Fazendo a piroca do casado de pula pula

Não há tipo de homem no mundo que fode mais gostoso do que um macho de igreja. Adoro aqueles galanteadores que fingem dentro de casa uma santidade divina. Melhor ainda é ver na cara das suas esposas aquele semblante de superioridade quando na verdade o chifre que brota em suas testas é maior que de um boi valente. 

Dizem que abrir as pernas pra um homem casado e da igreja é pecado, se isso for verdade eu com certeza baterei nas portas do inferno, porém sem arrependimento nenhum, nunca gozei tão gostoso quanto naquele dia. Eu estava em viagem com minha mãe na casa de uma amiga dela, ela tem um casal de filhos; os dois muito bem casados. 

Uma bela família de comercial da televisão, assim que cheguei na casa de sua filha mais velha eu me senti mal por eles serem tão fiel a Deus e eu toda mundana. O marido da Patrícia não parava de falar um minuto sequer dos motivos  pra eu começar a ir a igreja frequentemente. 

Eu estava começando a acreditar que de fato existia homens fiéis e temente a Deus, mas na primeira oportunidade que o marido cristão da Patrícia teve de ficar a sós comigo; ele me comeu feito uma cadelinha. Existe uma coisa entre os religiosos em que mulheres não podem ficar a sós com homens casados, eu não sabia o motivo daquilo existir, mas tentei respeitar desde o primeiro dia. 

Quando o marido da Patrícia me levava pra igreja eu sempre ia no banco de trás com a filha deles no banco do passageiro da frente. Mas teve uma noite em que voltando da igreja estava apenas nós 3 dentro do carro; eu usava um vestidinho que modéstia a parte me deixava muito gostosa. Senti a mão do marido da Patrícia passeando na minha coxa enquanto dirigia. 

Na volta sua filha já tinha pego no sono dentro do carro e ele aproveitou isso pra saciar seu desejo. Confesso que no momento em que senti seus dedos tentando alcançar minha buceta dentro do carro eu fiquei com um pouco de medo de alguém descobrir, mas estávamos sozinhos e ele que lute. 

Eu amava ser dedada e já tinha muito tempo que não recebia um carinho na minha buceta, eu queria dizer não, mas quem estava no controle naquele momento era minha buceta e ela respondia sim arreganhando minhas pernas. Quando chegamos em casa não havia ninguém além de nós 3, não tínhamos a chave da parte de dentro e sua esposa iria demorar para chegar. 

Ficamos ilhados na garagem; sua filha dormia dentro do carro e ele me chamou pra ficar do lado de fora esperando. Saí e sentei com ele na escada da sua casa, estava um pouco escuro no lugar que estávamos e novamente o safado colocava suas mãos em minhas pernas, parecia um fetiche que ele tinha. Homens casados não costumam flertar de outra forma além de passar a mão na coxa de uma mulher, eu acho essa timidez fofa e costumo sempre deixar pra ver até onde eles irão. 

Aquela altura seus dedos já tinham alcançado minha buceta e ele disfarçava conversando comigo, acho que era pra me tapiar, por uns instantes fechei os olhos aproveitando a dedada tímida e deliciosa que recebia daquele safado e fui surpreendida com um beijo. 

Beijos de homens casados é uma maravilha e eu não sei explicar o porquê, ele tentava meter dentro do buraquinho da minha buceta, mas sempre que tentava eu tirava. Coloquei minha mão em cima do seu pau e acariciei o volume enorme por cima da sua calça de igreja, senti suas bolas cheias e seu pau tão envergado que quase implorava pra ser chupado. 

Continuei beijando sua boca enquanto abria o zíper, coloquei pra fora sua jeba com a cabecinha toda molhada, assim que abocanhei sua pica eu ouvi um gemido tímido. Ele tinha um gostinho de medo e tesão que me fez esbaldar de tanto chupar, ele ia gozar a qualquer momento, mas eu estava louca pra sentir ele dentro de mim. 

Esperei que ele me chamasse pro seu colo; eu queria aquele macho cristão e chefe de família me fizesse de sua subordinada. Não demorou muito e eu senti o safado puxando minha cintura pro seu colinho. Ele suspendeu meu vestido e afastou minha calcinha pro lado, sem perder tempo fui sentando devagarinho. 

Quando a cabecinha já tinha passado por completo eu parei de sentar e fiquei punhetando com a pontinha dele já dentro de mim. Ele ficava pedindo pra eu sentar toda, mas eu gostava daquela carinha inocente pedindo buceta. Fui sentando e atolando seu pau inteirinho dentro da minha xana, comecei com movimentos lentos em cima dele e fui aumentando na medida em que sentia seu pau latejar em mim. 

De vez em quando eu olhava pra trás pra verificar se não havia ninguém vindo, minha buceta super encharcada molhava sua calça, eu passava o dedo no molhadinho e lambia na frente dele. Sua pica parecia um pula pula de tanto que subi e desci em cima dele, o safado não aguentou muito tempo e logo esporrou seu leite dentro de mim sem nem me avisar. 

Fiquei cheia de porra sem ter como limpar, quando sua mulher chegou já estávamos recompostos e fingimos que nada tinha acontecido. Ele mal falava comigo quando tinha gente por perto, mas quando estávamos a sós era cada dedada que me fazia morrer de tanto gozar.

sentando na piroca contos eróticos

By - Sheillaxv

Comentários