Os contos eróticos do tio Paulo

Já faz um certo tempo que cedi aos caprichos dos contos eróticos, bem novinha eu comecei a sentir prazer em me tocar lendo histórias eróticas. Nessa época eu já passava boa parte do meu tempo escondida lendo safadezas, na minha cabeça eu tinha certeza que ninguém sabia disso. 

Eu costumava colocar senha no meu celular e dificilmente eu deixava na mão de outra pessoa, porém meu tio Paulo que sempre se meteu muito na minha vida ficava encabulado com a quantidade de tempo que uma menina da minha idade passava mexendo no celular. Eu tinha tanta confiança que ninguém iria mexer na minha privacidade que nem apagava o histórico do celular. 

Nesse tempo eu já era apaixonada por contos eróticos com incesto de tio e sobrinha e por obra do lúcifer essa foi a primeira página aberta no Google do meu celular. Quando eu o vi bisbilhotando minhas coisas e descobrindo o que eu fazia escondido meu coração gelou na mesma hora. Eu só tinha ido jogar o lixo fora e estava ali prestes a morrer com aquele flagra. 

Olhando pra mim o meu tio Paulo perguntou o que era aquilo e porque eu via aquele tipo de coisa, mas eu não sabia responder, meu cu tava mais trancado que cofre de banco e eu me desesperei a chorar no colo do tio. Ele pela primeira vez sendo gentil comigo acariciou meu cabelo é pediu pra eu respirar ou teria um treco ali. 

Eu estava sentada quase em cima do pau do tio Paulo e só percebi que estava no lugar errado pela insistência dele em me colocar mais pra frente. Pela fricção em cima dele a sua pica foi ficando dura na minha bunda, eu já não era mais tão boba e sempre lia nos  contos que os homens ficavam excitados quando tinha uma bundinha quente roçando no pau. 

Eu sabia que ele estava gostando daquilo e resolvi ficar ali pra que meu tio Paulo não contasse nada pro meu pai e fizesse ele me bater. Ainda bisbilhotando o histórico do meu celular o meu tio ficou perguntando o que eu fazia enquanto lia os contos eróticos  e eu respondi timidamente que eu gostava de coçar minha bucetinha enquanto estava lendo. 

Com uma voz meio trêmula ele pediu pra que eu mostrasse como eu fazia isso e então comecei a fazer  carinhos na minha  periquita ainda sentada no colo do meu titio. Ele sempre foi muito afoito e ficava nervoso por qualquer coisinha, apesar de não ter ninguém em casa naquele momento ele achou melhor a gente ir pro meu quarto pra que eu pudesse mostrar a ele o meu conto erótico favorito. 

Levei meu tio até minha cama e lá ele me colocou novamente sentada em seu colo, tinha muito espaço na cama, mas ele insistiu dizendo que se eu não sentasse em seu colo a sua pica iria ficar com frio e iria amolecer. Pra deixar a pica do titio bem dura eu voltei pro seu colinho e perguntei o que ele queria que eu fizesse. 

Ali sentada em cima do seu pau eu comecei a ler meu conto preferido e enquanto estava lendo ele coçava minha xoxota. Ele pediu pra que eu tirasse meu short porque tava atrapalhando seu dedo nas coçadinhas e eu tirei; ficando só de calcinha no seu colinho eu terminei de ler. Quando terminei o meu tio já estava acariciando meu grelinho com minha calcinha afastada pro lado. 

Eu olhei pra ele sem saber o que fazer e me encarando meu tio se inclinou beijando minha boca, o jeito que ele gemia enquanto beijava minha boca mais parecia que ele ia explodir com sua língua em mim. Quando soltou meu lábios ele pediu pra que eu deitasse na cama e continuasse lendo mais contos pra ele, aquele safado com cara de certinho só escolhia os contos eróticos com incesto de tio e sobrinha e me fez ler aquilo enquanto ele tratava minha xoxota com sua língua.  

Quando terminei de ler minha buceta estava toda babada e vermelha e meu tio já estava se preparando pra enfiar sua pica  dentro de mim. Ouriçado de tesão ele começou a meter aquela rola dentro da sua sobrinha novinha inocente. Na primeira enfiada eu dei um gritinho de dor e pedi pra que ele parasse, meu tio só respondia dizendo que era pra eu aguentar que faltava pouco pra ficar gostoso. 

Ele metia em mim sem dó, eu estava deitada de barriga pra cima toda arreganhada pro meu tio e ele em cima de mim estocando seu pau com toda força dentro de mim. Seu saco batia com  força na minha bunda que até fazia barulho, ele mamava e mordia meus peitos pequeninos enquanto me fodia. 

Não demorou muito e meu tio veio até meu rosto segurando sua piroca pra me fazer engolir sua porra. Eu neguei seu leitinho na primeira tentativa, mas ele dizia que eu tinha que engolir sua porta igual as meninas dos contos que eu lia. Quando pensei em responder eu senti aquele jato de porra vindo em direção a minha boca e me deixando toda melecada. 

Tive que ir tomar banho pra me limpar e tinha porra até no meu cabelo, meu tio passou uns tempos na minha casa e nesse período ele me fazia ler contos eróticos pra ele toda noite enquanto ele chupava minha buceta, ele dizia que aquilo ajudava ele a dormir gostoso, mas a verdade é que aquele safado só queria me furar mesmo.

incesto contos eróticos

Comentários

Postar um comentário