O monstro que mamava meus peitos na madrugada

Meu tio era o monstro que chupava meus peitos enquanto eu dormia

contos eróticos chupando peitos
Ele chupava meus peitinhos enquanto eu dormia.


Não conheci meus pais. Desde que me entendo por gente sempre morei com meus tios e eu os adorava muito. Eles não tinham filhos, então eu era basicamente filha única para eles. Eu era muito paparicada pelos dois, costumavam me chamar de filha na rua e quem não sabia da história sempre acreditava.

O excesso de proteção que meus tios tinham comigo não era muito saudável, e já bem mais velha em idade, eu ainda dormia com eles na cama atrapalhando muitas das vezes o sexo gostoso dos dois, mas sempre muito carinhosos comigo jamais negaram uma dormida minha com eles na mesma cama.

Eu ficava sempre no meio sendo protegida dos dois lados, apesar disso, de vez em quando eu tinha sonhos muito esquisitos. Pela manhã quando acordava eu ia toda eufórica contar pro meu tio o sonho do monstro que ficava beijando meus peitos. Eu só contava pra ele porque minha tia saía pro trabalho antes dele e eu acabava esquecendo de contar quando ela chegava.

Meu titio sempre muito querido dizia que era coisa da minha cabeça e me mandava parar de assistir filmes de terror. Eu nunca conseguia ver o rosto do meu monstro safado, eu só conseguia sentir as chupadinhas no meu peito e julgava que era monstro porque isso só acontecia de madrugada. 

Era gostoso sentir minhas tetas sendo sugadas, por isso nunca me mexia enquanto aquelas coisas aconteciam, eu ficava paradinha até que ele parasse de mamar nas minhas tetas.  

O rosto daquilo que me chupava era sempre um mistério pra mim, eu até tentava ver sem fazer muito barulho ou me mexer demais, porém nunca conseguia de fato saber quem fazia aquilo em mim, mas num dia em que a luz do banheiro estava ligada eu consegui ver o rosto dele e podia jurar naquele momento que era igualzinho ao meu tio.


No dia seguinte eu acordei até mais cedo e fui correndo contar pra ele como tinha sido meu sonho naquela noite. Dessa vez ele muito fofo me colocou em seu colo e pediu pra que eu contasse como tinha sido, enquanto meu tio fazia carinho na minha perna eu fui contando a ele detalhe por detalhe desde o início.

Eu nunca fui tão inocente assim a ponto de acreditar que aquele era o jeito normal de um homem tratar uma mulher, mas eu gostava daquilo; curtia essa sensação de ser bolinada desde sempre então fazia o possível pra que ele não percebesse. 

Ele gostava do jeito que eu narrava os acontecimentos da noite e gostava mais ainda quando eu fazia aquilo como se estivesse contando uma história erótica, então passei a sempre inventar algo no meio pra deixar o tio constrangido e excitado. 

Quando seu pau duro começava a cutucar minha bunda por baixo de mim eu sabia que ele tava daquele jeito por causa da minha história. Ele tentava se controlar, mas nunca dava certo e piorava mais ainda quando eu me mexia em seu colo deixando minha bunda roçar na sua pica

Meu tio ficou excitado com meu conto erótico e dedou minha buceta.

Enquanto estava sentadinha na sua perna contando meu sonho eu comecei a sentir que sua mão passeava entre minhas pernas quase chegando perto da minha buceta. Sempre tive um grelinho bem sensível, as vezes fico excitada só de esfregar minhas pernas uma na outra, então ter ele me tocando daquele jeito despertou meus desejos mais promíscuos naquele momento.  

Apesar de já saber tocar siririca nessa época, nenhum homem ainda havia tocado na minha bucetinha, quando senti os dedos de outra pessoa alisando meu sexo pela primeira vez eu senti um choque no corpo inteiro, foi um choquinho gostoso parecia que algo iria sair explodindo da minha buceta, mas era apenas meu orgasmo chegando com força.

Nesse momento meu tio me interrompeu perguntando se eu estava bem e eu respondi que sim e continuei minha história. Meu tio nem prestava atenção direito no que eu dizia, ele só me dedava; quanto mais ele fazia aquilo mais eu fantasiava sobre o que tinha acontecido, tava gostoso pra mim e aparentemente pelo volume em sua bermuda; tava gostoso pra ele também.

Aquilo era extremamente errado e sabíamos disso, por uns instantes fizemos um pacto silencioso de que aquilo seria a última vez que nos tocaríamos daquele jeito, mas lá no fundo eu morria de vontade de ter ele só pra mim pra sempre. 

Em um momento eu interrompi o que estava falando e fechei meus olhos apoiando minha cabeça no seu ombro, meu tio rapidamente perguntou se eu estava bem e eu respondi dizendo que minha bucetinha estava coçando

Eu conseguia ver ele sorrindo por me ouvir dizer aquilo, ele agia como se estivesse fazendo um favor pra mim em me aliviar, mas o safado tava era se aproveitando do meu tesão. 

