Paguei a dívida de boteco do meu namorado

Por causa de míseros 30 reais ameaçaram surrar meu namorado. Ele é muito fraco pra bebida e estava desempregado. Eu não iria aguentar ver o homem que eu amo apanhando. Todo mundo na vida precisa fazer sacrifícios pelo seu amado e o meu infelizmente foi pagar o que meu namorado devia.

Eu namorava o Jorginho há uns 3 anos, ele sempre foi assim meio aéreo depois de beber e naqueles tempos ele estava sem emprego e acabou ficando meio depressivo. Como passava bastante tempo no bar ele acabou fazendo umas dívidas que nem foram tão altas, mas eram o bastante pro dono do lugar o escorraçar dali.


Foram semanas de desespero tentando apaziguar a situação. Meu namorado não me permitia pagar porque dizia que era muita humilhação. Ninguém mais sabia daquilo além da gente e de uns bêbados de lá. Eu já não aguentava mais quando decidi ir até o bar e conversar com o proprietário. Levei os 30 reais e pra minha surpresa aquele não era nem de longe o valor que meu namorado tinha dito pra mim.


Na hora eu fiquei sem chão. Seu Valdir era o dono do bar e trouxe pra mim um copo com água quando me viu naquele estado. Ele disse logo em seguida que entraria na conta do meu namoradinho, a cara de deboche dele me causava uma repulsa absurda. Encostado numa mesa de sinuca ele me olhava de cima abaixo.


Levei uns minutos pra recuperar as forças e pensar direito. Eu estava pronta pra ir embora quando seu Valdir perguntou quanto eu tinha na bolsa pra pagar. Joguei os 30 na mesa e vi ele caminhando até mim com um sorriso de negação. Rindo ele disse que aquilo não pagava nem a puta que meu namorado tinha comido no banheiro dele.


Seu Valdir tocou meu rosto e disse olhando pros meus lábios que eu era linda demais pra ficar com um moleque daquele. Ele se aproximou de mim o suficiente pra eu sentir o bafo de bebida na minha cara. Eu não sei porque não saí dali. Só fiquei e senti ele roçando sua barba no meu rosto, aquilo me furava e eu tentava esquivar.


Ele tinha uma proposta pra esquecer a divida do meu namorado, mas eu que deveria pagar. Eu ainda estava puta com o Jorginho, mas não queria que ele sofresse nas mãos daquele homem. Sem nem perguntar qual era a proposta eu simplesmente aceitei. Seu Valdir se aproximou de mim novamente, mas dessa vez segurando em minha cintura ele beijava meu pescoço tentando alcançar meus peitos.


Minha blusinha de alça não segurou por muito tempo as minhas tetas e logo deram espaço pra aquele homem nojento barbudo me chupar. Ele sabia que sua barba me espetava mas ele fazia questão de causar aquela sensação de desconforto em mim, ele ainda tinha coragem de perguntar se eu tava gostando das furadinhas. Eu não respondia nada só torcia pra acabar rápido.


Fui levada até a mesa de sinuca e ele me fez sentar ali. Minha saia não durou muito tempo e ele arreganhou minhas pernas deixando exposta minha calcinha. Ele massageava minha xana por cima e rapidinho afastou minha calcinha pro lado. No começo a sua barba me furava e eu tentava sair dali, mas depois de um tempo passou a ficar gostosinho e eu já não me debatia tanto.


Foi sem querer, eu não queria gozar na boca daquele homem, mas ele chupava de um jeito tão gostoso que eu senti meu melzinho escorrendo pela minha buceta enquanto sua língua passeava pelo meu grelo. Quando ele viu aquilo se excitou mais ainda e veio pra cima de mim com sua tora já extremamente dura. Ele começou a meter dentro de mim e enquanto isso ia descontando os valores que meu namorado devia.


Quando chegou nos 30 reais ele gozou dentro de mim. Ele só tirou sua piroca de dentro da minha buceta depois que já estava bem mole. Depois de limpar o seu pau usando minha roupa ele pegou os 30 que estava em cima da mesa e guardou em seu bolso. Naquele momento eu tinha pago a dívida do meu namorado e fui liberada pra voltar até minha casa.

forced
By - Sheillaxv

Comentários