O conto erótico da princesa putinha do tio

Ensino fundamental 2 poderia até ser título de uma série de contos eróticos, quase todas as lembranças de putaria de uma pessoa acontece nesse período da vida. Não importa o quão santinho você tenha sido nessa época; sempre terá uma história envolvendo dedadas ou amassos nos corredores ou banheiros do colégio. 

A maioria dos alunos tem entre 13 e 16 anos, é o momento do auge da afloração sexual e se masturbam com praticamente tudo que respira. As meninas nesse período estão atrás de homens mais velhos que possam saciar a necessidade que elas tem de parecerem adultas. 

Eu era nessa época esse tipo de menina, eu odiava muito os meninos da minha idade, eu os julgava imaturos e sem graça, eu vivia atrás dos meninos de ensino médio, eu costumava dizer que eles tinham mais cabeça pra namoro, já esses garotos só se relacionavam com meninas da minha idade por causa da buceta fácil que tinham a disposição. 

Parece até um conto erótico fantasioso, mas juro que aconteceu e irá acontecer com praticamente todas as meninas nessa idade. Eu tinha 14 anos nessa época e namorava o Guilherme, ele estava em seu último ano e vazou uma foto minha mostrando os peitos pro colégio inteiro. Foi uma fofoca absurda e eu passei um tempinho sem frequentar o colégio por causa da vergonha que sentia. 

Quando voltei às aulas eu descobri que tinha um funcionário novo, como eu passava muito tempo isolada tentando esquecer o que tinha ocorrido eu acabei fazendo amizade com o novo faz tudo do colégio. Eu tinha mania de chamar todos que trabalhavam lá de tios e tias independente da idade; e foi assim com esse novo funcionário. 

Troquei seu nome ``Cristiano`` por ``tio`` e até que pegou, ele devia ter seus 30 anos e tava trabalhando no colégio para pagar a faculdade que fazia. Um dia no intervalo das aulas ele me perguntou por que eu não saía pra ficar com as outras meninas da minha turma, ele perguntou se era por causa da foto dos meus peitos e eu respondi que sim meio envergonhada. 

Perguntei como ele sabia daquilo e fiquei surpresa em saber que até outro dia ele tinha a foto no celular dele, indaguei o motivo e ele respondeu dizendo que meus peitos eram lindos demais pra apagar assim. Dei risada na hora, mas ainda estava encabulada com a atitude dele em guardar. 

Os dias se passaram e mesmo ele já tendo me visto nua por foto eu não parei de procurá-lo no intervalo das aulas pra conversar. Eu precisava de uma companhia e naquele momento ele se aproveitou disso. Estávamos no pátio conversando quando ele disse que teria de ir embora pra limpar umas das salas, eu perguntei se poderia ir com ele e de um jeito meigo me chamando de princesa ele respondeu que sim, mas me fez prometer não contar a ninguém. 

Chegando na sala ele sentou em uma das cadeiras e me chamou para acompanhá-lo. Ele pediu pra que eu não ficasse triste com aquilo, pois logo o pessoal iria esquecer os nudes, me chamando de princesa outra vez ele acariciou meu rosto e pediu pra que eu sentasse no colinho do tio que ele me faria uma massagem pra esquecer daquilo. 

Sentei em seu colo sem pensar muito e levando suas mãos até meu ombro ele começou a massagem.  Ele tinha uma mão incrível e logo me fez relaxar, eu já estava bem mais calma quando senti suas mãos fortes e ásperas apertando meus peitos por cima da blusa, na hora eu pensei que poderia entrar alguém ali e no mesmo momento me esquivei das suas carícias. 

Fui acalmada gentilmente pelo tio Cristiano, ele me disse que não chegaria ninguém ali e que só estava fazendo aquilo pra que eu me sentisse melhor, mas se eu quisesse ele poderia parar. Olhei no fundo dos seus olhos e não tive como negar a carícia de alguém que estava me ajudando tanto. 

Eu me derretia quando ele me chamava de princesa do tio e acabei ficando ali para ser usada como bem ele entendesse. Tio Cris me virou de frente e suspendeu minha blusa da farda, ele queria ver meus seios outra vez, mas dessa vez queria vê-los pessoalmente. Deixei que ele mamasse minhas tetas feito um bebê, ele dizia que eu era uma delícia e insistentemente colocava minha mão em cima do seu pau pra que eu sentisse ele duro. 

Com vergonha eu apalpava sua pica enquanto ele passava seu dedo na minha xota por cima da calça, ele pedia pra eu tirar tudo e me mostrar pra ele. Fiquei completamente nua em sua frente esperando pelo próximo pedido, gentilmente ele foi aproximando seus dedos da minha buceta e dedilhando meu grelinho de uma forma deliciosa. 

Ele fazia aquilo mais gostoso do que meu antigo namorado e me fazia ter aquela sensação de gozo que eu sentia quando me masturbava. Seu dedo saiu da minha xota todo molhado, olhando pra mim ele pediu que eu ficasse de 4 no chão e empinasse ao máximo meu rabo. Fiquei na posição que ele pediu e esperei seu próximo movimento. 

O tio vinha roçando sua pica na entrada da minha buceta, ele fingia que ia meter, mas voltava atrás. Em um momento ele meteu a cabecinha e minha xota sugou o restante de sua piroca, foi tão rápido que ele nem esperou aquilo, com sua pica atolada em mim ele começou a fazer movimentos de vai e vem na minha buceta. Enquanto me comia ele segurava meus peitos e dizia que minha xana era mais apertada que ele pensava. 

O tempo inteiro ele perguntava se eu tava gostando do pau do tio e eu respondia que sim, prestes a gozar ele tirou seu pau de dentro de mim e enfiou na minha boca pra que eu recebesse seu leitinho bem no fundo da minha garganta. Depois de me fazer engolir sua porra a gente saiu da sala um de cada vez, continuamos nessa putaria escondido até o dia em que o diretor do colégio me flagrou chupando a piroca do funcionário dele.

sexo na escola contos eróticos

By - Sheillaxv


Comentários

  1. Safada gostosas me chamem quero fudere fazer carinho na sua buceta e quero fazer lactofilia chupar os seios e buceta ou so os seios ok 11959267741

    ResponderExcluir

Postar um comentário