Então ele pediu pra que eu deitasse porque iria coçar pra mim, deitei no sofá com as pernas abertas e ele começou a passar seus dedos por dentro da minha calcinha tentando encontrar meu grelinho.

Já não havia mais cerimônia entre a gente, ele aproximava seu rosto bem pertinho da minha pepeca e cheirava meu sexo como se fosse a coisa mais normal do mundo e eu amava aquilo, amava a sensação de ser sexualmente desejada e estar toda arreganhada pro tio safado. 

Aquela altura ele já tinha liberdade pra colocar sua boca na minha buceta, eu estava adorando aquela sensação de ser chupada, mas eu ainda não tinha terminado o conto erótico do sonho que eu estava contando pro meu tio querido, eu precisava contar a ele que sabia que ele era meu monstro e que era ele que me chupava os peitinhos.

Quando meu titio alcançou meu grelo com sua boca ele quase não soltou; ele fechou os olhos e começou a chupar como se estivesse tentando sugar meu leitinho, naquele momento eu contei pra ele quem era meu monstro da madrugada e ele se assustou soltando de vez o meu grelo e olhando pra mim com uma cara de espantado.

Por uns instantes eu ainda imaginei que ele teria a audácia de negar que era ele ou de tentar falar que era coisa da minha cabeça, mas a atitude dele foi apenas de agir como um gatinho abandonado e eu logo o amansei.

Antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa ele pediu pra que eu não contasse pra minha tia, fiz ele relaxar dizendo que eu tinha gostado daquilo, ele perguntou se eu já fazia aquilo com os meninos da minha idade e eu respondi dizendo que achava gostoso porque era igualzinho ao contos eróticos que eu lia pelo celular.

Ele ficou espantado por saber que a princesinha dele fazia aquelas coisas, mas logo voltou a se entreter com minha bucetinha molhada. Enquanto ele me chupava eu só conseguia ver o volume de barraca que seu pau fazia na bermuda, parecia que nunca parava de ficar duro.

Meu tio nunca foi um homem tão centrado e aquilo tudo devia ser muita coisa pra que ele raciocinasse bem, faltava equilíbrio pra ele decidir se chuparia meu grelinho ou tentaria no meu cuzinho ou nas minhas tetas, ele tentava tudo quase que ao mesmo tempo parecendo mais um animal faminto e no cio. 

Meu tio ficava o tempo inteiro me perguntando o que mais eu gostava de ler até que em um momento eu disse que gostava das histórias em que primos enrabavam suas priminhas escondido no quarto, e ele me olhou espantado com a minha quase confissão. Ele pediu pra que eu mostrasse o que as meninas dos contos eróticos que eu lia fazia com a pica dos meninos.

Meu titio em pé com a piroca dura esperava eu reproduzir nele tudo o que tinha aprendido nos contos eróticos.

Mamando pica dura
A pica dele estava quase explodindo de tão dura e ele implorava pra que eu chupasse gostoso.


Então eu fiz ele chegar pertinho de mim até ficar cara a cara com sua pica, era mediana e bem veiuda, era grossa e com uma cabeça avermelhada que estava babando de tesão. Passei meu dedo na pontinha e fui espalhando aquela baba pro resto do pau, naquele momento meu tio sentou no sofá quase deitando e me colocou em cima dele fazendo uma posição de 69.

Meu tio dedava minha buceta enquanto eu colocava sua pica na boca fazendo um boquete nele. Era a primeira piroca que eu estava chupando e pelos gemidos dele eu tava fazendo direitinho. Nunca imaginei que um piroca pudesse ter um gostinho tão bom, dava vontade de mamar até sentir o leitinho dentro da minha boca. 

Com as pernas arreganhadas pra ele eu senti seus dedos me penetrando com carinho pela primeira vez, senti dor quando entrou, mas logo passou e começou a ficar gostoso, então quando comecei a gemer com sua dedada ele enfiou o segundo dedo e depois o terceiro. O prazer dele era me ouvir gemer; seja de prazer ou de dor ... o motivo já não era tão importante pro tio assim. 

Meu tio me comia com seus dedos e eu tava gostando, sua outra mão logo caçou meu grelinho e quando encontrou começou a apertar bem em cima, naquele momento soltei sua pica porque não conseguia mais me controlar, eu nunca tinha tido aquela sensação e parecia que eu ia explodir de tanto tesão, por uns instantes eu comecei a sentir meu corpo tremer e veio na minha bucetinha uma vontade tremenda de fazer xixi, mas em seguida senti um choque forte no corpo e logo depois um cansaço tremendo.

As minhas melhores siriricas nem chegaram perto dessa sensação de gozar nas mãos de outra pessoa. Parecia que um caminhão tinha passado por cima de mim e ao invés de dor ele só me causou orgasmos, não dava pra explicar eu até tentei. 

