Brincando de cobra-cega nos fundos do quintal I Contos Eróticos

Nos meus tempos de infância a garotada se reunia pra brincar na rua e os pais não ligavam muito. Não tinha essa coisa de menino não pode brincar com menina. Era todo mundo junto e nossos pais até incentivavam isso. Minha brincadeira favorita era de cobra-cega. Eles amarravam uma venda nos meus olhos e eu saía procurando até pegar um pra ``picar``.

As meninas sempre foram minoria pra essa brincadeira, normalmente era eu e mais duas pra 5 garotos ou mais. Quando as meninas não apareciam pra brincar eu ficava sozinha com um bando de moleque macho. Minhas primeiras experiências sexuais foram ali, meus amiguinhos tentando roçar a piroca na minha bunda enquanto eu estava de olhos vendados.


Normalmente nessa brincadeira eu teria que ia atrás deles, mas quando eu estava sozinha brincando, os meninos faziam uma roda em volta de mim e a cada tempo um me abraçava por trás e me suspendia colando minha bunda na pica deles. O pouco que sabia sobre sexo já era o suficiente pra saber que eles queriam fazer comigo e eu deixava.


Com um tempo foram ficando mais ousados e já pediam pra eu tocar neles ou ficar de joelhos..sempre com os olhos vendados. Pouco tempo depois eu já estava mais soltinha e não precisava mais cobrir os olhos. Eu comecei a chamar os meninos pra brincar em horários diferentes da qual já estávamos acostumados a brincar pra evitar que outros guris interferisse em nossa brincadeirinha. 


Eu ficava no cantinho da parede esperando o mais corajoso ter a iniciativa de colocar a pica pra fora e me botar pra mamar, normalmente o mais velho fazia isso e os outros repetiam quando ele terminava. Seu nome era Gustavo e a pica dele era a que eu mais gostava de chupar, sempre teve um gostinho bom de quem tinha acabado de tomar banho. 


Mas ele era meio possessivo e logo me fez parar de brincar com os outros pra ficar só com ele. Ele me fazia inventar desculpas enquanto os meninos imploravam pra eu ir pro quintal com eles. Gustavo então me levava pra sua casa, ficávamos escondidos na garagem, os pais dele na sala nem desconfiava da putaria que a gente fazia em cima do carro da família. 


Um dia o Gustavo me comeu tão forte que sem querer eu dei um gritinho de dor e seu pai apareceu, rapidamente ele desligou a luz pra dar tempo de eu me esconder e com o pau na mão o Gustavo despachou seu pai. Meu cu trancou na hora, mas eu ainda tava com tesão e o Gustavo não me deixaria ir embora. Fiquei de 4 novamente e empinei bastante minha bunda pra ele comer gostoso minha xana. 


Viramos namoradinhos até ele me pegar dando minha buceta pro amigo dele, era um guri que costumava brincar com a gente de cobra-cega, ele insistiu tanto pra me comer a buceta pela última vez que eu acabei dando, era pra ter sido uma vez mas eu acabei fudendo com ele direto e em uma dessas o Gustavo me pegou rebolando na piroca do menino. 


Desde esse dia a gente parou de se falar e ele até parou de frequentar nossas brincadeiras, mas eu voltei pra rodinha e não demorou muito pra eu liberar meu cuzinho pra meterem e esporrar leitinho gostoso bem lá no fundo. 
sexo grupal hentai

By - Sheillaxv

Comentários