Ele achou que eu fosse muda e me comeu

São joão no interior é certeza ter muito milho e gente desconhecida aparecendo do nada só pra comer. Por sorte ou azar meu pai faz aniversário no mês das festas juninas e por isso a gente sempre passa no interior pra aproveitar o clima e comemorar seu aniversário. 

Meu pai faz uma fogueira na casa do meu tio avô e chama alguns de seus amigos; o problema é que esses amigos chamam outros amigos e sempre acaba acontecendo de ter gente que malmente conhecemos. Outra grande merda que acontece é que fico gripada nesse período e sempre acabado ficando sem voz de tão rouca. 

Por causa disso eu evitei conversar muito na festa do meu pai e me isolei num cantinho da casa. Eu estava comendo milho quando um homem que eu não fazia ideia de quem era chegou perto de mim pra puxar conversa. Ele perguntava meu nome e por eu responder apontando pra garganta ele simplesmente julgou que eu era muda. 

Tentei reverter esse pensamento dele, mas eu tava meio nem aí pra ele e deixei que acreditasse nisso. Eu mal sabia seu nome e ele não parava de falar um segundo sequer. Inventei uma desculpa pra sair dali e fiz um gesto de lavar as mãos. Fui até os fundos da casa, mas por ali não havia ninguém; estava escuro e muito barulho por causa do som dos carros. 

Naquele momento ali sozinha eu senti que alguém estava vindo atrás de mim, me apressei pra terminar, enquanto eu secava minha mão eu senti alguém por trás me encoxando. Bem pertinho do meu pescoço ele se vangloriava de finalmente estar a sós comigo. Não sei de onde ele tirou a ideia de que eu queria beijar ele, mas o safado na maior petulância agarrou meus lábios com sua boca. 

Ele até beijava bem, mas eu não queria aquilo naquele momento, quis sair dali, mas fui impedida por aquele homem desconhecido. Ele disse que me soltava se eu o beijasse, caí na mentira mais antiga do mundo; ele não só não me soltou, mas passou a ser mais safado ainda. Durante o beijo apalpava meus seios e apertava com força minha bunda. Sempre que eu terminava de beijá-lo ele dizia que não era o suficiente e forçava mais um pouco. 

Não consegui impedir que tirasse minha blusa e meu sutiã, ali com meus seios exposto ele mordeu o biquinho e deu tapas nos meus peitos. Senti seu pau duro quase me furando por cima da roupa, ele realmente tava acreditando que eu era muda e tava se aproveitando disso, a todo momento eu dava sinais de que não queria que ele fizesse aquilo, mas ele não ligava. 

Não demorou muito pra ele colocar seu pau pra fora e me fazer ficar de joelhos na frente da sua pica. Eu não conseguia ver muita coisa, mas sentia o quão grosso era sua piroca. Suas veias saltadas parecia que iria explodir a qualquer momento, forçadamente paguei um boquete pra ele, no fundo eu não sabia se estava gostando daquela situação ou não, mas eu não queria que ele soubesse disso. 

Quando ele se sentou e me colocou em seu colo eu quase gritei só de imaginar aquela pica imensa entrando na minha bucetinha apertada, mas fiquei quieta pra ver até onde ele iria. Com medo apertei minha xota na cabeça do seu pau e isso só fez com que ele ficasse mais excitado ainda. Eu cavalgava no seu pau como se estivesse num cavalo, meus peitos pulavam e ele tentava agarrar com sua boca. 

Estava escuro e eu nem sabia mais onde estava minha calcinha, aquele homem desconhecido nem tinha tirado sua roupa, ele apenas colocou pra fora através do zíper, quando percebi aquilo eu me senti uma prostituta. Apesar disso comecei a ficar com tesão e passei a pular em sua pica em que ele me guiasse com sua mão. 

Cavalguei gostoso em sua pica até que gozei na cabecinha do seu pau, fiquei toda melada por dentro e aquilo escorreu entre minhas pernas. Vesti minha calça sem encontrar minha calcinha, ele foi embora e me deixou ali sozinha pra que eu me virasse. 
comendo mudinha contos eroticos

Comentários