Pequena putinha

Aprendi a ser putinha desde pequena com a minha mãe.

chupando pica do meu irmão

Minha mãe quase não aproveitou sua adolescência, ela teve filhos muito cedo e abandonou boa parte de sua vida pra se dedicar na criação da gente. Eu digo a gente porque tenho um irmão mais velho fruto de uma relação passageira da minha mãe com um cara que ela mal conhecia. 

Minha mãe era bem novinha mesmo quando teve meu irmão, e por isso minha vó colocou ela para trabalhar antes de terminar o colégio. 4 ou 5 anos depois do meu irmão nascer a minha mãe me teve, também fui fruto de uma relação passageira. 

Minha mãe por causa disso se aproximou da igreja porque achava que tinha algo de errado com ela. Mamãe sempre se entregava pros homens descarados que passavam em sua vida e isso acabou custando caro. Hoje eu tenho 21 anos, mas lembro que aos 14 a minha mãe meio que parou de ir a igreja. 

Nem eu nem meu irmão gostávamos de ir, então foi estranho, mas particularmente; adorei muito. Minha mãe estava disposta a todo custo a encontrar um homem pra ela. Nas festas que tinha aqui no bairro ela sempre ia e voltava acompanhada. 

Mamãe tentava fazer o mínimo de barulho possível, mas nossa casa simples não tinha porta nos cômodos e então apesar dela tentar o tempo inteiro abafar seus gemidos; ainda conseguíamos ouvir o barulho das estocadas que os machos davam em sua pepeca. 

Com 14 aninhos eu passei a ficar escutando as trepadas da minha mãe escondido, eu chegava bem pertinho da cortina e abria o mínimo possível pra que eu pudesse assistir a foda. 

Era gostoso, minha buceta piscava quando eu via aquilo... minha mãe de 4 esperando aqueles desconhecidos atolarem a piroca dentro dela era tão excitante, por diversas vezes fiquei ali parada me tocando enquanto assistia o melhor pornô ao vivo. 

Foi por causa disso que comecei a me tocar vendo vídeo pornô, mas ali pessoalmente tinha um gostinho especial. Em pé mesmo eu gozava. Aquilo já estava virando rotina pra mim, eu estava tão acostumada com aquilo que por uns segundos até esquecia que tinha irmão que também escutava  a foda da minha mãe. 

Um dia, por desleixo meu, meu irmão acabou me flagrando deitada no chão tocando minha buceta enquanto vigiava a foda de mamãe. Meu short naquele momento estava na altura do meu joelho, minha calcinha de pano estava enganchada no meu short e meus dedos tateavam minha pepeca molhadinha

De mansinho meu irmão foi chegando atrás de mim, quando percebi sua presença eu estava quase gozando. Eu acompanhava a foda de mamãe por baixo da cortina, ali deitada eu conseguia ver a piroca que entrava e saía da sua buceta, as bolas dele batiam em sua coxa e ela tentava morder o travesseiro pra não fazer barulho. 

O safado daquele homem tentava incansavelmente enfiar o dedo dentro do seu cuzinho e minha mãe toda submissa pedia pra ele parar. Naquele mesmo momento meu irmão me pegou no flagra, ele já estava em cima de mim quando percebi sua presença, ele se deitou nas minhas costas e abriu a cortina pra ver o que tava rolando. 

Meu irmão chamava minha mãe de puta safada, a pica dele estava dura colando na minha bunda e o peso dele em cima de mim machucava minha mão, quando tentei tirar, ele acabou percebendo. Esse foi o momento que tudo começou, meu irmão foi me conduzindo até seu quarto e me colocou sentada em cima da sua cama. 

Eu mal tive tempo de suspender minha roupa de volta pro lugar, fui arrastada pro seu ninho com meu rabo todo de fora. No caminho ele enfiou seu dedo em minha pepeca e só tirou depois que eu sentei na sua cama. 

Meu maninho safado se aproveitou daquilo pra meter a pica em mim.

Meu irmão estava com cara de bravo, ele me perguntava se eu sabia que o que eu estava fazendo era errado, eu não sabia o que dizer...fiquei quieta pedindo desculpas enquanto ele falava horrores. Ele ficava dizendo que contaria pra mamãe e eu implorava que isso não acontecesse. 

Hoje eu sei que ele só estava fazendo aquilo pra que eu ficasse mais fácil pra ele. Meu irmão se aproveitou daquela situação para propor para mim que só não contaria nada a minha mãe se eu fizesse um agrado nele. 

Eu concordei e me levantei para suspender meu short que ainda estava fora do lugar, mas fui interrompida por ele que me fez sentar em seu colo ainda nuazinha. Meu irmão ainda usava aquele short de dormir super folgado. Sua pica ficava saindo na medida que eu me mexia em seu colo. 

