Meu padrasto gostava de ver a menininha dele sem roupa

Aos 21 aninhos eu recebi meu padrasto de braços abertos em casa. Minha mãe era uma mulher solteira há muito tempo e o fato dela ter outra pessoa como companhia me deixou muito feliz. Paulo era um pouca mais velho que minha mãe, ele era um amor de pessoa comigo principalmente quando estávamos sozinhos em casa. 

Demorou um pouco pra ele começar a morar de vez com a gente. Mas desde o início eu percebia suas olhadas famintas pra cima de mim, quando tinha almoço em casa ele sempre dava um jeito de passar atrás de mim, eu não era tão inocente assim e óbvio que sempre percebia o real motivo das suas investidas e até facilitava. 


Minha mãe sempre foi uma mulher de dormir cedo; diferente do Paulo que ficava até a madrugada vendo coisa na tv. Nunca vi minha mãe como uma mulher fogosa na cama diferente de mim que sempre fui uma verdadeira vadia, me atiro em qualquer homem de pau duro que passa na minha frente e infelizmente meu padrasto tinha todos os atributos pra me fazer rebolar em seu colo. 


No cair da noite quando minha mãe resolvia ir pra cama dormir eu ia tomar meu banho, ficava horas no chuveiro dedilhando minha buceta. 

De vez em quando minha mãe até acordava com o barulho da água caindo e me fazia sair do chuveiro. Por isso eu passei a me tocar no quarto quando eu saía, mas eu não contava com aquele safado me espiando. 


A primeira vez que eu o vi fazendo aquilo eu pensei logo em gritar e fazer escândalo, mas na real é que no fundo eu até gostei de ser desejada por ele aquele ponto. 

Eu deixava a porta entreaberta só pro meu padrasto ficar ali espiando, nunca passou disso até que eu resolvi provocar um pouquinho. Eu ainda estava de calcinha quando meu padrasto apareceu pra ficar me olhando. 


Me deitei na cama que ficava de frente pra porta e comecei a despir minha calcinha e abrir minhas pernas o máximo que conseguia, fiquei toda arreganhada fingindo que não sabia que tinha alguém ali olhando pra mim. 

Dedei minha buceta até sentir meu melzinho escorrendo pelo meio do meu cu, do outro lado tava meu papai emprestado se matando na punheta. 


Eu ficava olhando ele pelo canto dos olhos se masturbando, a porta estava mais aberta do que antes e eu sabia que ele tava doido pra me comer; só faltava coragem. No dia seguinte minha mãe saiu pra fazer a unha na casa de uma amiga e eu fiquei com ele assistindo no sofá, estava um pouco frio e eu comentei com meu padrasto. 


Ele perguntou se eu queria que ele me esquentasse e na maior cara de pau eu me deitei ao seu lado num único sofá, estava muito apertado e eu grudei em seu corpo pra não cair. 

Eu sentia sua respiração no meu ouvido e seu pau duro na minha bunda, mas até então ele não fazia nada comigo. Resolvi fingir que estava dormindo pra ver o que rolava. 


Meu padrasto me cutucava pra saber se eu realmente tinha dormido, fiz um personagem de menina do sono pesado e deixei que meu papai emprestado me tocasse. 

Suas mãos passeavam pelo meu corpo e acariciavam minhas tetas de um jeito maravilhoso, logo o biquinho da minha teta ficou duro. Sem perder tempo o meu papai começou a chupar meus peitos enquanto seus dedos estavam massageando meu grelinho. 


Ele ainda acreditava que eu dormia e foi afastando minha calcinha pro lado e se ajeitando pra roçar sua piroca em mim. Ele me deixou completamente nua deitada naquele sofá, meu padrasto me chupava inteirinha e eu ainda conseguia ouvir o barulho do seu celular tirando fotos minhas daquele jeito. Eu tava doida pra abrir os olhos e mamar naquela piroca, mas me controlei.


Toda arreganhada meu padrasto montou em cima de mim e começou a meter na minha xoxota, ele não aguentava ver meus peitos balançando e logo abocanhava enquanto me comia. 

Aquilo era tão gostoso que eu acabei gozando na cabeça da sua pica, logo em seguida ele gozou também, mas despejou seu leitinho em cima dos meus peitos e vestiu de volta minha roupa. 


Demorei um pouquinho para abrir os olhos, mas quando abri ele já estava com outra roupa e deitado no outro sofá, perguntei o que tinha acontecido e ele me respondeu dizendo que tinha feito calor e resolveu mudar de lugar pra que eu não ficasse suada. 

Olhei pra baixo e vi melado no meu pescoço e o indaguei; ele respondeu dizendo que era o leite condensado da pipoca que tinha comido, mas não admitiu que era seu leitinho esporrado em mim.


sexo escondido contos eroticos

By - Sheillaxv

Comentários