Os velhinhos da praça I Contos Eróticos

Cresci vendo uns velhinhos na praça jogando dominó perto de casa. Meu preferido era seu Jair que sempre me dava algum dinheiro. Ele sempre me chamava pra sentar em seu colo por uma partida e quando terminava eu recebia uma moeda e voltava pra casa. Ele sempre me dava um beijinho no rosto e dizia o quanto eu era linda.

Já aos 20 anos eu ainda era a bonequinha do seu Jair. Eu não o assistia mais jogar dominó na praça, mas passava bastante tempo com ele. Eu adorava os presentes caros que ganhava, seu Jair queria bancar até minha faculdade. Pros meus pais ele dizia que era porque me considerava como uma filha, mas nós dois sabíamos que ele sempre teve tara em minha bucetinha. 


Lembro-me de quando começou. Ele costumava me dar 1 real se eu deixasse ele com o dedo na minha buceta enquanto ele jogava dominó, por isso eu ficava ali. Ninguém percebia além da gente. Ele me levava pra sua casa e lá nos trancávamos no quarto. Seu Jair pedia pra eu ir tirando a roupa até ficar completamente nua pra ele. 


Eu sempre ganhava uns trocados por isso, mas fui crescendo e percebi que poderia tirar mais dinheiro dele e o ameacei nunca mais voltar. Quando os presentes começaram a ficar mais caros ele não queria mais só me ver nua. Ele passava mais tempo acariciando meu corpo, ele chupava minhas tetas e ia descendo até chegar em minha buceta. 


Eu ficava doida pra tirar mais dinheiro daquele velho. Eu deixava ele doidinho, provocava até deixar ele de pau duro e ia embora. Quando ele não tinha dinheiro eu chupava seu pau até sentir seu leite vindo, então eu parava e deixava ele na mão. 


Ele tava louco pra me comer, mas até então ele só me deitava no sofá e abria minhas pernas pra ficar admirando minha xana. Nas primeiras vezes ele tocava punheta na frente da minha xota, na hora de gozar ele chegava bem pertinho e ejaculava tudo em cima do meu grelo. Ele foi o primeiro homem que me penetrou, nesse dia eu tinha acabado de voltar do colégio quando vi ele me chamando. 


Me aproximei e de forma despretensiosa ele me convidou pra entrar, foi me beijando e passando a mão pelo meu corpo. Quando eu estava completamente nua ele me colocou de 4 no sofá da sua casa e aproximando seu pau na entrada da minha buceta foi me penetrando. Ele ia devagarinho pra eu não sentir dor.


Ele gemia de um jeito que parecia que seu pau não via uma buceta há bastante tempo. Ele começou a fazer um vai e vem na minha buceta e lambuzando ela com a baba que saía do seu pau. De vez em quando ele tirava da minha buceta e colocava direto na minha boca, tinha um gosto estranho, mas eu tinha que lamber tudo. 


Quando seu Jair estava prestes a gozar ele me pediu pra me sentar em seu colo e ordenhar sua piroca. Ele pedia cada vez pra fazer mais rápido e mais forte. Seu jato de porra veio de vez me sujando toda. Foi a primeira vez que ele me deu 100 reais de uma vez, desde  esse dia; ele sempre me pagava pra me comer. Hoje tenho 20 e  cobro mais caro porque ele tem que usar viagra. Felizmente meu sugar daddy ainda da no couro.

contos eroticos sugar daddy

By - Sheillaxv

Comentários