Deixei ele depositar seu leite em mim

Ele cuidava da elétrica e as vezes da minha pepeca.

buceta greluda sexo

Me deixaram sozinha em casa com o afilhado do meu padrasto que era eletricista. Teve reforma na minha casa e estavam trocando a fiação, na verdade até tinha outras pessoas do lado de fora, mas era os pedreiros que eu não conhecia muito bem. O único rosto conhecido era o do Jefinho...casado e recém papai de primeira viagem, ele era quase meu primo de consideração. 

Desde sempre percebia pelas suas brincadeiras que me olhava de um jeito diferente, eu devia ter uns 17 anos quando ele começou com uma brincadeira de me abraçar por trás, quase uma encoxada na minha bunda. Eu sentia de longe o olhar maldoso da mulher dele odiando aquela cena, mas sempre bem portada ela nunca me disse nada. A gente sempre conversava no whatsapp e nas entrelinhas dessas conversas percebia ele dando em cima de mim; suas investidas aumentaram bastante desde que ele teve um filho, vivia me dizendo que era viciado em sexo e eu adorava ler aquilo. 

Até que as conversas foram ficando cada vez mais picantes e quando menos percebi já estávamos trocando nudes... escondida eu ia até o banheiro - tirava a calcinha e abria bem minha pepeca pra mostrar meu buraquinho pra ele. Sentia que estava doido pra me comer só faltava oportunidade, e até que ela chegou. Todos saíram de casa e me deixaram tomando conta da obra, o Jefinho estava aqui no serviço dele só esperando o momento de invadir, quando percebeu que estávamos sozinhos ele entrou e foi até meu quarto. 

Eu tava disfarçando ali dentro sabia que ele iria entrar pra tentar alguma coisa e já estava até molhada, quando o vi na porta com a pica marcando a calça me fingi de surpresa mandando ele voltar porque era arriscado. Minha janela estava aberta e se vacilasse alguém poderia ver ele entrando, então ele ficou parado uns minutos só olhando pra minha raba e do nada ficou de joelhos e veio até mim quase engatinhando.

Vem engatinhando que eu dou de mamar. 

Eu ainda dormia num colchão no chão em um cantinho do quarto; quando ele chegou pertinho eu também me agachei esperando o safado subir em cima de mim. Ouriçado ele me beijava, passava a mão pelo meu corpo, guiava minha mão até seu pau duro por cima da calça e enfiava com força seus dedos dentro da minha pepeca. Me assustava o tempo inteiro com a janela aberta porque qualquer silêncio eu já pensava que era alguém tentando escutar o que tava rolando no quarto. 

Eu tinha o provocado tanto por mensagens que não tinha muita opção para desistir naquele momento, minha calcinha já estava na altura do joelho e minhas tetas já estavam de fora dando de mamar pra ele. Aquele cavalo doido não se importava muito de ter gente em casa; ele grudou tanto em mim que mais parecia um animal no cio, tive que ficar de vigia olhando ao nosso redor pra certificar que não nos flagrariam na putaria. 

Minha buceta já estava inchada e ele nem tinha me penetrado ainda, aquele safado aos pouquinhos me deixou completamente sem roupa, ele apenas com o pau pra fora forçava seu corpo contra o meu pra me manter de pernas abertas. Quando ele se levantou um pouquinho tive certeza de que iria ser fudida ali mesmo, não tinha camisinha e eu tava muito lubrificada. O mel que saía da minha xana facilitou muito sua penetração; não demorou muito e eu já conseguia ouvir aquele barulhinho de pica entrando numa xota. 

De vez em quando eu tinha que pedir pra ele ir mais devagar porque tava penetrando muito rápido e o barulho das suas bolas batendo na minha bunda poderia atiçar a curiosidade de algum pedreiro. Pouco tempo depois percebi que o ajudante estava pendurado na escada do lado de fora ajeitando alguma coisa na parede, por muito pouco ele não olhou pro lado e me pegou arreganhada pro Jefinho levando pirocada na buceta. 

Ele gemia no meu ouvido com uma voz rouca que eu desde sempre achei sexy, de vez em quando conseguia sentir o medo e o tesão que vinha do seu corpo. Jefinho entrava e saía de dentro de mim com força, eu tentava me concentrar vigiando a janela, mas rapidinho já estava de olhos fechados sentindo sua pica aqui dentro. Prestes a gozar ele saiu da minha pepeca e pressionou a cabeça do seu pau em cima do meu grelinho duro, a esporrada que saiu da sua piroca parecia que estava mijando de tanta porra que ficou em cima de mim. 

Me deixou toda gozada em cima do colchão.

Com todo cuidado pra não melar sua calça de porra ele se limpou usando minha calcinha e se deitou ao meu lado por uns segundos, mas não demorou muito afinal ele tinha muito serviço pra fazer. Do mesmo jeito que invadiu meu quarto ele saiu dali, agachadinho de 4 pra ninguém o flagrar saindo dali. No finalzinho do dia depois que já tinha ido todos embora percebi que no meu celular tinha umas mensagens - era ele me avisando que a mulherzinha tinha sentido o cheiro do meu perfume nele. 

Felizmente temos o mesmo cheiro e ela só imaginou que seu marido estava roubando seu perfume e não que estava comendo minha pepeca escondido. Depois desse dia não consegui sentar naquela piroca novamente, paguei um boquete na área de serviço aqui em casa, mas foi coisa rápida só pra ele se aliviar. Ainda consigo escutar o barulho dele me penetrando, me toco todas as noites antes de dormir pensando naquele safado me comendo daquele jeito outra vez. 

By - Sheillaxv

Comentários

Postar um comentário