Sem dinheiro pro gás, paguei com boquete! I Contos Eróticos

Fazia um tempo que eu estava passado por dificuldades financeiras. Eu tinha perdido o emprego e morava de aluguel, não queria voltar pra casa dos meus pais e admitir que fiz merda, então tive que apelar pros meus dotes no oral. 


Aqui perto de casa mora um carinha que é entregador de gás. Ele vive dando em cima de mim, mas eu sempre dispensei por ele não fazer muito meu tipo. Não gosto muito de caras muito marombas e ele é assim, pensei em pedir a ele pra pagar depois, porém eu não sabia se teria o dinheiro depois. Fiquei aflita e acabei ligando sem pensar. 


Quando ele chegou logo veio me cumprimentar com um beijo no rosto. Ele estava suado e sujo de graxa, provavelmente porque a corrente caiu no meio do caminho. Ele parou a moto na calçada da minha casa e eu pedi pra ele entrar. Ele me perguntou se eu queria o serviço completo e eu respondi que sim. Depois de instalar eu avisei que pagaria depois sem falta porque estava sem no momento. 


Por uns segundos ele me olhou e disse que não podia fazer isso e que teria que levar de volta. Eu quase implorei de joelhos pra ele não fazer isso, eu não podia ficar sem gás. Eu disse que faria de tudo pra ele não levar e com um sorriso no rosto aquele safado disse que deixaria o botijão como uma espécie de favor, mas que eu teria que recompensar. 


Eu sabia do que ele estava falando e fiquei de joelhos em sua frente. Fiquei na altura do seu pau, ele lentamente ia se aproximando de mim ainda sem tirar sua piroca da sua calça de trabalho. Ele queria mostrar como eu o deixava. Eu virava o rosto por causa da vergonha, mas ele me fazia encarar de novo. 


Ele fazia movimento como se estivesse me fudendo a boca só pra eu sentir a dureza do seu pau no meu rosto. Sem ter muito o que fazer eu aceitava feito uma cadela obediente. Tinha um cheiro forte, cheiro de homem que passa o dia inteiro no trabalho pesado. Não demorou  muito pra ele tirar sua piroca da calça e me fazer chupar. 


A casa era pequena e estávamos num cômodo que se eu falasse muito alto a vizinha escutava, morri de medo dela estar ouvindo os gemidos dele porque ela sabia que ele tava lá só pra entregar o gás. Eu não queria ser vista como a puta da rua e pedi pra ele gemer mais baixo. Fui surpreendida com um tapa no rosto nesse momento. 


Suas bolas batiam no meu queixo e o cheiro forte da sua pica quase me fazia vomitar. O entregador de gás então pegou seu celular e começou a tirar fotos e gravar. Pensei em tirar minha boca do seu pau e acabar com tudo aquilo, mas ele dizia que se eu parasse sem fazer ele gozar na minha boca ele iria soltar o vídeo pra todo mundo. 


Fui obrigada a continuar e fazer o serviço direito. Ele continuava dando tapas no meu rosto e um dos tapas foi tão forte que eu acabei fazendo xixi no chão. Não saiu muito, mas foi o suficiente pra ele ver e começar a perguntar se eu tava ficando molhadinha de tesão. O jeito que ele ria de mim me dava vontade de matá-lo, mas eu tinha que fazer ele gozar pra pagar meu gás. 


Continuei a chupar sua piroca e a masturbá-lo, pedi pra ele me avisar quando tivesse prestes a gozar pois eu não queria engolir sua porra, mas ele não avisou, esporrou dentro da minha garganta quase me fazendo colocar tudo pra fora. Então ele me levantou e colocou um dos meus seios pra fora e deu uma chupadinha. Ele disse que agora eu podia pedir gás de graça sempre se o pagamento fosse aquele.


Bom...um tempo depois o gás acabou novamente e outra vez eu não tinha dinheiro pra pagar, na verdade eu até tinha um pouco guardado, mas era pra usar em outra coisa, então eu não tinha outra saída além de proporcionar ao entregador de gás mais um pagamento com oral, mas o preço tinha aumentado e além do oral eu tive que liberar a xota também.

By - Sheillaxv

Comentários