O pai da minha amiga me fez de putinha

O pai da minha amiguinha meteu a pica em mim.

novinha pussy

Eu o chamava de tio Lúcio, era o pai de uma amiga minha, nos finais de semana eu sempre ia dormir na sua casa com outras meninas. Eu gostava muito dele,  eu o achava lindo demais e vivia dizendo escondido por aí que iria casar com ele. 

Claro que todo mundo que ouvia achava apenas engraçado e não dava bola, eu também não ligava, eu falava na brincadeira porque gostava de parecer adulta. 

Eu me amostrava tanto que até fingia ter namorados, era tudo muito escondido dos meus pais, só fazia esse tipo de coisa longe deles e isso acabou abrindo brechas pra que me tocassem escondido. 

Eu ainda não tinha dado nem meu primeiro beijo quando isso aconteceu, eu já deixava uns meninos passarem o dedo na minha pepeca, mas não era nada demais; o beijo de verdade ainda não tinha acontecido. 

Tudo aconteceu num final de semana que fui dormir na casa da minha amiga, meu pai me deixou na casa do tio Lúcio na sexta de noite, ele apertou a mão de tio Lúcio e disse que qualquer coisa de errado que eu fizesse poderia me dar umas palmadas. 

Até que levei mesmo essas palmadas, mas por um motivo diferente. Depois que entrei fui logo em direção ao quarto da minha amiguinha, deixei minha mochila nas costas de tio Lúcio e ele foi entregar logo em seguida. 

Já era meio tarde quando chamaram a gente pra tomar café, depois teve o banho e logo depois todo mundo já tinha capotado, mas eu ainda estava acordada por causa da minha dificuldade em dormir, então eu fui ao banheiro e no meio do caminho eu encontrei o tio sentado no sofá assistindo. 

Quando me viu ele me chamou perguntando o porque de eu estar acordada até uma hora daquelas, estava prestes a seguir meu caminho até o banheiro quando ele insistiu que eu fosse até ele. 

Ele aproveitou que sua filha estava dormindo pra passar a mão em mim.

Fiquei parada na sua frente perguntando o que tinha acontecido, tio Lúcio me fez sentar em uma de suas pernas e disse que queria conversar comigo sobre umas coisas que eu tinha feito. 

Ele começou a falar que tinha descoberto que eu ficava falando pras minhas amigas que eu iria me casar com ele e que aquilo era errado, dizia que meu pai iria ficar bravo comigo se soubesse daquilo então eu comecei a chorar. 

Implorei pra que não dissesse nada, mas ele ficou quieto e apenas aproximou sua mão do meu rosto, ele enxugava minhas lágrimas e dizia que não precisava ficar daquele jeito. 

Pelo cantinho da sua boca eu conseguia ver um sorriso, mas não conseguia entender porque, logo em seguida ele quebrou aquele silencio e disse que aquilo era errado porque pessoas casadas faziam coisinhas que eu ainda não entendia o que. 

Aquilo atiçou minha curiosidade e eu insisti em saber o que era, eu prometi não contar pra ninguém e até parei com o choro. Tio Lúcio pediu pra eu adivinhar e eu fiquei com vergonha, não queria responder, mas ele insistiu, pra não ficar por baixo eu falei que pessoas casadas beijavam na boca. 

Foi aí que ele perguntou se eu queria um beijo na boca dele, fiquei quietinha em seu colo enquanto sentia sua mão forçando minha nuca pra ir de encontro aos seus lábios. 

Resisti um pouquinho e então ele perguntou se eu não queria mais casar com ele, não sei o que me deu pra responder que queria casar sim. Deixei que ele me beijasse, e mesmo sem experiencia eu abri minha boca e deixei que aquele safado enfiasse sua  língua dentro de mim. 

Tio Lúcio se deitou no sofá e me fez deitar em cima dele, ele roçava meu corpo em cima do dele e me beijava com força. Fiquei com medo de alguma amiguinha minha acordar e flagrar aquilo e comecei a me debater pedindo que parasse, tio Lúcio parou de me beijar e me olhou com uma cara de safado perguntando se eu não queria mais beijar o meu marido. 

Eu respondi que tava com medo de alguém pegar a gente e então ele me chamou pra ir ficar no seu quarto, tio Lúcio me levou no colinho pro seu quarto. Era uma cama de casal enorme que ele me deitou com muito carinho de pernas abertas e logo em seguida se deitou em cima de mim. 

O pai da minha amiga me fez de sua esposinha aquela noite.

Ele me beijava o corpo inteiro, chupava cada pedacinho de mim e voltava pro meus lábios. As vezes sua boca chupava bem pertinho da minha buceta e eu ficava toda arrepiada, tio Lúcio logo percebeu que eu tava gostando daquilo e foi tirando minha roupa bem devagarinho, fiquei completamente nua na sua cama. 

Vi sua pica crescendo dentro do seu short fazendo um volume de barraca armada, não demorou muito pro seu pau pular pra fora, era enorme e cheio de veias. 

Fiquei sentada na cama encostada na parede, tio Lúcio estava na minha frente me fazendo punhetar sua piroca enquanto ele tocava na minha bucetinha. 

Ele enfiava o dedo todo dentro de mim, eu estava molhadinha e nem sentia dor na sua penetração, tio Lúcio vendo aquilo logo caiu de boca na minha pepeca. 

Eu ainda estava sendo chupada quando escutamos um barulho de alguém batendo na porta, era a filha dele perguntando por mim, ninguém respondeu até que ela cansou e foi embora. 

Meu grelinho continuava sendo devorado por aquela boca, não demorou muito pra eu ter um orgasmo com aquilo, fiquei um pouco tremula e apertei minhas pernas na sua cabeça, vi aquele sorriso safado no rosto como se estivesse orgulhoso por aquilo. 

Ele se levantou e me colocou de 4, enquanto me ajeitava ele dizia que agora seria a vez dele. Tio Lúcio não usava camisinha e meteu sua piroca com força dentro da minha pepeca, a primeira estocada doeu muito, mas minha buceta logo foi se acostumando. 

Tio Lúcio pedia pra eu o chamar de titio enquanto me penetrava, ele mandava eu pedir pro titio meter mais forte e quando eu não o obedecia eu apanhava no rosto. 

Comecei a sentir seu dedo tentando enfiar no meu cuzinho e tranquei pra evitar a penetração, não adiantava muita coisa, mas parecia que a minha resistência deixava ele mais excitado, tio Lúcio chegava bem pertinho do meu ouvido e sussurrava pra eu me abrir pra ele. 

Fui fodida em todos os buracos, acho que acabei desmaiando de tanta dor antes da foda acabar, na buceta tinha sido gostoso, mas no cuzinho doeu tanto que eu fechei os olhos pra aguentar a pressão e capotei. 

Acordei cedinho no dia seguinte com a pepeca vermelha e cheia de porra no cuzinho, quando fui tomar café eu encontrei minha amiguinha perguntando o porque eu tinha ido dormir com o papai dela e ele respondeu que eu tinha ficado com medo de dormir longe de casa. 

By - Sheillaxv

Comentários

Postar um comentário