Tirando leite da buceta

Dando leitinho da pepeca.


Quando a irmã da igreja teve filho a gente começou a se organizar pra ir até a casa dela ajudar nas tarefas. As vezes eu ia sozinha e ficava até mais tarde limpando até tudo ficar brilhando. Foi um parto delicado, por causa disso ela ficou acamada por um tempo, mal conseguia pegar o filho nos braços e amamentar. 

Seu marido, o Mário, trabalhava a manhã inteira, mas voltava pra casa na hora do almoço, eu sempre deixava tudo pronto pra ele, as vezes brincava até que era sua esposa. Claro que eu fazia aquilo na brincadeira, nunca tive segundas intenções, mas certa vez eu estava dando mamar pro filho dele na sala enquanto sua mulher estava descansando no quarto, ele chegou meio dia pra comer, como sempre, e perguntou se tinha espaço ali pra mais um. 

Naquele momento pensei que se referia a mamadeira e até brinquei de volta que se ele quisesse poderia mamar tudo, mas logo entendi o real significado daquilo. O irmão Mário foi lá conferir na mesma hora se sua mulher estava acordada e logo voltou pra sala, se sentou ao meu lado e começou a puxar uma conversa bem inapropriada para um homem casado

Eu sentia seu cotovelo tentando roçar nos meus peitos enquanto ele falava, as vezes ele pedia pra segurar a mamadeira do filho e se aproveitava pra descansar seu braço em cima dos meus peitos. Eu continuei ali sentada e completamente submissa. Quando coloquei o bebê pra dormir na cama ele me chamou de volta pra sentar com ele no sofá e as putarias que ele falava voltaram. 

Em um momento ele apontou pra minha teta e perguntou se saía leite dali também, fiquei um pouco constrangida na hora e não respondi, só dei risada e um tapa em sua coxa. Então ele veio bem atrevido e deu uma apertadinha bem no biquinho do meu peito, fiquei em silêncio na hora, estava tão envergonhada que não saía uma palavra da minha boca. Por outro lado ele não se calava nem por um minuto, mas falava baixinho, quase sussurrando. 

Matando a fome dos dois.

Ele chegou bem perto do meu ouvido e apontando pra minha pepeca perguntou se ali em baixo saía leite também, ele chegou a tocar com seu dedo indicador por cima do meu short. Estremeci na mesma hora, foi como um choque no meu corpo inteiro, me retrai e cruzei minhas pernas tentando me afastar daquela situação. Mas isso não adiantou, ele chegava sempre mais perto até que me prensou no cantinho do sofá, ele chegava no meu pescoço e sussurrava com uma voz rouca e grossa pedindo pra ver se sairia leitinho

Fiquei quieta mais uma vez só pedindo pra ele se afastar porque era perigoso, pedia pra ele pensar no filho dele que estava ali do lado, mas ele não ligava. O irmão Mário estava tão fora de si naquele momento que pegou minha mão e colocou em cima do seu pau duro e me mandou apertar pra eu sentir como ele tava duro. Instintivamente acabei apertando aquela jeba por cima de sua calça, senti a dureza daquele homem e não resisti o olhar. 

Ele pedia pra eu apertar cada vez mais forte porque só assim ele ia parar, então eu apertava. Eu estava começando a gostar do seu gemido no meu pescoço, aquilo me arrepiava e me dava coceiras na buceta. Comecei a sentir nojo de mim mesma por estar gostando daquilo, mas cada vez que ele pedia pra eu sentir o gosto do leitinho dele dava vontade de chupar até suas bolas. 

Quando finalmente consegui me livrar das suas carícias eu fui correndo em direção a cozinha, mas num cômodo entre a área de serviço e a cozinha ele me pegou, me prensou na parede e me beijou. Ele me pegava seguro, me apertava tanto que não tinha jeito de escapar, sentia seu pau querendo fugir da cueca e meter em mim de qualquer jeito. Torci pra ficar apenas nos beijos, mas logo vi ele abrindo seu zíper e colocando sua pica pra fora, senti sua mão abaixando a frente do meu short e da minha calcinha. 

Metendo de frente.

Com a minha xota exposta daquele jeito eu tranquei minhas pernas ao máximo que podia, mas não era suficiente, ele foi mirando a cabeça da sua piroca até minha entradinha e eu tava tão melada que facilitou tudo. Me grudando forte contra a parede ele me dizia que só iria roçar um pouquinho no meu grelo, mas não foi isso o que aconteceu, ele se descontrolou e quando percebeu já estava todo dentro de mim. 

Me comendo de frente eu mal conseguia respirar, faltava ar e eu tentava afastar ele de mim. Tentei apertar minhas pernas numa tentativa fracassada de machucar seu pau ali dentro, porém só deixava tudo mais gosto e ele pedia o tempo inteiro pra fazer mais forte. 

Quando senti algo quente escorrendo de dentro de mim imaginei que o depravado tivesse feito xixi na minha pepeca, quando vi que era porra corri pro banheiro pra tentar tirar lá de dentro. Depois desse dia comecei a ir sempre sozinha pra casa deles só pra tirar leite da xoxota. Infelizmente, por algum motivo, a irmã começou a dispensar minha ajuda. Mas, felizmente, o marido dela ainda precisava.

By - Sheillaxv

Comentários