Fui flagrada numa siririca escondida ao 13 anos I Contos Eróticos


Eu era uma garota atrevidinha. Eu gostava de espiar as pessoas se beijando e trepando. Eu era bem novinha e ficava escondida vendo minhas primas que já namoravam beijando seu namorados. Eu gostava quando ele passavam a mão nela e quando tentavam tocar em suas partes. Nessa época eu já me masturbava e ficava tocando meu grelinho vendo essas cenas.


Eu só fazia isso quando ia pra casa do meu pai porque era onde a maiorias das minhas primas moravam. Eram 3 mais velhas, deviam ter seus 17 anos e naquela época as meninas dessa idade só namoravam com os caras de 21. O meu casal favorito era a minha prima Deise e um cara que tinha feito alistamento militar.


Ele era grandão e ela toda baixinha. Ele chegava pra namorar e os dois iam pra varanda, ele encoxava ela contra a parede e dava beijos longos e quentes na minha prima. Eu ficava da laje vendo aquilo e sentia minha buceta piscando um pouquinho vendo aquela cena. Eu cresci vendo essas coisas por isso cresci com esse fogo todo.


Ainda nessa época eu comecei a gostar de assistir as transas na madrugada, eu assistia mais o meu pai com a minha madrasta, mas o meu preferido era o sexo dos meus tios porque eu conseguia ver direitinho a pica dele entrando e saindo da buceta dela. Quando terminavam eles ainda ficavam deitados na cama e ele com a mão no biquinho dos peitos dela puxando. Eu só saía dali quando eles desligavam a luz.


Logo depois eu descobri que se eu apertasse a cabeça da minha boneca na minha buceta ficaria parecendo que tinha alguém me chupando igual eu via os namorados das minhas primas fazendo nelas. Comecei a gozar daquele jeito também, mas tinha que ser num horário que eu estivesse sozinha porque eu gostava de ficar pelada.


Passei bastante tempo fazendo isso escondida pra me masturbar. Eu tomava muito cuidado pra ninguém ver, mas teve um dia que eu vacilei e o filho do meu padrasto me pegou naquela posição. Eu tava com a boneca dentro das minhas pernas; meus olhos estavam fechados e eu quase gozando. Não tinha ninguém em casa, mas por garantia tranquei a porta, porém esqueci de fazer o mesmo com a janela.


Antes de gozar eu ouvi uma respiração forte e percebi uma luz extra entrando no quarto, olhei pro lado e vi na janela o meu irmão emprestado com sua piroca pra fora. Ele era o filho mais velho do meu padrasto. Já tinha 18 anos e tava ali batendo punheta pra sua irmãzinha. Ele sempre foi muito safado e quando percebeu que eu tinha visto ele; pulou a janela e veio em minha direção.


Eu fechei minhas pernas e ele pediu pra ver mais, eu não queria deixar com medo de alguém flagrar a gente, então ele foi até a janela e trancou do jeito que eu deveria ter feito antes. Ele chegou mais perto de mim e disse que agora ninguém mais iria nos ver. Eu já estava nua então ele só tirou sua roupa e se deitou ao meu lado.


Ele me beijava enfiando sua língua na minha boca e igual eu via nos beijos das minhas primas. As mãos dele passeavam por todo meu corpo e chegavam no meu grelo que aquela altura já estava bem duro. Eu fechava as pernas com medo dele me machucar e ele me pedia pra relaxar. Ele roçando seu pau no meu grelinho era tão gostoso, era melhor do que meu dedo me masturbando.


Eu gozei com ele brincando com seu pau no meu grelinho. Forçando seu pau na minha buceta entrou bem fácil por causa da minha lubrificação. Meu irmão emprestado gostava de meter em mim beijando minha boca e foi naquela posição que eu recebi meu primeiro jatinho de porra dentro da minha xota. Ele arreganhou minhas pernas e me colocou um espelho na frente pra eu ver seu leite sendo expulso da minha buceta.


A gente continuou brincando desse jeito por um tempão até ele infelizmente botar na cabeça que aquilo era errado. Eu não gostei dessa nova atitude do meu irmãozinho e tive que encontrar outro igual a ele que gostava dessas putarias proibidas.

contos eroticos
By - Sheillaxv

Comentários

Postar um comentário