Roçando a bucetinha no pau por dinheiro I Contos Eróticos

Eu trabalhei um tempo como jovem aprendiz num posto de gasolina. Eu não ganhava muito bem e pra complementar o orçamento das festinhas que eu ia nos finais de semana eu resolvi aceitar alguns convites dos caminhoneiros que passavam à noite ali. 

Eu chegava no posto às 7 horas, mas as vezes eu trocava o horário com alguém; chegava na parte da tarde e terminava na boca da noite quando os caminhoneiros estavam chegando. Ficava uma roda de macho na frente da saída e eu toda inocente passava no meio. Ouriçados eles soltavam piadinha e até apertavam o círculo pra que eu passasse roçando entre eles. 


Alguns ficavam me paquerando de longe, uns mais safados vinham até mim me pagando alguma bebida ou deixando uma gorjeta bem gorda. Eu adorava as gorjetas e guardava dentro do meu sutiã na frente deles só pra ganhar mais. Ficamos nessa putaria por um tempinho até um deles me chamar pra conhecer seu caminhão. 


Eu sabia que ele queria me dar uns pegas, mas banquei a inocente do interior doida pra conhecer um caminhão de perto. A gente só deu a volta pra ficar longe da vista dos curiosos e ele me jogou contra a porta do seu caminhão e começou a me beijar. No seu dedo tinha uma aliança bem brilhante, o jeito que ele me beijava parecia que tava há semanas sem trepar com ninguém.


A gente nem tinha feito nada ainda e eu sentia sua piroca dura na minha barriga. Naquele mesmo lugar ele suspendeu minha blusa o suficiente pra deixar amostra meus peitinhos. Ele mamou um pouquinho e perguntou se eu queria subir pra gente ficar mais a vontade. Eu neguei e disse que eu tinha que trabalhar. Meio desapontado ele insistiu e me ofereceu dinheiro pra ficar com ele por mais meia hora. 


Quando eu vi a grana saindo do bolso dele e vindo pro meu eu aceitei seu convite. De dentro do caminhão eu conseguia ver que alguns dos seus amigos não paravam de olhar pra ver o que a gente fazia. Ele disse que eu não deveria me preocupar porque ninguém conseguia ver nada. Mais relaxada eu voltei a beijá-lo. 


Ele tinha uma mãozinha nervosa doida pra tocar minha buceta. Ele insistiu tanto que conseguiu tirar minha calça. Coloquei minha perna no painel e fiquei bem arreganhada pra ele enfiar sua cara na minha buceta. Ele tava doido pra me comer ali, eu queria fazer charme e colocava minha mão na frente sempre que ele tentava comer minha buceta. 


Eu negava porque ele tava sem camisinha, mas ele insistia e até me ofereceu mais dinheiro, foram os 100 reais mais fáceis que eu tinha ganhado na vida. Ele pedia pra ficar só roçando no meu grelinho e eu deixei. A cabeça da sua piroca só faltou criar fogo de tanto que ele roçou na minha xana. As vezes ele metia a cabeça do seu pau e eu recuava. 


Foi com a cabecinha enfiada na entrada da minha buceta que ele gozou. Fiquei até com medo de ter entrado algo. Voltei pro serviço achando que ficaria tudo no sigilo entre eu e ele. No dia seguinte outros também me ofereceram dinheiro pra conhecer o caminhão, mas eu só estava disponível pra roçar no grelinho. 


Fui demitida antes do tempo porque eu passava muito tempo conhecendo os caminhões alheio e voltava pro serviço cansada demais para trabalhar. 

By - Sheillaxv

Comentários