mim bem coladinho, quanto mais eu ria mais ele se esfregava, eu já sentia perfeitamente seu pau na minha bunda e tava gostando

Em um momento ele desceu sua mão e descansou em cima da minha buceta, ficou uns segundos ali e pediu desculpa dizendo que não tinha visto, eu nem reclamei. Por algum motivo ele resolveu apagar a luz, disse que a claridade machucava seus olhos, agora estávamos completamente no escuro e no lugar mais escondidinho da varanda. 

Minha pele arrepiada rapidinho virou nosso assunto de conversa, ele começou a me dar beijinhos porque segundo ele fazia passar o frio, aquilo com certeza não daria o que preste. Ele foi descendo cada vez mais os beijinhos até chegar nos meus peitos, seus lábios finalmente chegaram nos biquinhos da minha teta e eu me entreguei. 

Correspondi seus beijos, suas carícias, deixei ele guiar minha mão até seu pau e punhetei aquela piroca até pulsar na minha mão. Rapidinho ele me escorou na parede e abaixou meu short só um pouquinho, só o suficiente pro seu pau roçar na minha pepeca. Aquele roça roça me deixava doida, estávamos em pé e eu já estava ficando sem forças na perna de tão gostoso que tava aquilo. 

Mas ele gostava daquilo, não enfiava em mim logo, mas roçava no meu grelinho só pra judiar de mim. Teve um momento que não aguentei mais aquilo, minha buceta estava doendo e eu mal conseguia me manter em pé, tirei todo meu short  e minha calcinha, coloquei minha perna num banquinho perto de mim e guiei sua pica até a entrada da minha buceta. 

Eu estava babando por ele, minha pepeca estava tão molhada que engoliu seu pau de vez. Meu sogrinho comeu minha buceta no pelo, não se protegeu e se recusou a gozar fora. Ele ainda me avisou que tava prestes a gozar só pra ver minha cara de nervoso, seu jato de porra veio e me invadiu toda, veio tanto leitinho que até comecei a imaginar que ele tinha feito xixi em mim, mas aquilo era realmente só porra. 

Depois de gozar ganhei um beijinho molhado na minha boca e a cordialidade de ser acompanhada até o quarto para dormir. Deitei na cama com a buceta ainda cheia de leite e ao lado do corno, tive que acordar mais cedo no dia seguinte pra tomar banho e cuidar da ressaca do meu namoradinho. 

By - Contos eróticos I Sheillaxv

Comentários