Apoiei minha cabeça na barriga do meu tio tentando recuperar minhas forças, mas ele ainda estava estourando suas bolas de tanto leite guardado e me tirou de cima dele, ele já tinha me proporcionado aquele prazer todo e agora seria a minha vez de dar prazer pra ele. Me jogando no sofá toda arreganhada ele mirou sua piroca na minha buceta e se preparou pra meter em mim.

Sem forças pra controlar meu próprio corpo eu deixei que meu tio me penetrasse com sua pica grossa.

Arreganhada naquele sofá senti a piroca do meu tio entrando devagarinho na minha buceta. Ele fazia questão de sentir cada pedacinho da sua pica estourando minha pepeca por dentro. Meu melzinho me deixou tão lubrificada que minha buceta sugava a pica dele na maior facilidade. 

Eu sentia meu gozo escorrendo pelo meu cuzinho e meu tio em cima de mim comendo minha buceta feito um cavalo no cio, tava gostoso, mas aquela brutalidade ainda assustava o resto de inocência que ainda existia em mim. Suas bolas batiam na minha bunda em cada estocada que ele dava lá dentro, as vezes até parecia que iria entrar com tudo dentro da minha pepeca.

Meu grelo ainda estava duro e sensível do orgasmo que eu tinha tido antes, as vezes ele olhava pra baixo pra sentir o volume do meu grelinho e dava risada por ter me deixado daquele jeito. 

Segurando meus peitos e apertando o biquinho; o meu titio me comeu gostoso até sentir que seu leite estava saindo. As primeiras vezes ele tentava recuar e segurar sua porra o máximo que podia. Nas vezes que isso aconteceu ele tirou seu pau de vez de dentro de mim; eu olhei pra baixo e só conseguia enxergar o buraco que o safado tinha feito na minha buceta. 

Eu podia jurar que conseguiria enfiar minha mão toda dentro da minha bucetinha, e apesar de tá muito gostoso eu ainda ficava assustada com o que ele tinha feito em mim, mas ele me acalmava e dizia que logo depois voltaria ao normal pra ele meter de novo, então eu apenas relaxei. 

Voltei pra minha posição de putinha do titio toda arreganhada pra ele, quando seu jato de porra deu o primeiro esguicho, ele tirou sua pica de dentro da minha buceta e esporrou seu leite todo em cima do meu grelinho duro.

Ele não poderia gozar dentro e correr o risco de nunca mais poder fazer aquilo em mim de novo, então ele gozou fora abusando mais ainda do meu grelinho e sentindo que eu também tava gostando da nossa trepada escondida. 

Foi tanto leite que parecia que ele tinha esvaziado toda a porra da suas bolas por gerações em mim naquele momento. Meu tio exausto se deitou no sofá e me colocou em cima dele pra que eu pudesse descansar também. Ele me fez prometer que não contaria aquilo pra ninguém e eu jurei até de dedinho.

Perguntei ao meu tio desde quando ele chupava meus peitinhos de madrugada e ele respondeu que fazia aquilo desde que começou a reparar que os biquinhos estavam ficando grandinhos, ele falou que não conseguia se controlar na madrugada e sempre me chupava quando tinha oportunidade.

Nesse tempo todo escrevendo contos eróticos sempre me perguntei se teria coragem de admitir que gostava dessas coisas, bom... agora eu tive e sei também que logo mais ele vai ler isso e se lembrar dessa época em que me fazia de putinha dele. 




























































Comentários

  1. Manoo, perfeito!!! Tá de parabéns,eu bati bastante,e adorei a história!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o conto adorei, bati uma gostoso rs

    ResponderExcluir
  3. Que vontade de fazer sexo aqui .. muito gostoso esse conto ...

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Uma siririca intensa com estes contos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho vídeos q vc ia adorar ver, meu zap 91981931721

      Excluir
  6. uauuu que delícia de conto, confesso que fiquei com minha magueira preta bem dura acredita, imaginando uma sobrinha dessa no meu colo me contando seus desejos sexual, minha rola ta toda babado de tanto tesão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delicia adoro uma pica preta estou com muito tesao

      Excluir
    2. Hummm delicia você macinha, chama no ZAP gstinha, vou chupar sua bucetinha até você goxar, 011 93757 9638

      Excluir
  7. Estou trocando nuds BB chama lá no Instagram @safadinho_nuds_

    ResponderExcluir
  8. Nossa mim deu tanta tesão q tive q bater uma

    ResponderExcluir
  9. Fica com a xota melada só de pensar no que acontecia comigo nessa idade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummm delicia, gozei com vontade de chupar sua bucetinha, chama no ZAP delícia 011 93757 9638

      Excluir
  10. Aiii delícia de conto gozei muito imaginando

    ResponderExcluir

Postar um comentário