Meu primo gozava nos meus peitos

Como me tornei a mulher do meu priminho.

buceta gozada

Meu pai era apaixonado pelo Vitinho, o sonho dele era ter filho homem para ajudar ele nas tarefas da roça. Por isso ele vivia aqui em casa, passava férias, finais de semana e todo recesso que tinha da escola ele dormia aqui, tinha até um quarto só pra ele. 

O quartinho de visitas deixou de ser de visita quando meu pai separou só pra ele dormir, tinha uma beliche lá e um computador pra ele usar quando quisesse. Quando meu pai não estava em casa Vitinho era o homem da casa e eu tinha que respeitar, fazer suas vontades até quando não parecia ser o certo a se fazer. 

Minha mãe passava o dia inteiro costurando na garagem, eu ficava assistindo na sala ou jogando, não podia sair muito pra brincar porque o Vitinho não deixava. Ele saía durante a tarde pra jogar bola com os amigos e voltava no finalzinho do dia, ele queria chegar e encontrar tudo pronto e arrumado; até brigava comigo quando não encontrava tudo do seu jeito. 

Ele gostava de tomar suco depois do banho, então quando ele chegava eu já deixava no copo pra entregar pra ele quando ele estivesse sentado na frente da tv. Quando eu chegava com o suco na mão ele pegava e bebia um golinho e me mandava sentar ao seu lado, ele passava uns minutos em silêncio com a tv também no mudo e olhava pros lados tentando se certificar de que estávamos a sós. 

Então ele me olhava e me pedia um beijo na boca, eu tinha que obedecer - meu pai tinha mandado, né...aí eu beijava. As vezes eu flagrava ele me espiando enquanto tomava meu banho, ele ficava parado na porta olhando pelos muitos buraquinhos que tinha. 

Dava pra perceber que tinha alguém ali porque fazia sombra lá dentro, eu fingia não ver e continuava a me esfregar, ficava agachada com a pepeca exposta pra porta e enfiava meus dedos ali só pra ele assistir tudo. A noite, quando todos estavam dormindo ele me mandava ir pro seu quarto, eu deitava na cama dele e deixava ele me tocar, me beijar e roçar sua piroca em cima da minha buceta. 

Ele gostava daquilo e eu também, era escuro, quase não dava pra ver as coisas, eu ficava nua em cima da sua cama esperando ele fazer o que queria comigo. Por vezes senti uma coisa quente e molhada na minha buceta, era sempre no final, eu achava que ele tava fazendo xixi em mim, mas era espesso...ele me mandava vestir a calcinha ainda melada do seu leite e ir dormir, eu não podia nem limpar. 

Por muito pouco ele não arrebentou as pregas do meu cuzinho.

Com um tempo a gente não fazia mais aquilo deitado na cama, eu ficava sentada e ele ligava a luz, mas colocava uns panos no chão pra ninguém perceber que ele tava acordado ainda e fazendo aquilo em mim. Na beirada da cama eu via ele ficando nu na minha frente, seu pau sedento completamente duro pulando esperando eu colocar na minha boca.

Aquele cheiro de pica era estranho pra mim ainda, mas eu acostumei, gostava de colocar na boca e esperar o leitinho sair. Depois era minha vez de ficar naquela posição, ele ficava de joelhos na minha frente porque ele era muito maior que eu e me chupava até minhas pernas ficarem tremendo. 

Depois ele me colocava igual um cachorrinho de 4 no chão e colocava sua piroca entre minhas pernas, ele não metia na minha buceta, mas roçava bem gostoso a pica dele na minha xana. Eu pressionava a perna o máximo que podia pra fazer ficar mais gostoso pra ele, depois ele me virava de frente e me mandava ficar de joelhos pra ele e apertar bem minhas tetas. 

Ele gozava ali fingindo que eu era sua égua peituda, seu leite escorria e me deixava toda melada, eu vestia minha blusa e voltava pra minha cama sem me limpar, no dia seguinte tava toda colada de porra. Ele agia como se nada tivesse acontecido, me tratava como empregada na frente dos outros e durante a noite me usava feito puta; gozava em mim, enfiava seus dedos no meu cuzinho. 

Com um tempo meus peitos foram ficando ainda maiores e ele passou a enfiar sua piroca entre eles e meter como se estivesse metendo numa bucetinha, eu ficava olhando pra baixo de boca aberta e com a língua pra fora esperando a cabecinha aparecer pra eu lamber. 

Ele ria daquilo e não demorava muito pra esporrar seu leitinho em cima dos meus peitos, era o jeito mais rápido que ele gozava, mas infelizmente ele se mudou sem penetrar minha buceta, outra pessoa teve esse trabalho... mas ele me iniciou bem, eu ainda amo fazer isso e sempre deixo esporrar nas minhas tetas. 

By - Sheillaxv

Comentários