Putinha novinha espiando macho no banho

Putinha desde pequena esperando os machos entrar no banheiro pra eu espiar a piroca gostosa.

contos eroticos putinha safada

Não lembro ao certo a idade que tinha nessa época, mas lembro-me de já gostar de me masturbar. As vezes eu me escondia no quarto debaixo da cama pra ficar tocando siririca, claro que sempre na inocência mas ainda assim eu amava aquela sensação que vinha no final. 

Quando tinha muita gente em casa eu ficava só com a cabeça pro lado de fora para se caso alguém aparecesse; daria tempo de tirar a mão da minha pepeca. O tempo foi passando e eu fui crescendo, já entendia muito mais coisas sobre o que eu fazia, já era bem viciadinha em sexo, mesmo sendo tão novinha. 

Acho que eu tinha uns 15 anos quando meu pai mudou de emprego e passou a ser motorista de ônibus. Por causa da sua profissão a gente em casa tinha bastante contato com os amigos de papai, alguns deles até dormiam lá em casa no quarto de hospedes. 

Eles sempre me tratavam muito bem e como sabiam que eu gostava muito de chocolate; até faziam o mimo de levar pra mim. Ainda nessa época eu peguei o vício de ficar espiando os amigos de papai tomando banho. O banheiro em nossa casa ficava no corredor e bem pertinho dele era o meu quarto. 

Eu esperava todos se acomodarem na sala pra que eu pudesse espiar pela fechadura, logo em seguida eu corria pro meu quarto e ficava debaixo da cama só com a cabeça pro lado de fora enquanto meus dedos tocavam minha pepeca. 

Tava tão acostumada com aquilo que de vez em quando eu me tocava ali mesmo em pé, principalmente quando quem estava tomando banho era o Roquinho, era assim que meu pai o chamava, ele era bem mais novo que meu pai e trabalhavam na mesma empresa. 

Quando ele chegava em minha casa eu sempre ficava no seu colo pra dar as boas vindas. Ele dizia que era meu segundo pai e até me dava umas broncas de vez em quando, assim que ele chegava eu ia pro seu colo e só descia quando ele ia tomar banho. 

Enquanto estava sentada ali eu sempre sentia algo duro na minha bunda, já sabia que era sua pica e sempre tentava sentir mais um pouco. Depois de um tempo comecei a diminuir a quantidade de roupas que usava pra sentar em seu colo até que cheguei ao ponto de usar apenas uma saia bem rodada e uma calcinha bem larga só pra sentir sua rola mais perto da minha pele. 

Ainda lembro das caras e bocas que Tio Roquinho fazia quando eu estava em seu colo, ele ficava me puxando pra fora do seu pau, mas eu sempre voltava pra ficar em cima. Quando papai não estava olhando ele fingia brincar comigo de cavalinho, mas eu já estava grande demais pra aquilo; eu deixava ele brincar assim só porque gostava de sentir seu pau duro. 

Meu grelinho ficava duro doida pra sentir a pica roçando na pepeca.

Na cabeça do tio Roquinho eu era a menina inocente e ele fazia de tudo pra que eu não percebesse suas passadas de mão no meu corpo. Um dia, sem querer, ele acabou passando a mão por baixo da minha saia e viu que minha calcinha não estava cobrindo minha pepeca direito. 

Na mesma hora ele olhou pra mim com uma cara quase me comendo com os olhos e disse que tinha sido sem querer, não demorou muito pra que ele me pusesse pra fora do seu colo e fosse pro banho. 

Fui igual uma viciada em sexo pra ver meu titio lavando a piroca dele, mas nesse dia ele fez diferente...antes de se lavar ele ficou massageando sua piroca até esporrar seu leite na parede, ficou tudo sujo e ele esqueceu de limpar. 

Assim que o amigo de papai saiu do banho eu entrei no banheiro e fui conferir o leite que havia ficado ali. Porém, eu esqueci de fechar a porta e fui flagrada cheirando a porra do tio, ele só ficou ali parado esperando pra ver até aonde eu iria. 

Eu estava prestes a lamber sua gala quando percebi a sua presença e me virei assustada já me tremendo tentando explicar o que eu tava fazendo. Tio Roque não se importou muito, ele segurava seu pau quando me virei, enquanto eu sussurrava pedindo pra não contar pra ninguém eu senti que ele tocava meus peitos e olhava pros lado pra se certificar que não estava vindo ninguém. 

Seus dedos começaram a descer até alcançarem minha pepeca, eu tava molhadinha sentindo seus dedos me tocando. Papai me chamou quando tio Roque estava coçando bem na entradinha da minha buceta, tive que ir atender meu pai, mas ainda naquela noite acordei com algo futucando minha xota. 

Meio sonolenta quase não abri os olhos, estava gostando daquela sensação, era como se alguém tivesse sugando meu grelinho. Quando acordei de verdade eu já estava completamente nua da cintura pra baixo, tio Roquinho estava de joelhos na frente da minha buceta com sua pica apontada na direção da minha xana. 

O medo de ser flagrada pelo meu pai não era tão grande quanto a putinha que existia em mim.

A única coisa que separava aquela cena de putaria dos olhos do meu pai era uma cortina bem velha bordada das princesas. Papai roncava no quarto ao lado e isso deu confiança pro seu amigo cravar sua piroca dentro de mim, na hora que entrou eu tentei sair dali, a primeira estocada doeu, porém seu peso todo em cima de mim não me permitia fazer muita coisa... 

Minha pepeca estava bem lubrificada e não durou muito aquela sensação de dor, logo foi anestesiando e a dor começou a se tornar uma coceirinha gostosa na minha pepeca e a sua pica entrando e saindo dentro de mim ajudava a coçar. 

A mão dele parou de tapar minha boca na medida que fui ficando quietinha, rapidinho eu senti sua língua entrar na minha boca... ele chupava meus lábios e ficava dizendo coisas safadas no meu ouvido. Ele sussurrava perguntando se eu tava gostando da jeba dele e quase sem voz eu respondia que sim, fazíamos o possível pra não ter muito barulho. 

Pendurada na sua rola o tio Roque me levou pro chão com umas almofadas pra não deitar no chão duro, ele começou a bombar bem mais forte e rápido dentro de mim. Suas bolas faziam um barulhão quando batiam na minha bunda, mas aquela altura ele já não ligava muito. Tio Roque estava prestes a gozar dentro da minha menininha e me levou pro chão pra esporrar com mais vontade. 

Numa última estocada que ele deu dentro de mim eu senti seus jatos de leite me invadindo, ele nem se preocupou em usar camisinha, acho que nem tinha, né? que pessoa doida planejaria trepar daquele jeito numa casa com apenas uma menina de 15 anos? Tio Roque saiu de cima de mim com kilos de culpa e se deitou ao meu lado, vi sua pica ficando mole enquanto seu leitinho escorria da minha pepeca

Ele ficava pedindo pra eu não contar pra ninguém e que aquilo era nosso segredinho. Ele me prometeu que no dia seguinte me daria um chocolate bem gostoso se eu guardasse nosso segredo, como eu fiquei quietinha; eu continuei ganhando chocolate sempre que o amigo de papai ia dormir na minha casa. 

By - Sheillaxv

Comentários