Ninfeta do tio safado

Ninfeta putinha do tio safado.

buceta gostosa

Ele apareceu aqui no final do dia completamente bêbado ou pelo menos era assim que parecia estar. Eu não conseguia sentir o cheiro do álcool , mas ele cambaleava pela sala da minha casa e ficava dizendo coisas sem o menor sentido. 

Estava sozinha em casa e por isso tive que cuidar do meu tio, com muita relutância consegui sentar ele no sofá e dei um copo com água, era muito estranho como alguém que aparentava estar completamente embriagado não tinha cheiro algum, ele ficava perguntando por sua mulher como se eu tivesse obrigação de saber, por uns minutos ele até chegou a me confundir com ela, ficava me chamando de meu amor e falando sobre coisas que somente eles dois sabiam. 

Tentei relevar tudo aquilo afinal era meu tio, até que tive a brilhante ideia de levá-lo pro quarto de hóspedes e deixá-lo dormir até alguém aparecer para levar ele embora. Meu titio mal conseguia ficar em pé direito, o tempo inteiro voltava pro sofá ou ameaçava cair no chão, tinha umas escadas pra subir então disse que ele poderia segurar em mim se quisesse e ele quis. 

Fui na frente me segurando no corrimão da escada e ele veio atrás de mim entrelaçando seus braços em volta de mim. Mais uma vez ele me chamava pelo nome de sua esposa, senti seu corpo bem coladinho no meu e sua piroca roçando na minha bunda, não falei nada que estava sentindo aquilo de tanta vergonha. 

Uma de suas mãos segurou no meu peito e deu uma apertada - segundo ele era pra se segurar melhor, mas a outra mão ele levou até entre minhas pernas bem em cima da minha pepeca e deixou ali enquanto a gente subia a escada. 

Degrau por degrau ele se aproveitava da minha bucetinha greluda.

Não tínhamos subido nem o primeiro degrau ainda e ele já estava me roçando apertando meu corpo contra o dele, já sentia seu pau tão duro na minha bunda que dava pra imaginar o quão grande e grosso era. Eu não podia tá gostando daquilo, eu devia ter dito mais vezes que eu não era a sua mulher, mas convenhamos que era melhor pra mim acreditar que ele estava realmente bêbado ou não teria coragem de deixar ele fazer aquilo comigo. 

Fomos grudadinhos assim até chegarmos no quarto, lá eu o coloquei na cama e acabei deitando junto porque ele me puxou e pela força que tem não consegui revidar. Sua mão ainda estava apalpando meus peitos, a gente conversava enquanto ele tateava meu biquinho, ele estava de olhos fechados e fingindo aquela voz sonsa de bêbado, ele não tinha bebido nada, estava sem bafo algum - aquilo era só pouca vergonha e eu gostei. 

Cada vez que ele me chamava pelo nome de sua mulher eu o respondia como se fosse, conversava sobre os filhos e sobre qual seria o jantar da noite até que ele colocou pra fora minha teta e abocanhou com vontade. Deixei meu titio subir em cima de mim pra me mamar, sua boca sugava meus peitos com tanta vontade que até machucava os biquinhos dos meus peitos, ficaram vermelhinhos com tanta violência. 

Ele ficou de joelhos em cima da cama antes de começar a me despir, deu pra ver o quão duro estava seu pau, parecia que a qualquer momento iria pular pra fora da bermuda. Fiquei completamente nua em cima da cama esperando o que meu tio safado iria fazer, deixei ele abrir minhas pernas e se deliciar chupando minha buceta. 

Gozei umas duas vezes com a língua dele enfiada no meu buraquinho, já tava sentindo meu melzinho escorrer pelo meu cu quando ele colocou pra fora aquele pau enorme. A cabeça da pica até brilhava de tão duro que estava, fiquei imaginando se caberia tudo em mim ou se me rasgaria. 

Ele veio se aproximando da minha boca foi difícil até pra chupar porque aquela jeba nem queria abaixar direito pra entrar na minha boca tive que ficar de joelhos na cama pra conseguir colocar na boca. Não demorou muito e ele me deitou na cama de pernas abertas, eu tava ali toda arreganhada esperando seu pau me penetrar quando ouvimos um barulho no portão de casa, era alguém chamando por meu pai, então meu tio safado parou o que estava fazendo e chegou perto da janela. 

Naquele momento ele foi como um homem sóbrio e completamente ciente do que estava fazendo, ele ficou parado no cantinho da janela até a pessoa desistir e ir embora, logo em seguida ele voltou pra cama me colocando novamente na posição que iria me comer. Eu poderia ter perguntado alguma coisa sobre seu estado de consciência, mas preferi ficar quieta e aproveitar aquele macho grosseiro que estava prestes a me comer. 

O personagem de vagabunda do tio pirocudo.

Fingi que ainda estávamos naquele papel de titio bêbado confundindo a ninfeta da sobrinha com a esposa. Antes de meter ele brincou com meu grelinho roçando a cabeça da piroca, a babinha que saía do seu pau me melava tanto que sua pica escorregou direto pro meu buraquinho então ele forçou lá dentro até entrar tudo, quando suas bolas colaram na minha bunda tive certeza que tinha aguentado aquele pirocão inteiro. 

Não senti tanta dor, tava bem lubrificada então só aproveitei aquele safado entrando e saindo de dentro de mim, por várias vezes ouvi ele gemer no meu ouvido, era tão gostoso - ainda não tinha sido fudida daquele jeito, gozei no seu pau tantas vezes que desfaleci no sono. Mas ele não parou de me comer, quando recuperei a consciência percebi que estava jogada no quarto de hóspedes com um lençol em cima de mim. 

Sentia dor na minha buceta que mal conseguia levantar, tinha porra saindo da minha buceta e do meu cuzinho que também tava bem esfolado. Meu corpo tava todo marcado de chupão e machucados, quando me levantei senti seu leite escorrendo pelos meus dois buracos, tive que colocar minha mão em baixo pra aparar pra dar tempo chegar ao banheiro. 

Tomei um banho com muita dificuldade e coloquei um absorvente pra garantir que não vazaria da calcinha, fui pra sala assistir um pouco e encontrei meu pai sentado junto com meu tio assistindo tv, eu estava mancando e completamente envergonhada. 

Meu tio safado fingia que nada tinha acontecido e me tratava normalmente nem parecia o cara bêbado que tinha chegado mais cedo cambaleando pelos cantos. Parece errado, mas eu ficava imaginando qual seria a próxima desculpa que ele inventaria pra meter em mim de novo, acho que ele não conseguiu pensar em mais nada, mas, felizmente, agora sou a ninfetinha dele e continuo sentando gostoso na jeba do meu tio. 

By - Sheillaxv

Comentários