O montador de móveis chupou minha pepeca

Sozinha em casa com o montador safado doido pra fuder.

montador safado me comendo

Quando eu tinha lá pelos meus 16 anos a minha mãe resolveu que mudaria todos os móveis velhos de casa. A mulher fez uma limpa tão grande em casa que por pouco não colocou os filhos e o marido pra fora. Foram quase 2 meses com ela escolhendo e namorando cada móvel na loja até que finalmente mamãe escolheu uma estante para nossa sala. 

Minha mãe nessa época trabalhava o dia inteiro na mesma empresa que meu pai, eu ficava sozinha pela tarde em casa depois do colégio, meu irmão trabalhava no mercadinho aqui perto e eu fiquei responsável por receber os entregadores e esperar o montador que viria no mesmo dia. 

Achei meio merda isso porque sempre dava uma fugidinha de casa quando chegava do colégio...no maior tédio fiquei esperando o bendito montador, minha mãe ligava a cada 10 minutos com regras de outro mundo avisando que eu deveria me comportar e não atrapalhar o montador, tampouco usar short muito curto. 

Quando o montador chegou eu dei um salto do sofá bem assustada porque tinha pego no sono, como sempre eu usava um shortinho de pano quase de dormir, eu realmente esqueci das ordens de mamãe e deixei que aquela homem desconhecido se deparasse comigo daquele jeito. Ele me olhou dos pés a cabeça antes de entrar, achei constrangedor mas deixei pra lá. 

Eu o acompanhei até o lugar onde deveria ser feito o trabalho e me sentei no sofá pra acompanhar o serviço. Sentada no sofá as minhas coxas faziam um belo volume na frente dele que nem escondia as rabadas de olho. A televisão estava ligada na novela da tarde e passava um casal simulando um ato sexual. 

Do nada ele vira pra mim e pergunta se minha mãe me deixava assistir aquelas coisas, eu queria pagar de adulta, porém fui super infantil quando disse que ela nem imaginava que eu via aquilo, na cabeça dele eu deveria ser uma verdadeira putinha...e de fato, eu era, mas naquele momento eu só queria parecer mais adulta. 

Começamos a conversar depois disso, ele me perguntava sobre meus namorados e se eu contava tudo pra minha mãe, assim que eu respondi que não falava nada do que fazia pra ela; ele veio me perguntando se eu teria coragem de ficar com um homem mais velho. Daniel não era tão velho assim, ele devia ter uns 40 e poucos anos, tava meio acabado mas era de tanto fazer serviço pesado, aparentemente ainda dava no coro. 

Ele tinha uma barriguinha saliente que fazia um certo volume naquele macacão, seus cabelos já estavam nitidamente ficando grisalhos e aquela barba dava um ar de homem bravo. Ele perguntou aquilo olhando bem no fundo dos meus olhos, fiquei calada por uns instantes olhando fixamente pra ele e o vi descer seu olhar pro meu corpo. 

O safado me comia com os olhos.

Ele parou no meio das minhas pernas e repetiu aquela pergunta indiscreta. Antes de eu abrir a boca ele se sentou ao meu lado e colocou aquela mão áspera e gelada em cima da minha coxa. Daniel ficava passeando seus dedos em cima da minha perna até minha barriguinha.

Ele parava em cima dos meus peitos e olhava pra mim pra ter certeza que eu ficaria quietinha, como eu não dizia nada ele só pegou minha mão e acompanhou até ficar em cima de seu pau. Por cima da calça eu sentia aquela jeba já bem dura, ele me guiou até a ponta e me fez apertar forte a cabecinha de seu pau, na mesma hora ele deu um gemido forte pedindo pra que eu continuasse a fazer aquilo sozinha. 

Não demorou muito pra que aquela piroca desse o ar das graças dentro da minha boca, rapidinho eu estava mamando o montador. Sua pica tinha um gosto salgado, estávamos já beirando o final do dia e o gosto dele era de um homem que passou a tarde inteira trabalhando. 

Enquanto eu o chupava ele apertava o biquinho dos meus peitos tentando colocá-los pra fora, ele me colocou em cima do seu colo e pediu pra que eu tirasse minha roupa. Fiquei completamente nua raspando minha pepeca na pica dele. Daniel então começou a chupar meu peito, ele mordiscava o biquinho e me fazia punhetar sua piroca enquanto isso. 

Minha pepeca molhadinha esperando sua pica penetrar gostoso.

Aquele pau babando em minha mão logo encontrou o caminho da minha pepeca, fiquei deitada no sofá bem arreganhada esperando o montador entrar em mim. A cabecinha entrou fácil depois que ele me lambuzou toda com a babinha que saía da sua pica, minha perna ficava tremendo enquanto ele metia em mim, acho que era medo de ser flagrada de pernas abertas pra ele. 

Meu irmão poderia chegar a qualquer momento, mas ainda assim eu queria estar ali sendo penetrada por ele. Daniel aumentava o ritmo e o sofá me fazia quicar de volta pro seu pau, ele bombava dentro de mim tão forte que eu sentia suas bolas batendo em minha bunda. Seu leitinho escorria da buceta pro meu cuzinho em cada estocada que recebia dele. 

O safado mal tinha começado a montar as coisas e já tinha tirado completamente minha roupa. Quando estava prestes a gozar ele me perguntou se eu queria engolir seu leitinho, eu não gostava muito de engolir porra, já tinha experimentado antes e odiei. 

Foi quando eu ainda estava pensando na resposta que o montador pervertido veio pra cima de mim e soltou seus jatos de porra todo na minha cara. Tive que tomar um banho depois da meleira que ele tinha feito em mim, na volta pra sala eu estava mais comportada e sentei novamente no sofá pra esperar ele terminar o serviço. 

Meu irmão foi o primeiro a chegar, a sala ainda tava com um cheiro sexo e tinha uma marquinha da gala do montador que eu esqueci de limpar no sofá. Meu maninho perguntou o que era e tive que inventar a desculpa de que era leite condensado, passei o dedo pra limpar e lambi na frente dele só para provar que era mesmo o leitinho.

By - Sheillaxv

Comentários

Postar um comentário