Aprendendo e sentando na piroca

Eu aprendo melhor em cima do pau.

No final do dia eu tinha aulas de reforço com uma vizinha amiga da minha mãe. Ela me ajudava com as tarefas e com os assuntos em que eu era fraca. Mas nem sempre ela ficava de olho em mim, era somente eu na casa dela e raramente um outro colega também ia quando estava prestes a fazer prova, mas era bem raro. 

Minha mãe escolheu ela por ser mais barato e até então confiável porque todo mundo se conhecia. Eu não fazia só atividades na casa dela, quando tinha algo que necessitava pesquisar na internet eu tinha que ir pro quarto do irmão dela e ficar lá até terminar. 

Seu nome era John, ele fazia cara de bravo quando a gente batia na porta do seu quarto pedindo um tempinho no computador, aparentemente não gostava de ser interrompido, mas sempre cedia. Ele ficava atrás de mim vigiando o que eu tava fazendo ou pelo menos era isso que eu acreditava que ele fazia, sua irmã sumia dali assim que eu entrava no quarto, as vezes ela passava horas fora de casa e eu tinha que esperar ela voltar pra conferir o que tinha feito. 

Foi nessas saidinhas dela que eu comecei a fazer umas coisas com seu irmão. No começo, ele fingia me ajudar pra eu não machucar minhas costas, e pra isso, ele segurava o caderno na minha perna enquanto eu escrevia minha pesquisa. Sua mão ficava na minha coxa me alisando, ele aproveitava pra percorrer cada pedacinho disponível ali e até tentava insistentemente tocar na minha xota até que uma vez ele conseguiu. 

Me fazendo de boba pra ser dedada.

Naquela hora eu fingi não ver o que estava acontecendo, continuei anotando minhas coisas tentando não tremer com seu dedo em cima do meu grelinho. Ele fazia carinho e apertava minha xana, ele chegou a usar duas mãos: uma segurava o caderno e a outra ficava livre pra alisar minha pepeca. 

Um dia ele perguntou se eu não achava melhor eu sentar no seu colo porque seria melhor pra escrever, era estranho o jeito carinhoso que ele estava me tratando, era tão estranho que eu aceitei na mesma hora sua gentileza. Mas antes de eu sentar ele me fez virar de costas pra ele, naquele momento eu ouvi um barulho como se alguém estivesse trocando de roupa.

Quando  me virei ele estava vestido, não me importunei com isso e sentei em seu colinho assim que fui ordenada. Tava estranho, tinha algo na minha bunda bem duro, ele não se aquietava na cadeira e eu não queria pedir pra ele ficar quieto. Dava pra ouvir ele dando uns gemidinhos no pé do meu ouvido, era como se ele estivesse me penetrando. 

Ele segurava na minha cintura e me fazia remexer em seu colo, eu estava quase caindo e avisei que daquele jeito eu não conseguia anotar nada, mas ele disse pra eu ficar que era rapidinho. O tempo inteiro eu perguntava se já tava acabando e ele só me pedia pra esperar até que uma hora ele me virou e perguntou se eu não tava gostando de sentar nele, eu não sabia o que dizer e apenas respondi que tava. 

Ele me levantou e me virou de frente e me disse que se eu abaixasse um pouco meu short ficaria mais gostoso, ele também faria isso então seria gostoso pros dois. Com vergonha eu deixei minha roupa na altura do meu joelho e sentei novamente no seu colo, ali eu já sentia sua pica roçando diretamente na minha xoxota, era de fato muito mais gostoso. 

Metendo de frente é mais gostoso. 

Quando ele tocava a cabeça em cima do grelinho dava vontade de sentar de vez. Ele roçou sua piroca na entrada da minha pepeca até sair seu leitinho do saco, lambuzou minha xana inteira e pingou no chão. Ele já estava saciado e perguntou se no dia seguinte eu queria fazer mais pesquisas no quarto dele, eu não respondi apenas saí do seu quarto. 

No dia seguinte eu voltei, e dessa vez fingi ter trabalho pra fazer, sua irmã não estava disposta a me esperar terminar e mais uma vez meteu o pé pra fora de casa e me largou com o Jonh. Dessa vez ele me colocou deitada na cama e bem devagarinho foi tirando minha roupa e beijando minha buceta, eu gozei com ele grudado no meu grelo. 

Se aproveitando da minha pepeca completamente molhada ele meteu em mim, enfiando no pelo ele fazia seu pau entrar e sair de dentro de mim, sentia suas bolas batendo na minha bunda e seu corpo suado roçando no meu. De vez em quando ele mamava meus peitos enquanto metia em mim, e pela segunda vez gozei atolada na pica. 

Seu pau duro despejou, dessa vez, todo seu leite na minha boca, como uma boa aluna engoli tudinho. Por bastante tempo ele foi meu namorado escondido, eu inventava mil e uma coisas pra fazer só pra deixar ele me comer, um dia fomos pegos e a brincadeira acabou; só restaram as lembranças. 

By - Sheillaxv

Comentários