Ele me dedou e me comeu escondido

Ele dedava minha buceta escondido do meu pai

contos eróticos
O amigo de papai se aproveitando pra colocar tudo dentro de mim

Meu pai tem um círculo de amigos bem estranhos, eles são bem moralistas e aparentam ser tão certinhos. Meu pai é igualzinho a eles ou talvez até pior; nunca perdemos um dia de culto na igreja mesmo quando estamos indispostos. Minha mãe bem submissa acata as ordens do meu pai como uma cadelinha adestrada, e por muito tempo eu também fui, na verdade continuo sendo na frente dele. 

Por trás da minha família eu descobri o sexo muito cedo e me viciei tanto que não consigo mais dormir sem gozar antes. Os amigos do meu pai, esses moralistas que citei anteriormente, contribuíram pra desviar a mocinha do papai pra essas putarias. 

Seu Duda foi o primeiro, ele aparentava ser um pouco mais velho que meu pai, mas era o mais atrevido, eu escutava eles falando sobre sexo escondido enquanto assistiam a um jogo e sempre quem iniciava o papo era o seu Duda. Escondido do meu pai ele foi o primeiro homem que tocou em minha pepeca, eu estava atrás do sofá de olho no jogo do meu time quando senti sua mão por baixo da minha saia. 

Ele me tocou enquanto eu estava atrás do meu pai e dos seus amigos e fingiu que nada aconteceu; ele nem olhava na minha cara enquanto me dedava. Meu pai estava na minha frente e eu só precisava falar algo pra ele ser expulso dali, mas sua mão me acariciando era tão gostoso que eu fiquei. Fiquei, abri mais as minhas pernas e facilitei seus dedinhos se movimentando dentro de mim. 

Eu gostava de pegar uma cor na piscina da casa dele e meus pais deixavam afinal era ele quem moralizava os amigos nos dias de reunião. Mas as vezes ficávamos completamente sozinhos naquela casa imensa; e foi em um desses momentos que deixei ser penetrada por ele. Nesse dia, logo depois de passar um tempo no sol pegando uma cor eu entrei em casa e me aprontei pra me jogar na piscina. 

Escutei seu Duda na sala me chamando e fui ao encontro dele, ele me chamou pra sentar em seu colo pois queria que a gente conversasse sobre umas coisas. Ele dizia estar apaixonado por mim e louco pra me beijar, ele perguntou se eu acreditava naquilo e eu fiquei com tanta vergonha que disse não acreditar. 

Ele perguntou se ele poderia me provar que era verdade e antes que eu pudesse responder ele pegou minha mão e colocou em cima do seu pau. Ele me fazia acariciar sua pica por cima da bermuda e me dizia que tava tão apaixonado por mim que seu pau ficava duro feito pedra. 

Seu Duda tirou sua mão de cima da minha e me deixou fazer carinho no seu pau sozinha, acho que ele esperava que eu saísse dali ou fosse pra casa, mas eu fiquei; fiquei e apertei sua pica o mais forte que conseguia. Quando ele percebeu que eu tinha gostado de fazer aquilo começou a acariciar minha pepeca por cima do meu biquini, senti um choquinho quando ele tocou minha xana pela primeira vez, mas logo começou a ficar bem gostosinho. 

Minha buceta estava molhadinha com aquilo, ele afastou meu biquini pro lado e deixou exposto minha xota molhada, nesse momento ele foi me deitando em cima do sofá até eu ficar bem arreganhada. Ali deitada ele me chupou, mordeu meu grelinho e me fez gozar pela primeira vez na sua boca, senti meu corpo inteiro tremer naquele momento, foi tão forte que cheguei a ficar com sono. 

Fechei os olhos pra aproveitar aquela sensação, mas ainda não tinha acabado, abri os olhos assustada com uma dor absurda na pepeca. Seu Duda naquele momento estava tentando me descabaçar e não iria parar até arrancar completamente o meu lacre. Não tive outra alternativa além de aguentar a dor até ficar gostosinho como ele me prometeu que ficaria. 

A dor foi passando e logo deu lugar a uma vontade de ter cada vez mais seu pau dentro de mim, quando dei conta de mim e do que eu tava fazendo eu já estava sentada no seu colo cavalgando no seu pau como uma putinha no cio. 

Seu Duda não demorou muito tempo me comendo, rapidinho veio a vontade de gozar e ele não se segurou; ele me colocou sentada no sofá e mirou seu pau na minha boca, me fez ficar ali esperando seu leitinho chegar. 

Quando sua porra saiu me lambuzou inteira, fiquei com leite até no meu cabelo, tive que lavar pra sair aquilo de mim. Nos dias que ele ia pra minha casa ele sempre dava um jeito de me fazer pegar no seu pau duro ou de dedar minha pepeca sem que alguém percebesse algo. 

By - Contos Eróticos I Sheillaxv

Comentários