Chupando o pirulito do meu irmão

O filhinho novo do meu pai me fez chupar a pica dele.

teen sexy

Tiago é meu irmão, não é de sangue, mas eu o considero como se fosse porque desde que me entendo por gente convivo com ele. Meu pai sempre teve o desejo de ter um filho homem e tentaram por diversas vezes, mas aí eu nasci com uma bela de uma pepeca pra frustar o sonho do meu pai. 

Nessa época ainda morávamos no interior, todo mundo se conhecia e por força maior depois de uns meses após meu nascimento meu pai trouxe pra casa o Tiago. 

Ele já era bem grandinho e como só tinha dois quartos na casa eu acabei ficando no mesmo que meu novo irmão. Nossa diferença de idade é de uns 4 anos e por isso eu peguei todas as fases do meu irmão. 

Minha cama era em frente a dele e as vezes na madrugada quando eu levantava pra ir ao banheiro eu via um movimento rápido acontecendo debaixo das cobertas do meu maninho, eu nunca o incomodei pra perguntar o que era aquilo. 

Outras vezes eu olhava em sua direção já pela manhã e percebia um volume bem grande estufando os lençóis, parecia uma barraca, eu ficava espiando até ele acordar aí então eu disfarçava e corria pro banheiro.

Meu maninho percebeu que eu gostava de espiar sua punheta e parou de se cobrir.

Quando foi ficando mais velho ele parou de cobrir suas carícias na pica durante a madrugada, eu o flagrei diversas vezes fazendo seu pau soltar seu leitinho. Era sempre de manhã cedo tipo umas 5 horas da manhã antes dele levantar pra ir ao colégio. 

Logo em seguida meu irmãozinho levantava pra ir tomar banho, eu continuava quietinha escondida debaixo do lençol, quando eu queria assistir aquilo eu acordava cedo e abria uma gretinha, eu acreditava que ele não poderia me ver porque eu ficava bem escondida. 

Mas depois de um tempo eu descobri que meu maninho só deixava a luz acesa pra eu conseguir flagrar sua punheta. Parecia que aquilo não aliviava, quanto mais o tempo passava mais ele tocava uma, então eu comecei a observar que toda vez o Tiago assistia uns vídeos de mulheres brincando com a buceta, meu maninho se esbaldava naquilo e deixava a barriga toda suja de porra. 

Minhas calcinhas também foram parar na brincadeirinha dele, meu irmão depois de gozar deixava minha calcinha suja de porra em cima da sua cama e ia tomar banho. Eu ficava doida de vontade de tocar pra sentir a textura daquela coisa branca, um dia eu tive coragem o suficiente de levantar e ir até sua cama. 

Cheguei bem pertinho e fiquei de joelhos, aproximei meu rosto de onde estava minha calcinha e dei uma bela de uma cheirada, era estranho, mas lá no fundo eu curti. 

Fiquei tentada a passar minha língua, mas me contive, eu ficava ligada pra não ser flagrada fazendo aquilo pelo meu maninho, porém não adiantou de nada; fui pega no momento do crime passando o dedo na sua gala. 

Meu irmão abriu a cortina do nosso quarto de vez e me viu fazendo aquilo, ele deu um grito perguntando o que eu tava fazendo, me assustei e pedi pra ele falar mais baixo pra não acordar nossos pais. 

Morria de medo do meu pai brigar comigo e me bater, fui até meu irmão e o abracei pedindo desculpas, ouvimos meu pai perguntando lá do quarto dele o que eu tinha feito e meu irmão gritou respondendo que já tinha resolvido. 

Meu pai todo orgulhoso do filho macho dele nem se deu ao trabalho de ir até o quarto verificar, ficamos naquela até quase meio dia quando nossa aula terminou. Quando cheguei em casa da escola eu fui direto pro quarto pra esperar minha mãe ou meu pai aparecer pra me bater por ter feito aquilo. 

Mas ninguém veio e eu acabei pegando no sono, quando acordei meu maninho tava deitado ao meu lado, pedi pra ele não contar aquilo pra ninguém e ele me perguntou se eu fazia sempre aquilo. 

Meu maninho ficava perguntando se eu gostava de sentir o gostinho da porra dele, mas eu não sabia o que dizer, na dúvida eu acabei confirmando e percebi o sorriso nascendo no rosto do meu maninho. 

Foi naquele momento que o Tiago percebeu a mina de ouro que ele tinha ao lado da sua cama, a partir daquele momento eu virei o depósito de porra do meu irmão. 

Mas ele não foi agressivo, logo depois de ouvir que eu gostava do seu leite ele perguntou gentilmente se eu queria sentir o gostinho direto da fonte, outra vez eu respondi que queria e ele colocou pra fora aquela piroca já bem dura. 

Ele já era bem esperto, era grande e tinha um corpo muito bonito, as meninas na minha escola viviam falando que iriam namorar com meu irmão. Depois de sacar sua jeba pra fora ele me mandou colocar a boca e chupar até sair o leitinho, mas eu não sabia fazer aquilo e só segurei com minhas mãos repetindo aqueles movimentos que ele costumava fazer na madrugada. 

Eu aprendi direitinho vendo ele se masturbar escondido, mas não era o suficiente, meu maninho queria sentir minha boca no seu pau e começou a tentar me convencer a chupar ele. Ele ficava dizendo que era pra chupar como se fosse um pirulito e só parar quando eu sentisse o leite dele saindo de sua pica. 

Com muita relutância eu coloquei seu pirulito na minha boca, enfiei apenas a cabecinha porque não entrava tudo de vez, meu maninho ficou encostado na parede de olhos fechado pedindo que eu chupasse cada vez mais. 

Comecei a chamar sua pica de pirulito porque a cabeça era bem rosinha e tinha um gosto docinho, nesse dia meu maninho encheu minha boca de porra, me assustei quando aquele jato veio de vez e joguei tudo fora. 

Recebi um tapa no rosto por ter feito aquilo, meu irmão me repreendeu dizendo que da próxima vez era pra eu engolir tudinho. Nos dias seguintes a gente fazia aquilo toda noite antes de dormir, as vezes antes dele ir pra escola eu chupava seu pirulito também, não demorou muito e eu acostumei a engolir sua porra. 

O sinal da putaria era perguntar se eu queria um pirulito.

Com o tempo ele nem precisava pedir mais uma chupadinha, eu ficava esperando ele entrar no quarto e as luzes da sala serem apagadas e então eu ir pra cama do meu irmão, em uma dessas noites ele acabou pedindo pra fazer o mesmo com minha buceta

Fiquei sem calcinha na cama do meu irmão de consideração, abri minhas pernas e ele enfiou sua língua dentro de mim, nesse mesmo dia meu maninho penetrou sua pica na minha pepeca. 

Nossa cama fazia barulho e por isso o Tiago começou a montar uma caminha no chão com vários lençóis, depois ele me deitava ali completamente nua, abria minha pernas e mirava sua piroca no meio da entradinha da minha buceta. 

Ele entrava e saía dentro de mim, quando terminava a minha buceta sempre estava lotada de leite, mas eu não podia tomar banho porque não teria como explicar o motivo daquele banho tão tarde da noite. 

Então eu guardava a porra do meu maninho dentro de mim até o dia seguinte. Eu chamava ele por um apelido carinhoso que meu pai mesmo colocou nele, Tiago era o nosso ''Tintim'' meu maninho que me fazia chupar o seu pirulito até sair leitinho.  

By - Sheillaxv

Comentários