Meu pai assistia o jogo enquanto seu amigo dedava minha xoxota

Dia de domingo na minha casa era certeza que teria muita cerveja e futebol. Meu pai chamava uns amigos pra assistir o jogo lá em casa, mas eu só gostava de um deles que me dava 10 reais toda vez que vinha aqui em casa.Tio Léo me tratava com muito carinho. Ele era um pouco mais novo que meu pai, devia ter seus 50 anos.

Toda vez que ele tava lá em casa pra assistir o jogo ele me colocava em seu colo pra gente assistir junto. Meu pai adorava o jeito que ele me tratava, ele dizia que o tio Léo era meu segundo pai e que eu deveria obedecer ele sempre. E era isso que eu fazia, minha mãe costumava dizer que eu deveria tomar cuidado com as brincadeiras que os meninos fariam comigo e que eu deveria sempre contar quando algum deles ultrapassasse o limite da minha calcinha.

Porém quando eu brincava com o tio Léo em seu colinho; ele pedia pra eu não  contar pra ninguém  e era isso que eu fazia, eu ficava quietinha obedecendo ele. Ele ficava apertando minha xoxota quando todo mundo estava prestando atenção na tv, ele sempre escolhia sentar mais atrás dos outros que era pra ninguém perceber o que ele estava fazendo comigo.

Sentada em seu colo eu sentia uma coisa dura na minha bunda e de vez  em quando eu passava a mão pra sentir o que era, toda vez que eu apertava a pontinha daquela coisa o meu tio Léo soltava um gemidinho abafado, eu gostava quando ele fazia aquilo e por isso apertava até ver uma mancha molhada em sua bermuda.

Tio Léo dizia que aquilo era seu leitinho que eu tinha acabado de ordenhar, eu pedia pra ver, mas ele sempre dizia que não podia fazer aquilo ali porque alguém poderia ver. Um dia meu pai precisou viajar e minha mãe foi junto com ele, eu tava sem ninguém pra ficar comigo e meu pai sugeriu que fosse o tio Léo.

Meu pai ficou conversando com ele no celular e explicando o motivo de precisar me deixar lá e já no final do dia eu estava de mochila nas costas esperando meu tio Léo abrir pra eu entrar. Meu pai baixou as regras de eu ter que obedecer o meu segundo papai e eu sem pensar duas vezes concordei com tudo.

Assim que meus pais sumiram de vista com o carro eu entrei com meu tio Léo pra dentro de sua casa e ele me chamou pra gente ver filme na Netflix, ele colocou um filme adulto pra gente e do nada umas mulheres começaram a se beijar, meu tio me perguntava o tempo inteiro se eu tinha vontade de beijar mulher também  e eu sempre dizia que não, até que ele me perguntou se eu beijaria ele.

Envergonhada eu disse que sim e então ele pediu um beijo meu, bem timidamente me aproximei dele e com os lábios travados eu encostei em sua boca, ele ficava enfiando  sua língua  em mim, mas eu não abria por nada. Segurando em meu queixo ele pediu pra que eu relaxasse meus lábios e colocasse minha língua pra fora, atendi seu pedido e logo já estava recebendo seu beijo molhado e quente.

Pegando minha mão ele colocou em cima do seu cacete que já estava bem duro, meu tio Léo  me fez tocar uma punheta em sua piroca enquanto ele me beijava. Aquela pica grossa mal me deixasse fechar minhas mãos pequeninas nele, parecia que a cada vez que eu subia e descia minha mão em sua jeba ficava mais dura ainda. Sentada em seu colo com meu vestidinho florido o tio Léo  começou a dar umas dedadas em minha bucetinha.

Ele ficava interrompendo nosso beijo pra chupar seu dedo melado com o melzinho da minha xana, eu achava estranho mas era engraçado quando seu dedo saía de dentro de mim pingando e ele passava na cabeça do seu pau. Sua pica tava latejando quando forçando minha cabeça pra baixo o meu tio me fez mamar sua rola.

Não cabia dentro da minha boca, mas eu tinha que me virar. Ele pedia pra eu dar beijinho na cabeça e chupar igual eu fazia com os pirulitos, eu ficava perguntando o tempo inteiro quando iria sair aquela coisa molhada que ficava grudado em sua bermuda e ele sempre respondia que eu deveria chupar mais pra sair mais rápido.

Já deitadinha no chão o meu tio Léo terminou de tirar minha roupa e me deixou só com meu vestidinho que ele suspendeu até minha cabeça me deixando completamente sem enxergar nada. Abrindo minhas pernas ele começou a passar sua língua em minha buceta, esfregando meu grelo durinho e metendo sua língua dentro de mim ele acabou me fazendo gozar pela primeira vez.

Senti meu corpo todo estremecer naquele momento e um calor absurdo que até pensei que fosse desmaiar ali. Logo me recuperei e senti o tio forçando alguma coisa na entrada da minha xoxota, tirei meu vestido do rosto pra ver o que era e peguei meu tio pronto pra meter aquela puxa enorme em mim, quando me dei conta já tinha passado a cabecinha toda e eu só não senti muita dor por tá super lubrificada com meu melzinho e a babinha que saía da sua pica.

Enquanto me comia ele não parava de perguntar se eu ainda queria ver o leitinho dele e eu sempre respondia que sim. Meu tio Léo prestes a esporrar sua gala ficou de joelhos na minha frente e começou a despejar seu leite de macho na minha boca, fiquei tão lambuzada que parecia que não acabaria mais.

Passeando sua pica em meu rosto ele empurrava a sobra do seu leite todo pra minha boca e eu tinha que lamber tudinho pra não deixar o meu titio triste. Nesse dia a gente tomou banho juntinho e até o dia que meu pai voltou de viagem eu tomei leite direto da fonte.

contos eróticos
By - Sheillaxv


@contoseroticos, @escondido, @dedada

Comentários