O vizinho casado gozou dentro

Facilitando a visão da minha pepeca pro vizinho safado.

na laje do vizinho safado

Aquela janelinha de banheiro não serve pra outra coisa além de ser pra facilitar a vida dos pervertidos. Na minha casa tem uma que da de cara com a laje do vizinho, eu o percebia escondido atrás do tanque sempre que tomava banho. Nesses momentos eu aproveitava pra tocar uma siririca gostosa no chuveiro e pra ficar bem arreganhada pra deixar ele ver. 

Seu nome é Alan, é casado e mora apenas com a esposa; ela sempre vem aqui em casa para papear com minha mãe, por causa disso sempre que ela está aqui eu tenho certeza de que ele está sozinho então vou pro banheiro e ligo a luz pra avisar que estou lá dentro. Se ele realmente estiver só não demora muito para aparecer; ele vem devagarinho e fica entre os blocos até ter certeza que sou eu no chuveiro. 

Quando meu show particular começa já percebo sua piroca pra fora da cueca; sempre muito duro feito pedra, fico do outro lado morrendo de vontade de colocar na boca e rebolar gostoso em cima dele. Do banheiro consigo escutar tudo o que acontece dentro de casa, principalmente se eu desligar o chuveiro, e de vez em quando consigo escutar a mulher dele elogiando o marido na cama. 

Eu escutava aquilo como um conto erótico falado, sem tirar o dedo de dentro da minha pepeca eu me masturbava ouvindo a vizinha corna relatar o sexo deles dois, o macho sempre muito duro já procurava ela assim que chegava em casa, normalmente isso acontecia depois que ele descia da laje. Ela achava que era por causa do cochilo que ele tirava la em cima, mas nós dois sabíamos que na verdade ele ficava era me espiando. 

Logo depois o Alan descia pra torar a esposa na pica, ela dizia que sua gala saía tão forte depois do sexo que quase a fazia engasgar toda vez. Eu escutava aquilo e ficava doidinha; meu grelinho bem duro não se cansava de pedir carinho até eu gozar, mas tinha que me controlar ou alguém iria acabar escutando os gemidos que vinha do banheiro. 

Trepar com ele sempre foi uma fantasia que eu acreditava que jamais iria ser realizada afinal não tinha muito motivo pra que eu fosse na casa deles, minha vizinha era amiga da minha mãe e não minha e ficaria meio estranho se do nada eu resolvesse ser melhor amiga do marido pirocudo. Me contentei em ficar apenas na siririca até que pra minha surpresa minha querida vizinha inocente precisou fazer uma cirurgia e necessitava de alguém com ela durante o dia para as necessidades básicas. 

Tinha que dar comida pra mulher e ser comida pelo marido.

Minha mãe logo me indicou porque ela não poderia ir por causa do trabalho, então me arrumei sem fazer muita birra, por uns dias eu ficava indo lá direto e não acontecia nada demais entre eu e o marido da corninha. Eu dava banho na mulher dele e acabava ficando toda molhada porque tinha que entrar junto com ela, como as casas eram pertinho eu ia sempre muito a vontade e quase nunca usava sutiã. 

O horário do banho era sempre antes do marido chegar, mas naquele dia acabou coincidindo dele aparecer bem na hora que estávamos vestindo a roupa dela. Eu ainda estava com a blusa molhada na parte da frente e o bico do meu peito ficavam bem marcados, percebi que ele não parava de olhar e sempre tentava esbarrar nas minhas tetas. 

Quando terminei de arrumar a esposa dele eu inventei de lavar a louça que estava suja só pra aproveitar mais um pouco daquelas olhadas, fui pro pé da pia e sempre que possível ele passava atrás de mim roçando na minha bunda. Eu que nunca fui boba aproveitava pra empinar mais ainda minha bunda e ele percebeu; então a última vez que passou por mim ele ficou mais tempo que o normal e deu uma apertada no bico do meu peito. 

Dando de mamar pro casado safado.

Na maior cara de inocência ele me olhou e disse que era durinho e aproveitou pra segurar as duas tetas enquanto sua pica procurava minha bunda. Era errado e maldoso fazer isso com a esposa dele, mas não aguentei, dei um sorriso safado pra que ele pudesse perceber que poderia continuar com as carícias, e quando menos esperei o Alan estava ali mamando minhas tetas. 

Ele colocava um peitinho de cada vez na boca enquanto a outra mão dedilhava o biquinho, não demorou pra ele ir me arrastando pra área de serviço onde era mais escondido e daria tempo de disfarçar caso desse merda. Lá dentro ele foi se ousando mais e enfiando sua mão dentro da calcinha enquanto sugava minha teta como um bezerrinho. 

Quando menos esperei já estava nua e me apoiando na máquina de lavar pra levar pirocada na pepeca, coloquei minha mão em direção sua pica e senti o quão duro estava; era exatamente aquilo que minha vizinha descrevia ou até um pouco mais, parecia uma barra de ferro aquela jeba dele. 

Fiquei imaginando se aguentaria aquilo tudo dentro de mim quando senti sua estocada com força na minha bucetinha. Entrou rasgando e até pensei em gritar, tentei tapar minha boca usando minha própria calcinha, mas ainda assim soava alguns gemidos, minha vizinha super preocupada achando que era algum bicho que eu estava com medo, mas era apenas o bicho do marido dela me penetrando. 

Meus peitos saltavam no ar enquanto ele me comia, seu pau tava tão duro que parecia mais um consolo de plástico, acabei gozando ainda durante a penetração e desfaleci em cima da máquina. Ele metendo atrás de mim não parou até esporrar sua gala lá dentro, sem usar camisinha senti sua porra escorrendo pela minha perna e ele tirando devagarinho de dentro da minha buceta só pra ver sua porra descendo aos montes. 

Morri de medo de uma gravidez então fui correndo pra casa tomar a pílula que até esqueci de terminar os pratos, tive que voltar mais tarde pra terminar de lavar a louça e sentar outra vez no pau do casado.

By - Sheillaxv

Comentários

Postar um comentário