Dando rapidinha com o amigo do meu namorado

Eu já estava no ensino médio quando isso aconteceu. Era o dia de jogos e eu estava aprendendo a jogar sinuca com o melhor amigo do meu namorado. Nessa época eu namorava o Diego e ele muito entretido com seu jogo de futebol nem percebeu seu melhor amigo dando em cima de mim do outro lado da quadra. 

Paulo sempre foi muito carinhoso comigo e eu adorava aquela jeitinho manso dele. Eu estava com o Paulo e outro menino que jogava sinuca com a gente, mas o Paulo estava me ensinando; e sempre muito bem colado em meu corpo. Ele ficava falando o tempo todo que eu tinha que segurar firme no pau pra tacada sair direitinho. 

Eu levava aquilo na brincadeira, mas quando comecei a sentir seu pau duro na minha bunda eu passei a ter mais consciência do que estava acontecendo, mas aí já não tinha mais volta. Quando o sinal de ir embora bateu os meninos que estavam jogando bola não saíram da quadra e meu querido namorado também não, mesmo depois de eu ter ido chamar. 

Todos foram embora e eu fiquei ali com o Paulo esperando a boa vontade do Diego em ir embora. Já era meio dia e os alunos da tarde já estavam pra chegar. Só eu e o Paulo ali naquele lugar eu sabia que daria merda. Todo jeitosinho ele arrumou uma desculpa pra me levar pra uma sala ali perto que estava vazia. 

Ele disse que era pra gente guardar nossas mochilas e eu sem ter o que responder acabei aceitando ir com ele. Quando tirei a mochila das costas eu senti o Paulo vindo por trás de mim me abraçando e beijando meu pescoço. 

Eu pedia pra ele parar visivelmente toda arrepiada, ele perguntava se era aquilo mesmo que eu queria e com a voz trêmula quase sem conseguir falar direito eu concordava que sim. Ele sentou na cadeira e me colocou em seu colo; o Paulo beijava meu pescoço e descia dando mordidas nos meus peitos por cima da minha farda do colégio. 

A gente tava entrando num ponto que não ia conseguir parar e eu sabia disso. Os bicos dos meus peitos já estavam durinhos quando ele suspendeu minha blusa e começou a mamar. Eu sentada em cima da sua piroca comecei a ver a cabecinha saindo da sua calça. Ele tava tão duro que nem a cueca conseguia mais controlar sua pica. 

Éramos novinhos e cheios de tesão dentro de uma sala fechada, não ia dar o que preste. Meu namorado ainda jogava bola enquanto eu tava ali me agarrando com seu melhor amigo. A pica dele era bem maior que a do Diego e eu comecei a passar a mão na cabecinha enquanto o Paulo me mamava. 

Quando ele viu que eu tinha gostado da sua rola ele colocou ela pra fora e me botou sentada na cadeira pra ficar na altura da sua pica. Pedindo pra eu chupar ele me fez abrir a boca e engolir aquilo tudo de vez. 

Seu saco batia no meu queixo na medida que ele tentava fuder minha boca, o menino tinha um fogo surreal, o Paulo ficava suspendendo minha blusa enquanto eu chupava sua rola. 

Tinha que ser tudo rapidinho porque a partida já estava pra acabar, sem perder tempo e sem tirar sua calça ele me colocou em cima do seu colo. Ele abaixou minha calcinha até meu joelho e me botou pra cavalgar em sua rola. Cada quicada que eu dava em seu pau fazia meus peitos pular. 

Ele gostava de ficar apertando o biquinho das minha tetas enquanto eu rebolava gostoso em cima dele. Minha buceta começou a ficar molhada com tudo aquilo e logo veio o sentimento de culpa me atormentando. 

Eu tava doida pra terminar de tirar minha roupa e liberar tudo pra ele, mas ficava pensando no meu namorado inocente ao mesmo tempo. Não demorou muito pro safadinho do Paulo gozar, quando seu leite estava prestes a sair ele me tirou do seu colinho e me colocou sentada na cadeira pra receber sua porra quente. 

Engoli tudinho e ainda limpei o que tinha escorrido. Depois de deixar seu pau uma tereza de limpo eu me vesti e a gente saiu da sala. Quando apareci na quadra meu namorado já estava me esperando puto da vida porque não tinha encontrado a gente, mas dei um baratino no jovem corno e ele acreditou. 

contos eroticos

Comentários