Minha pepeca molhada lubrificava a perna dele implorando pra ser fodida.

Percebi um molhado na perna do meu maninho , minha pepeca encharcada estava sujando sua piroca e sua perna, meu irmão vendo aquilo ficava doido.  Senti seu dedo tocando meu grelinho enquanto sua outra mão conduzia minha cintura nos movimentos. 

Até que era gostosinho aquilo, parecia o que minha mãe estava fazendo no outro quarto.  Escutamos um gemido forte vindo de lá e do nada tudo ficou calmo, meu irmão ainda de pau duro chegou bem pertinho do meu ouvido e disse que o homem já tinha esporrado na pepeca da nossa mãe e que agora seria a vez dele de fazer o mesmo em mim. 

Ele foi me deitando na cama e abrindo minhas pernas, minha buceta molhada estava pingando melzinho e escorrendo pelo meu cu por causa da posição que ele tinha me colocado. Meu maninho passava o dedo espalhando até que abocanhou minha buceta como se estivesse passando fome. 

Era estranho sentir sua boca ali, eu tava com vergonha de ficar toda aberta, mas ao mesmo tempo era tão gostoso que eu sentia vontade de apertar sua cabeça com força entre minhas pernas. A vontade de gozar veio enquanto meu irmão ainda me chupava. 

Senti meu corpo estremecer e logo em seguida cheguei ao orgasmo. Meu irmão havia acabado de completar seus 19 anos, seu corpo era muito maior e mais forte que o meu. Ali em baixo dele eu parecia mais um boneca prestes a ser penetrada. 

Quando ele mirou sua pica na entrada da minha buceta eu senti um misto de medo com vontade de ser penetrada logo. Aquela cabeça vermelha parecia me chamar pra quicar em cima dele. Meu irmão tinha um saco grande igual o homem que havia acabado de comer mamãe, meu maninho ficou um tempo punhetando seu pau antes de enfiar em mim. 

Enquanto ele se tocava e olhava pra mim eu percebi uma babinha escorrendo do seu pau e melando sua cama, ele tava tão excitado que parecia que iria explodir se não me comesse. Me segurando pela cintura o safado mirou sua piroca na entradinha da minha pepeca. 

Ele disse que só queria brincar na portinha e eu acreditei, ele roçava seu pau tão gostoso que eu acabei relaxando. Quando ele percebeu que eu havia ficado mais calma ele meteu de vez dentro de mim, na mesma hora ele tapou minha boca pra que eu não gritasse. 

Senti sua piroca entrando como se tivesse me rasgando, a primeira estocada doeu como nunca, mas eu tava tão lubrificada que foi passando na medida que meu maninho fazia um vai e vem dentro de mim. 

Tinha que ser tudo bem devagarinho e sem fazer movimentos bruscos pra que nossa mãe não nos escutasse, mas meu maninho não conseguia se conter e aumentava o tempo inteiro o ritmo das bombadas dentro da minha pepeca. Sem pensar duas vezes ele me carregou no colo e me levou pro chão gelado e sem nenhuma proteção. 

Uma parte de mim morria de medo de ser flagrada naquela posição pela minha mãe, mas a outra estava prestes a gozar pela segunda vez com a piroca atolada na buceta.  

Naquela momento me senti tão puta quanto a minha mãe, gozei logo depois de sentir a porra do meu irmão dentro de mim, ele continuou metendo na pepeca só pra ver seu leitinho escorrendo de dentro de mim.  

Depois de me deixar toda esporrada ele só guardou o pau e deitou na cama pedindo que eu desligasse a luz ao sair. Não tinha como me limpar direito e eu voltei pro meu quarto com a buceta despejando leite na minha calcinha, no meio do caminho eu encontrei o macho da minha mãe que estava indo ao banheiro. 

Ele me olhou dos pés a cabeça, eu tava doida pra fazer xixi, mas tive que desistir quando senti a porra do meu irmão escorrendo pela minha perna, voltei correndo pro quarto e esperei ele sair dali. 

No dia seguinte eu meio sonolenta tive a impressão de que alguém estava tocando minha buceta, mas eu estava com tanto sono que acabei dormindo de novo, quando me levantei de vez; percebi que minha calcinha estava suja com uma gosminha branca. 

Não contente em comer apenas minha mãe aquele safado acordou de madrugada pra gozar em mim também, morri de raiva quando vi aquilo em mim; mas não por ter sido esporrada, fiquei com raiva dele não ter me acordado para brincar um pouquinho também.

By - Sheillaxv

Comentários