Os amigos tarados do meu filho

Me chamo Márcia, tenho 35 anos. Fui mãe muito jovem. Me separei do meu marido bem cedo e ficamos só eu e o Ricardo. 



Tentei de todas as maneiras ser a mais parceira possível do meu filho. Tinha coisas que eu fazia por ele que nenhuma outra mãe faria. Seus amiguinhos sempre passaram bastante tempo na minha casa por eu ser uma mãe muito liberal. 


Aos 18 anos o meu filho tinha uns amigos que me achavam muito gostosa e eu de fato era. Como tive o Ricardo muito cedo o meu corpo estava ainda tudo em cima em relação as outras mães da idade. 


Meu filho morria de ciúmes quando algum amigo dizia esse tipo de coisa, mas eu nem ligava...na verdade até achava engraçado. 


De vez em quando Ricardo arrumava uns amigos mais safados que não escondiam o olhar de que tava querendo me devorar. Era super errado, mas eu até ficava com tesão com isso. 


Na sua festa de aniversário de 19 anos eu planejei um festão na minha casa para comemorar, todos os seus amigos vieram. Bebemos horrores e eu acabei me descontrolando. 


Perdi o senso de responsabilidade e acabei dando moral pra uns garotos da idade do meu filho. 5 dos melhores amigos do Ricardo estavam ao meu redor tentando tirar uma casquinha de mim e eu deixava. 


2 mais ousados tentava alcançar minha buceta por baixo da saia enquanto eu dançava. Meu filho a essa altura estava embriagado dormindo em algum lugar. 


Os poucos que estavam ao redor também não viram nada por causa da cachaça e por estar escuro. Fazia tanto tempo que eu não trepava que até cogitei de fato a possibilidade de dar pra todos eles. 


Acho que o fato de eu ficar quieta enquanto uns passavam a mão acabou encorajando os outros que também se sentiram na liberdade de me tocar. Quando um deles me deu uma encoxada pra me beijar eu tentei resistir mas cedi. 


Naquele momento era a cachaça falando por mim. Enquanto eu beijava um o outro suspendia minha saia até a cintura deixando minha bunda toda exposta. Começaram a bater e a puxar minha calcinha. 


Atolaram minha calcinha no meu rego e eu tentei sair, mas sem sucesso. Quando parei de beijar o primeiro o segundo já veio de forma violenta colocando as mãos no meu peito e enfiando sua língua na minha boca.


Me fizeram sentar e abrir as pernas. Sem muita dificuldade encontraram o caminho da minha bucetinha e enquanto eu beijava um o outro me chupava na buceta. 


A sensação de culpa vinha toda hora, mas eu não conseguia parar. Eles tinham entre 18 e 19 anos e eu tava deixando que eles me usassem daquele jeito, era errado e muito gostoso. 


Morria de medo do meu filho aparecer então toda hora eu tirava sua cabeça de dentro das minha pernas. Ele forçava  a entrada de novo e mordia meu grelinho pra eu aprender. 


Logo eu já batia punheta em duas pirocas enquanto os outros 3 se revezavam entre minha boca, buceta e peitos. 


Fizeram uma roda a minha volta e me fazendo ficar de joelhos colocaram suas pirocas pra fora me colocando pra chupar. Levei um banho de porra porque todos eles gozaram na mesma hora em cima de mim. 


Achei que tivesse acabado, mas o mais novinho era o mais insaciável. Ele me levou pros fundos de casa até a área de serviço, colocando minha perna em cima da máquina de lavar ele enfiou sua pica toda dentro da minha buceta, ele me fodia como se eu fosse uma cadela. 


Minha buceta pingava de tesão. A essa altura eu não fazia mais ideia de onde estava minha roupa. Estava completamente nua. 


Ele me comeu em todas as posições possíveis até gozar dentro de mim e me encharcar de porra. 


Acabei dormindo no sofá com uma roupa completamente diferente da que eu estava e quando meu filho acordou foi me perguntar porque minha calcinha estava na mesa de sinuca.

contos eróticos


By - Sheillaxv

Comentários