Liberei meu cuzinho no mato pro meu cunhado

Sempre sonhei em casar na igreja ainda virgem. Lutei pra que meus pais pudessem aceitar meu namorado, isso demorou um pouco, mas quando aconteceu eu fiquei muito feliz. 


Tudo era mais difícil pra mim por eu ser mulher numa casa de uma família muito conservadora. Meus pais não me deixavam fazer nada, mas quando finalmente soltaram as rédeas eu dei meu cuzinho pro meu cunhado no mato, há quem diga que isso é carma.


Era meu segundo ano de namoro meio conturbado por causa da minha família. Eu mal podia dormir com ele na mesma casa que meu pai logo implicava. 

Com muita luta eu consegui viajar com a família do meu namorado. Era uma casa na roça onde meu sogro tinha sido criado. Estava indo eu, meu cunhado, a madrasta, o pai e meu namorado. 


Como era de se esperar eu me apaixonei por um menino cuja família não era nem um pouco apegada com igreja e logo no primeiro dia que chegamos tinha caixas e mais caixas de cerveja.

Todos beberam menos eu, pelo menos não no primeiro dia. No dia seguinte eu já estava mais soltinha; coisa que meu namorado não gostou. 


Fiquei puta da vida por ele estar tentando me controlar e saí dali claramente irritada. Não sei pra onde estava indo só comecei a andar naquele chão de terra quando percebi meu cunhado me seguindo perguntando se eu estava bem. Ele foi me acompanhando pra um lugar que nem eu sabia pra onde estava indo. 


Resolvi entrar numa cerca onde tinha uns matos bem altos e que machucavam, mas eu só queria que meu cunhado parasse de me seguir, parei ali numa sombra perto de uma árvore e me sentei pra descansar um pouco, super insistente ele não saiu dali, só deitou no chão apoiando sua cabeça em meu colo.


A gente conversava quando comecei a sentir sua mão tentando entrar entre minhas pernas, no começo achei que tivesse sido sem querer, mas eu estava de saia e qualquer coisinha já alcançava minha buceta e quando ele finalmente chegou no meu sexo eu levei um choque por causa do susto. Tentei me levantar e ele me segurou. 


Perguntei o que estava fazendo e meu cunhado pediu pra eu ficar só mais um pouquinho. Seus dedos dedando minha buceta me deixou molhadinha bem rápido, eu queria sair dali, mas ao mesmo tempo tava tão gostoso que eu abri minha pernas pra facilitar sua dedada dentro de mim. 

Quase cheguei ao orgasmo com ele dedilhando meu grelinho, aquilo era parecido com os pornôs que eu assistia só que acabava sendo mais excitante por causa do medo que eu sentia.


Meu cunhado me fez levantar e empinar meu rabo pra sua direção. Completamente exposta pra ele senti seu pau percorrendo pelo meu sexo...ele parava na entradinha da minha buceta pra ficar roçando e em seguida saía. Eu ainda era virgem, então ele brincava gostoso com a cabeça do seu pau no meu grelinho.


Ele em seguida forçou sua pica na entrada do meu cuzinho e antes que eu pudesse dizer não ele meteu de vez dentro de mim. Sem dar tempo pra que eu pudesse respirar ou parar de sentir dor ele começou a bombar sua pica ali dentro, as estocadas ficavam cada vez mais fortes. Ele era bem sacudo e suas bolas batiam com força na minha xana.


De vez em quando eu sentia suas bolas baterem no meu grelinho e aquilo machucava por estar durinho. Ali em pé comendo meu rabo o meu cunhado safado começou a tocar minha buceta quando percebeu que eu estava molhada. 

Acabei gozando com ele me tocando daquele jeito. Ali escondida no mato com meu cunhado eu fui enrabada e levei porra bem no fundo do meu cuzinho. 


Depois de gozar ele tirou seu pau de mim e me virou beijando minha boca. Um beijo quente e molhado que me deixou molinha. Ele me esperou vestir a calcinha e voltamos juntos pra casa. 

Meu sentimento de culpa nem deixou eu ficar puta com as atitudes do meu namorado e eu passei aquele final de semana todo sendo uma tereza imaculada com ele e uma prostituta barata com meu cunhado. 
sexo no mato contos eroticos
By - Sheillaxv

Comentários