Deixei ele me encoxar na cozinha

Lavando a pepeca com o leite dele.

contos eroticos encoxada na cozinha


Eu tinha que lavar uma porrada de louça suja que tinha sobrado do aniversário do meu padrasto. No dia seguinte a festa o pessoal da família ficou pra ajudar, cada um tinha uma tarefa e por força do destino eu acabei ficando na cozinha. Eu estava sozinha até alguém colocar o marido da minha prima junto comigo, acho que na cabeça de quem pensou nisso essa seria uma punição por ele não estar fazendo nada, mas nas entrelinhas a gente dá umas paqueradas sempre que possível. 

Há muito tempo minha xota estava desejando que uma mão fizesse carinho nela, meu santuário estava literalmente prestes a abrir pros clientes e fizeram o favor de entregar a chave pro meu priminho safado. Dia sim dia não recebo fotos dele com o pau duro na mão ou então gozando, adoro nosso carinho e guardamos isso em segredo apesar de nunca ter acontecido nada demais além de um beijinho inocente na laje da minha casa. 

Um tempo antes disso eu pedi que ele gravasse a foda dos dois e sem nenhum pudor o safado me enviou o vídeo dele na cama trepando com sua mulher. Os dois são da igreja, na verdade minha família inteira é...acho que por isso sinto tanto tesão nesse proibidão. Mas só pra tirar a minha culpa da reta quem primeiro deu em cima foi ele, eu entrei na onda só porque sou safada mesmo. 

Quando meu priminho emprestado chegou na cozinha senti uma mão relando na minha bunda, logo senti um arrepio, minha tia estava concentrada na porta da geladeira bebendo água e nem percebeu o safado me bolinando. A piroca estufada fazendo aquela barraca e ele o tempo inteiro colocando algo na frente pra disfarçar a ereção, eu mal podia esperar pra ficar sozinha com ele e punhetar aquele mastro duro. 

Assim que ela voltou pro seus afazeres ele veio atrás de mim me encoxando contra a pia, meu short era fininho e logo senti seu pau duro atrás de mim, qualquer sinal de passos vindo em nossa direção ele saía correndo e ajeitava a pica ao máximo que podia de volta na roupa, em uma dessas vezes a cabecinha acabou ficando pra fora melando tudo com a babinha que saía da piroca. 

Buceta de puta sempre procura um dono casado.

Só de ver aquilo rapidinho minha pepeca começou a ficar molhada, tava tão ensopada que a calcinha já estava me incomodando. Quando ficamos sozinhos outra vez o traidor voltou a ficar atrás de mim; o safado beijava meu pescoço; mordia minha orelha e falava putaria sussurrando pertinho só pra eu sentir arrepios. O grelinho da minha buceta tão duro que até doía um pouco, eu tinha que ficar me alisando pra aliviar um pouco da pressão que estava sentindo. 

As vezes o celular dele vibrava e era a sua mulher mandando mensagem fofa pra ele, enquanto líamos as declarações apaixonadas uma de suas mãos estava atolada dentro da minha calcinha acariciando minha pepeca greluda. Fechei meus olhos enquanto era dedada pelo meu amante safado ele enfiava 2 dedos na minha xota e eu mordia os lábios tentando não gemer muito alto, senti ele baixando mais ainda minha calcinha e se preparando pra enfiar os dedos no meu cuzinho também, pensei em reclamar porque era muito arriscado, mas não deu tempo. 

Quando pensei em abrir a boca já estava sendo penetrada por trás. Não tive como não gozar naquele momento, quando o safado sentiu meu gozo em seus dedos ele tirou e me ajudou a colocar minha roupa de volta no lugar porque estávamos ouvindo passos de alguém chegando perto da gente. 

A pia de pratos não saía do lugar e toda hora que alguém aparecia ali reclamava da nossa lerdeza, em uma dessas vezes a esposa dele apareceu e quase me flagrou com uma teta pra fora da blusa, por sorte eu tava de costas pra porta e deu tempo de ajeitar, mas ainda assim meu sutiã torto dava sinais de que alguém mamou recentemente ali. 

Aquela rapidinha escondida é sempre mais excitante.

Qualquer corna normal se ligaria no que estava acontecendo, mas minha priminha tão inocente confiava na gente e depois de dar uma selinho no marido subiu pra arrumar os quartos. A boquinha que tinha acabado de beijar carinhosamente a esposa logo voltou pra mamar as tetas da priminha amante, ele dava mordidinhas e puxava me fazendo sentir em cada toque o tesão que ele estava sentindo. 

Com as duas tetas pra fora ele me virou de costas e me fez apoiar as mãos na pia, quando menos esperei já estava o safado ali com o pau pra fora babando e cheio de vontade de entrar na minha pepeca. Fiz um charminho óbvio, fiquei segurando meu short pra não dar tanta trela assim, mas acabei cedendo e até facilitei abrindo bem minhas pernas, então com uma cuspida na mão ele passou na cabeça da sua pica pra facilitar a estocada. 

Quando seu pau encontrou a entradinha da minha buceta estava tão melada de tesão que entrou facilzinho em mim, o traidor começou a bombar forte lá dentro, sentia suas bolas batendo na minha bunda como se quisessem entrar também na minha xana. 

Aquele barulhinho de sexo dava pra escutar até na sala, mas minha família fala tão alto que conseguiram cobrir o barulho da traição, de vez em quando tínhamos a sensação de que alguém estava vindo, mas o tesão tava tanto que não parávamos, não demorou muito pra eu gozar na sua piroca. 

Logo em seguida fiquei mole por causa do orgasmo e tentei convencer ele a parar de meter para não sermos pegos no flagra, mas recebi um tapão na minha raba seguido de um puxão no cabelo e aquela voz grossa no meu ouvido avisando que só iria parar depois de esporrar todo seu leitinho dentro de mim. 

Não demorou muito pra eu senti seu pau pulsar dentro da minha pepeca, uma estocada forte quase me suspendendo no ar, cada pulsada que seu pau dava em mim era um jato de porra me invadindo, quando seu líquido já tinha sido depositado ele saiu ajeitando sua piroca e voltando pra nossa tarefa. Suspendi meu short pro lugar sem ao menos tirar sua porra de dentro, minha calcinha virou uma piscina de esperma e eu tive que aguentar aquilo na minha xota até a hora do banho. 

By - Sheillaxv

Comentários