Eles faziam bullying comigo por causa das minhas tetas I Contos Eróticos

Cresci muito rápido. Meu corpo começou a ter formas femininas muito antes das minhas amigas. Os meninos da minha idade não entendiam isso e judiavam de mim por causa das minhas tetas. Eu tinha uns 13 anos quando saí correndo pela rua chorando porque os meninos que eu tava brincando estavam caçoando do meu sutiã. 

Enquanto eu corria eu tirei meu sutiã e joguei fora, mas os meus peitos já eram grandinhos e ficavam pulando enquanto eu corria. Naquele momento eu tinha decidido nunca mais usar um sutiã na vida. Era noite e fazia frio, enquanto eu corria eu olhava pra baixo e via o biquinho dos meus peitos durinhos e morria de vergonha. Antes de chegar em casa eu parei na calçada e comecei a chorar. 


Naquela hora não tinha ninguém na rua. O único pé de gente vivo era do meu vizinho que tinha acabado de chegar do serviço. O filho dele era do grupinho que me chamava de vaca leiteira. Ele me viu chorando e sentou ao meu lado perguntando o que era. Na hora eu estava soluçando muito e não quis responder, seu filho ainda brincava do lado de fora quando ele me convidou pra entrar e beber uma água. 


Quando finalmente eu consegui parar de chorar eu expliquei o motivo de eu estar daquele jeito. Ele me levou até o sofá gentilmente. Não tinha ninguém na sua casa, ele não era casado, estava separado há 2 anos. Só eu e ele ali sentado e depois que eu terminei de explicar o motivo do meu choro desesperado ele colocou sua mão no meu rosto limpando minhas lágrimas. 


Eu até gostava do seu Almir, ele sempre foi muito gentil comigo, e naquele momento estava me ouvindo mais do que qualquer outra pessoa, mas depois que eu falei pra ele que os meninos estavam caçoando de mim por causa do tamanho dos meus peitos ele começou a olhar pra eles, fiquei com um pouquinho de vergonha e tentei escondê-los colocando meus braço por cima. 


Seu Almir disse que um dia eu ia adorar ter essas tetas e eu não entendi porque. Seu Almir fazia carinho no meu braço e seus dedos grandes acabavam tocando no biquinho da teta, ficaram durinhos com seu toque. Seu Almir não parava de encará-los. Ele dizia que meus peitos eram lindos e que eu era linda, pediu pra eu não ligar pro que os meninos falavam e disse que se tivesse a idade deles ele não tiraria a boca de mim. 


Na hora eu não entendi essa parte e caí na besteira de perguntar porque. Seu Almir perguntou se eu queria que ele mostrasse o porque e na inocência eu respondi que sim. Ele pediu pra segurar minha mão e guiou ela até ficar em cima da sua pica. Fiquei parada olhando tudo aquilo acontecer, como não disse nada ele ficou massageando seu pau usando minha mão. 


Ele perguntou se eu estava vendo o jeito que ele ficava por causa das minhas tetas. Ele disse que se eu levantasse minha blusa ficaria mais duro ainda e eu queria ver como ficava mais duro. Seu Almir pediu pra eu suspender minha blusa, mas acabei tirando porque ficava caindo toda hora. Ele aproveitou pra colocar sua pica pra fora e pediu pra eu segurar. 


Ele foi ensinando uns movimentos pra fazer em sua pica e eu o segui, mas fiquei com medo do filho dele aparecer e toquei no assunto. Ele perguntou se eu queria conhecer seu quarto e eu o segui. Chegando lá ele me pôs em sua cama e sentou ao meu lado, enfiou sua língua em minha boca e me deu um beijo molhado, quente...muito fogo pra uma menina da minha idade. 


Minha mão não saía da sua piroca, ele perguntou se eu tava gostando de pegar numa pica dura e se eu queria sentir o gosto. Ele nem esperou minha resposta e veio colocando ela na minha boca. Chupei sua piroca um pouquinho, mas logo parei porque minha boca doeu de ficar muito tempo aberta. Ele me deitou gentilmente e começou a mamar nos meus peitos, nesse momento eu entendi porque ele achava tão bonito. 


Era gostoso sentir sua língua no biquinho, fechei os olhos e ele continuou mamando. Sua mão invadia entre minhas coxas e ele apertava quase chegando perto da minha buceta. Ele foi tirando meu short tão devagarinho que eu não percebi que já estava sem. Já estava completamente nua quando ele foi descendo sua língua pelo meu corpo. Quando chegou em minha virilha ele começou a dar mordidas e chupões de leve até alcançar meu grelinho. 


Senti meu corpo estremecer assim que ele alcançou minha xana, era uma sensação estranha. Eu olhava pra baixo e via ele me sugando e meu grelinho dentro da sua boca, parecia que ele queria comer, mas aí então soltava de vez. Em um momento eu senti um choque vindo pela minha buceta, fiquei em transe por uns poucos segundos e veio uma vontade imensa de fazer xixi. 


Mas não saiu nada, só foi uma sensação gostosa. Eu tinha acabado de gozar em sua boca e ele percebeu isso. Seu Almir ficou parado de joelhos em frente da minha xoxota. Seu pau apontava pra cima e eu fiquei ansiosa pelo que ele iria fazer. Saía uma babinha da ponta e ele começou a roçar aquela cabeçona em minha buceta. 



Era tão gostosa quanto a língua do seu Almir, ele pediu pra eu fechar as pernas e começou a fazer um vai e vem sem meter dentro de minha xana. Apertei minhas coxas o máximo que eu pudia porque parecia que ele gostava daquilo. Ele esporrou seu leitinho em cima das minhas tetas pouco tempo depois. Passei a gostar dos meus peitos porque os homens mais velhos gostavam de mamar e eu adorava as sugadas nas minhas tetas. 

quadrinhos eroticos bullying
By - Sheillaxv

Comentários