Minha iniciação nos Contos Eróticos

Aos 13 anos me viciei nos Contos Eróticos, eu tinha acabado de ser flagrada pela minha mãe assistindo vídeos de sexo e fui obrigada a prometer que jamais faria isso de novo. De fato passei um bom tempo sem abrir sites de vídeos pornográficos, mas não abandonei o pornô só troquei o vídeo pelo conto erótico.


Até hoje lembro do meu primeiro contato com pornografia escrita, eu estava ajudando minha mãe a arrumar seu quarto e quando suspendemos o seu colchão caiu uma revista pornô no chão. 

Fiquei constrangida de ver aquilo na frente dela e fiquei quieta esperando que minha mãe percebesse o que tinha acabado de acontecer. 

Ela só reparou nisso uns minutos depois; tempo suficiente pra que eu pudesse ver as fotos da capa: na frente tinha um homem negro com uma piroca enorme soltando porra e uma mulher de joelhos no chão prestes a receber a gozada


O nome da revista era Escravo Sexual, lembro até hoje porque eu passei dias procurando aquela revista enquanto minha mãe estava no trabalho. Ela estava escondida em cima do guarda roupa e com muita luta consegui encontrar. 


Passei o resto da minha tarde fantasiando vendo a jeba daquele homem. Naquele dia toquei tanta siririca que o grelinho da minha buceta chegou a doer de tão sensível que tinha ficado. 


Antes da minha mãe chegar eu coloquei sua revista de volta no lugar, mas dormi pensando naquilo; fiquei encabulada com os textinhos eróticos em cada parte da página daquela revista. 


Era tão excitante ler e imaginar o homem tratando aquela mulher como se ela fosse seu objeto sexual. Ele enfiava sua mão inteira dentro da xoxota dela e a safada pedia mais. Por causa disso eu comecei a procurar essas tirinhas sexuais na internet. 


Eu passava o dia lendo aquilo pra minha buceta ficar piscando de tesão, eu tirava fotos pra me masturbar quando todo mundo fosse dormir. Quando a noite caía e todos da casa se recolhia eu me preparava para maltratar minha xota. 

Minha mãe tinha um massageador em casa e eu pegava ele escondida e fingia que era um homem que estava me chupando. 

O massageador ficava vibrando bem em cima do meu grelinho e isso me causava uma vontade enorme de gozar, mas eu me controlava tirando toda vez que estava prestes a gozar, eu queria fazer aquilo durar o máximo que podia pra dar tempo de ler os contos eróticos completo e ver as tirinhas que tinha tirado foto. 


Meu celular até esquentava pra caramba de tanto que eu ficava mexendo durante a noite. Quando minha perna começava a tremer de tão exausta aí sim eu parava e ia dormir, mas no dia seguinte começava tudo de novo. 


Aos 14 anos eu já estava completamente viciada nos contos eróticos, não tinha um dia que eu não lia. Eu trocava até viagens pra casa dos meus tios quando entrava de férias pra que eu pudesse ter mais liberdade em me masturbar à noite. 

Quando comecei a ter vontade de escrever contos eróticos foi por causa de uma situação real vivida por mim quando comecei a estudar fora de casa. 

Eu morava com minha mãe e meu padrasto, mas aos 15 anos eu precisei ir morar longe de casa para estudar, fiquei na casa da família do meu padrasto que todo mundo julgava ser um pessoal extremamente correto; eu passei a morar com esse casal e seus dois filhos. 


Eu tava adorando a experiência, mas depois de um tempo passei a perceber que seu Geraldo: o homem da casa; ficava me espiando enquanto eu tomava banho. 


A primeira vez que aconteceu eu achei estranho e até pensei que eu tava vendo coisa, eu só conseguia ver uma mancha pelo vidro e por isso imaginei ser coisa da minha cabeça, mas no dia seguinte a janela estava aberta e assim que entrei no banheiro e comecei a tirar minha roupa eu olhei pra cima e vi a ponta de uma cabeça se preparando pra me espiar. 


Fingi não ter visto nada e corri pra debaixo do chuveiro torcendo pra que não desse pra ver o que eu tava fazendo. Tomei banho super rápido e corri pro quarto pra me vesti. 


No dia seguinte às 5 horas da manhã, que era quando eu levantava pra ir ao colégio, antes de terminar de tirar minha roupa eu vi novamente seu Geraldo ali, não tirei minha calcinha pra entrar no chuveiro, mas quando saí do banheiro notei que seu Geraldo estava na sala já fingindo que nada tinha acontecido. 


Ele estava com sua mão dentro da calça e eu tinha certeza que ele estava se tocando, mas eu não quis pagar pra ver fazendo um escândalo  naquele momento. 


O resto da semana foi daquele jeito e sempre que eu tentava me banhar lá estava seu Geraldo me espiando. Eu dormia no quarto de empregada e não tinha tranca, fazia muito calor e por isso eu tinha que ficar sem roupa pra que eu conseguisse dormir direito. 

* Seu Geraldo planta a sementinha de Contos Eróticos Extreme em mim!

Um dia eu acordei e seu Geraldo estava ali entre minha pernas chupando minha bucetinha, eu tava muito sonolenta e pensei que estava sonhando com o vibrador da minha mãe, mas esfreguei meus olhos direito e percebi que de fato era uma pessoa ali. 


Na hora fiquei sem fala e comecei a gaguejar; seu Geraldo percebeu meu espanto e pediu pra que eu ficasse quietinha que ele só queria sentir meu gosto. Seu Geraldo fazia na minha buceta o mesmo que eu via os homens fazendo nas xotas das mulheres das pornografias que eu ficava vendo. 


Na hora eu fiquei na dúvida se estava sentindo vontade de gozar ou se era vontade de fazer xixi. Logo que ele soltou meu grelinho da sua boca ele veio pra cima de mim roçando sua piroca na minha buceta arreganhada. 


Era o primeiro homem de verdade que fazia aquilo comigo; antes tinha sido apenas pirocas de meninos da minha idade, mas aquela jeba estava prestes a entrar em mim e eu tinha que ficar caladinha pra ninguém acordar e jogar a culpa em mim, aguentei firme aquele homem me comendo e quando ele gozou eu acabei pegando no sono por causa do cansaço. 


Seu Geraldo passou a me comer toda vez que ficava sozinho comigo e quando isso não era possível ele dava um jeito de ficar dedando minha buceta enquanto fingia assistir tv. 


Por causa disso eu sempre estava molhada e minha calcinha sempre precisava ser trocada, lavei tanto elas que tive que trocar várias em um curto período de tempo. 


Quando voltei a morar com meus pais ele parou de me comer, mas aí eu já estava fissurada em contos eróticos de sexo forçado, eu ficava lendo meninas contando como tinha sido seu abuso e tocava uma siririca monstra lembrando do que tinha acontecido comigo e seu Geraldo. 


Eu contei isso pra alguns amigos e nenhum deles conseguiu entender o motivo disso me excitar tanto, por isso resolvi escrever contos eróticos pra tentar saciar a prostituta que existe dentro de mim. 

Uma parte de mim ainda acha errado ler e escrever contos eróticos, mas a outra passa o dia inteiro se masturbando lendo sobre o caboclo que comeu a putinha inocente dormindo. 

textos eróticos
By - Sheillaxv

Comentários