A filha do meu padrasto


Nunca contei pra ninguém da minha família que também gosto de pegar mulher, eles achariam que isso é loucura ou que é só putaria da minha parte. Mas sempre senti tesão também por mulheres, lembro de quando eu era mais nova e a filha do meu padrasto me flagrou vendo pornografia e tocando uma siririca. 



A gente nunca teve uma boa relação, mas como ela morava com a gente; tínhamos que manter a compostura, pelo menos na frente dos nossos pais. No dia que ela me flagrou com a mão na minha buceta me masturbando eu tinha acabado de acordar, achei que estivesse sozinha, pois minha mãe e meu padrasto saíam cedo para trabalhar e eu julguei Jessica: a filha do meu padrasto, também tinha saído cedo. 


Fazia uma semana que eu não me masturbava por causa da menstruação, eu tava louquinha pra me aliviar que nem percebi o barulho que Jessica fazia na cozinha. Então eu resolvi que iria gozar horrores antes de sair pro colégio. Eu estava no meio do pornozão quase gozando quando Jessica abriu de vez a porta do meu quarto. 


Foi tudo tão rápido que eu não tive condições nem de tirar minha mão de dentro da calcinha. Ela ficou lá me olhando achando tudo esquisito enquanto eu toda envergonhada tentava balbuciar algumas palavras, mas sem sucesso. Ela fechou a porta e saiu toda encabulada, o resto do dia foi desse jeito: meu cu trancado com medo dela falar algo e ela envergonhada por ter visto aquilo. 


O meu maior medo era ela falar algo sobre o pornô que eu assistia que era lésbico e eu ainda não tinha me assumido pros meus pais. No final do dia eu tentei conversar com ela e pedir pra ficar quieta e pela minha surpresa a conversa até que foi boa, ela ficava me perguntando toda hora porque eu tava assistindo pornô gay e quando eu não aguentei mais eu soltei que eu era bi e adorava uma buceta. 


Ela ficou surpresa com meu comentário me chamando de grossa, mas até que depois disso a gente ficou mais próxima, assistíamos até filminho antes de dormir depois desse episódio.  Eu acho que ela não gostava muito de mim porque ela acreditava que seu namorado dava muita moral pra mim e ficava com ciúmes disso. Então quando ela descobriu que eu sou bi acabou achando que sou lésbica. 


Mas eu não ligava muito pro que ela achava, só não queria que minha mãe soubesse ainda. No finalzinho da noite quando Jessica vinha pro meu quarto com seu pijama curtinho e se deitava ao meu lado pra gente assistir filme eu ficava com um pouquinho de tesão, sei que parece errado, mas ela sempre colocava suas pernas em cima da minha e fazia carinho no meu cabelo...aquilo me deixava muito excitada. 


Não sei como aconteceu o primeiro beijo, quando me lembro da gente eu só me recordo de do nada tentar beijar a sua boca e ela corresponder. Parecia que ela queria aquilo há mais tempo que eu. Quando demos o primeiro beijo até ignoramos o filme e foi aí que pela primeira vez eu realizei meu desejo de tirar a sua blusa e beijar seus peitos. 


Ela tinha um gosto maravilhoso e eu nem tinha chegado a sua buceta ainda. Nossos pais dormiam no quarto no final do corredor, enquanto nós estávamos na sala completamente peladas e com Jessica de pernas abertas com minha língua enfiada na sua buceta. 


Ela gemia muito alto e eu implorava pra ela diminuir o volume, mas parecia que quanto mais eu pedia pra ela fazer menos barulho mais excitada ela ficava e gritava mais ainda. Eu enfiava meus dedos na sua buceta enquanto chupava seu grelinho e sentia meus dedos saindo da sua xota, completamente molhado com seu melzinho eu lambia tudo sem deixar uma gota pra fora. 


Minha maninha rapidinho gozou na minha boca e me fez ir pro seu lugar pra retribuir me chupando também, era estranho porque nas minhas relações eu sempre era a ativa, mas realizei o desejo dela e logo estava toda aberta pra minha maninha. 


Ela chupava gostoso pra caralho, meu grelo bem carnudo logo preenchia toda sua boca e ela chupava como se tivesse há muito tempo chupando bucetas.  Gozei na boca dela dando um gemido alto que quase acordou todos na casa. Depois dessa foda ela acabou terminando com seu namorado e aí a gente passou a transar sem peso na consciência quase todos os dias, ela era o meu pornô real.


porno gay


By - Sheillaxv

Comentários