A garotinha do papai I Contos Eróticos

Eu já era bem crescidinha quando minha mãe começou a trabalhar fora. Eu estava prestes a completar meus 16 anos e passava a maior parte do meu tempo com meu pai. A gente assistia juntos e até tomava banho de piscina quando não tinha nada pra fazer. Eu tava bem mais próxima dele e amava a atenção única que recebia. 

Desde que ela começou a trabalhar durante o dia meus pais quase não se falavam pois o turno do meu pai é a noite. Eu tinha que fazer tudo no lugar da minha mãe; até comida eu fazia. Eu amava meu pai, eu só ficava muito brava quando ele bebia, seu vício aumentou bastante quando ela começou a trabalhar. Uma vez eu escutei ele contando pra um amigo dele que até a trepada estava sendo atrapalhada pelo novo serviço dela.


De vez em quando meu pai chegava muito bêbado em casa e eu tinha a responsabilidade de cuidar dele. Eu colocava ele pra ir tomar banho e logo depois ele cochilava. Certo dia depois de quase jogar uma panela na cabeça dele pra que fosse tomar banho ele foi direto pra cama, em seguida eu deitei ao lado dele porque tava muito cansada e o ar tava ligado. Acabei pegando no sono dormindo com meu pai.


Meio sonolenta senti algo me acariciando nas pernas, tava com muito sono e não aguentei abrir os olhos pra ver o que era. Fui sentindo as carícias cada vez mais fortes e próximas a minha buceta. Senti meu vestido sendo suspenso até minha cintura, mas confundi com o sonho e continuei dormindo. Minha calcinha foi posta de lado e alguém tava enfiando sua cara entre minhas pernas, o grelinho da minha buceta estava sendo chupado e eu acordei assustada. 


Meu coração gelou quando acordei e vi meu pai ali. Me debati e o mandei parar, mas não fui atendida. Ele era muito mais forte que eu, minha xana estava completamente em sua boca e quanto mais eu tentava tirar mais ele me sugava. Eu não sabia se ele estava consciente do que estava fazendo, eu pedia pra que parasse e ele pedia só mais um pouquinho.


Minha calcinha logo foi jogada longe e eu fiquei toda arreganhada com a buceta de fora. Meu pai ficou de joelhos e meteu a piroca dentro de mim mesmo eu implorando pra que me deixasse em paz. Com minha buceta ardendo com suas estocadas logo senti algo quente bem lá no fundo, meu pai tinha gozado dentro da sua própria filha e parecia não sentir remorso. 


Corri pro meu quarto e me tranquei, fiquei pensando no que aconteceu e mais tarde naquela noite quando ele foi pro trabalho eu finalmente pude tomar banho e tirar aquela sujeira de mim. No dia seguinte quando ele voltou do serviço minha mãe já não estava mais lá, ela tinha ido cedo pro trabalho, eu ainda dormia. 


Fui acordada por meu pai dentro do meu quarto. Ele me cutucou até que eu acordasse e eu levantei assustada. Ele sentado ao meu lado na cama chorava pedindo desculpas pelo que tinha feito no dia anterior. Ele dizia que estava há muito tempo sem sexo e me ver daquele jeito ao lado dele o deixou com um tesão incontrolável. Ele pedia desculpas e chorava de soluçar, então eu acariciei seu rosto e aceitei o perdão. 


Meu pai se deitou ao meu lado na cama enquanto eu ainda o fazia carinho, eu estava mais alta e de vez em quando meus peitos batiam em seu rosto. Meu pai olhava pra eles morrendo de vontade de colocá-los na boca, seu pau deixava sua calça uma verdadeira barraca. Ver como eu deixava meu pai acabou me excitando e os biquinhos do meu peito logo ficaram evidentes. 


Devagarinho ele foi aproximando da pontinha das minhas tetas e dava leves mordidas. Fechei meus olhos como um sinal verde de que podia, baixei um pouquinho minha blusa de dormir deixando exposto um dos meus seios. Deixei meu papai me mamar, ele estava doido pra fazer aquilo e não desperdiçou. 


Ele foi descendo me beijando e enquanto isso ia tirando uma peça de roupa minha, acabei sem nada quando ele chegou em minha buceta. Por uns instantes eu esqueci que ele era meu pai e acabei gozando em sua boca. 


Ele se deitou em cima de mim e com sua piroca extremamente dura foi enfiando dentro da minha buceta devagarinho. Completamente preenchida por ele eu comecei a rebolar em sua pica, queria dar a ele o mesmo prazer que ele tinha me proporcionado. 


Ele dizia que me amava e chupava meus peitos enquanto me comia. Meu pai segurou seu gozo até onde deu, mas logo acabou esporrando outra vez dentro da minha buceta. Completamente molhados de suor; fomos tomar um banho juntos. Deitamos na cama do seu quarto e dormimos, acordei com minha mãe chamando nós dois pra tomar café.
contos eroticos novinha inocente

By - Sheillaxv

Comentários