Flagrada pelo cunhado safado

Fazendo escondido com o cunhadinho. 


Ele me flagrou fazendo coisas horríveis, mas eu amava aquilo tudo. Achei que estivesse sozinha em casa, então como de costume fui pro meu quarto fazer aquelas coisinhas. Lembro que quando comecei a fazer isso eu usava umas almofadas entre as pernas, e então eu apertava tanto que começava a sentir uma coceirinha gostosa na minha buceta, no final, eu acabava gozando. 

Acho que cresci com esse segredo, me escondendo para esfregar minha xoxota. Depois de ficar mais velha, vacilei e ele me pegou. Eu tava dentro do quarto, completamente nua e com a bunda virada pra porta do meu quarto. Quando ele entrou eu me assustei, parecia que meu mundo tinha acabado naquele momento, eu não disse nada e ele também ficou quieto. 

Não fazia muito tempo que a gente se conhecia, ele era o novo namoradinho da minha irmã e pouco convivia com o resto da família. Acho que ele tinha esquecido algo em casa e voltou para pegar, como eu durmo no mesmo quarto que ela então ele veio diretinho pra onde eu estava. Na mesma hora ele fechou a porta e saiu dali, nos dias seguintes eu morri de medo, fiquei com tanto frio na barriga que adoeci. 

Passei uns dias de cama, meu cunhadinho começou a ir sempre lá em casa até quando minha irmã não estava, ele ficava lá esperando ela voltar. Em umas dessas vezes ele se aproveitou da saída da minha mãe para ir até meu quarto conversar comigo. Naquele dia eu entendi o real motivo dele não ter me entregado logo no início, ele queria chantagem, queria me usar, queria uma mulher e uma puta servindo ele. 

Eu não tinha muito o que fazer, estava com tanta vontade que me submeti aquilo, comecei a gostar quando ele me tocava ou quando tentava me encoxar nos cantos da casa. As vezes estava assistindo com ele e minha irmã na sala, e ele, sentado no meio, ficava tentando tocar na minha buceta. Eu facilitava todas as suas investidas e, no final da noite, me masturbava imaginando seu pau entrando em mim. 

Minha pepeca ficava molhada pensando no cunhado.

Até que um dia aquilo aconteceu, não lembro por qual motivo ficamos sozinhos em casa, mas quando me dei conta lá estava ele me acordando, me beijando e me tranquilizando de que estávamos só nós dois na casa. Ele me beijava, chupava meus peitos, se aproveitava dos meus trajes de dormir pra me ver nua. Ele não queria tirar tudo, gostava só de colocar pro ladinho e chupar. 

Quando ele colocou seu pau pra fora eu quase me arrependi de tudo aquilo, era grande, com certeza iria me machucar e ele não estava nem aí. Ele tava tão excitado que babava horrores pela sua piroca, então ele pediu que eu abrisse minhas pernas e colocou sua pica no meio delas. 

Ele fazia uns movimentos como se estivesse metendo, era gostoso porque roçava na minha pepeca, mas ficou muito mais gostoso quando ele colocou minha calcinha pro lado e deixou a cabeça do seu pau roçar diretamente no meu grelinho. Minhas pernas ficaram trêmulas naquele momento, eu tava tendo um orgasmo no seu pau, quase cai no chão, mas ele me segurou. 

Aproveitando que eu estava completamente mole ele segurou uma de minhas pernas no ar e começou a forçar a entrada da sua pica na minha buceta. Eu estava molhada então não foi tão difícil pra me penetrar assim, quando me dei conta ele já estava completamente dentro de mim e prestes a ejacular todo seu leite bem lá no fundo. 

Tive que deixar ele depositar seu leite em mim.

Eu pedi pra que não fizesse aquilo, tinha medo de engravidar, mas ele parecia não se importar muito com meus receios, ele estava louco e incontrolável. Passei a tentar me afastar dele tentando evitar que seu leite entrasse em mim, mas foi em vão, logo em seguida ele estava ali despejando todo seu líquido dentro da xana da sua cunhada, senti seu peso todo em cima de mim naquele momento, ele parecia estar exausto e satisfeito com a merda que tinha acabado de fazer. 

Naquele dia ele me fez tomar a pílula do dia seguinte que ele dava pra minha irmã, certeza que ele gozava dentro dela com a mesma brutalidade que tinha feito comigo. Eu reclamei muito com ele por causa daquilo, mas ele não parecia muito preocupado. Não suporto homens com esse ar de machão, mas por algum motivo sempre acabo de pernas abertas recebendo porra deles. 

Naquele dia, quando minha irmã chegou em casa, ela achou estranho ele estar com meu cheiro, até chegou a perguntar se ele tinha usado meu perfume, não teve outra saída além de falar que sim e inventar uma história de que ele precisou tomar banho por algum motivo fantasioso. Nossas rapidinhas passaram a acontecer com muito mais frequência, e  ninguém desconfiava, afinal, ele não parecia ser do tipo que trai a namoradinha fiel com a própria cunhada safada. 

By - Sheillaxv

Comentários