Meu pai dormiu e os amigos dele me comeram I Contos Eróticos

Meu pai era motorista de ônibus, ele viajava 3 vezes por semana por causa do serviços. Normalmente ele viajava com um de seus amigos que era cobrador. Eles formavam um grupo bem unido que sempre marcavam festinhas na minha casa. 


Era um total de 5 homens contando com o meu  pai que viajavam quase o Brasil inteiro. De vez em quando eu via histórias de mulheres que eles arrumavam na rua, sempre fiquei brava pois achava que meu pai estava nesse meio, mas nunca contei pra minha mãe. 


Seus amigos sempre me trataram de uma forma muito carinhosa desde criança. Quando tinha festas na minha casa eu ficava passando de colo em colo até pegar no sono. Eu achava mega divertido a atenção  em especial que recebia deles. 


No aniversário da minha mãe de 46 anos, eu já devia ter uns 14. Fazia um certo tempo que não via os amigos do meu pai. Eu tinha crescido bastante desde aquela época e tinha pegado gostos de adolescente de querer sempre estar com roupas curtas e provocantes. 


Os amigos do meu pai logo perceberam o quanto eu tinha crescido principalmente o Roberto. Eu costumava chamar ele de tio quando era mais nova e foi o primeiro que eu dei um abraço. Ele ficou  tão  espantado quando me viu que não conseguiu esconder. 


Os outros até agiram de forma normal, mas o tio Roberto ficou me olhando até mais da metade da festa. Ele me olhava com uma cara de quem queria me comer, mas disfarçava quando meu pai estava por perto. No decorrer da festa eu vi ele chamando uns 3 do grupinho pra conversar no canto e do nada todos eles olharam pra mim. 


Até empinei mais a bunda quando percebi os olhares. Era quase 3 horas da manhã, os convidados que já não tinham ido embora ainda estavam bêbados jogados num canto; principalmente meus pais. Eu estava na cozinha bebendo água quando o tio Roberto apareceu. 


Me deu um abraço forte e disse que eu tinha mudado bastante, ele disse que eu estava muito linda e perguntou se eu já estava namorando ou se meu pai ainda era careta. Dei risada e acabei não respondendo nada. Ele se sentou na cadeira e me pediu pra sentar em seu colo pra matar a saudade. 


O tio Roberto me perguntava se eu lembrava de quando eu era mais nova e ele me colocava em seu colo pra brincar, ele dizia que eu gostava de brincar de cavalinho, mas que agora eu estava muito grande pra isso. Eu concordei com ele e coloquei minha cabeça em seu ombro. 


Poucos segundos depois ele começou a mexer sua cintura me fazendo pular em seu colo, ele dizia que não faria mal brincar só um pouquinho, eu não respondi nada, mas comecei a sentir na minha bunda algo começar a ficar duro, eu sabia que ele tava com tesão, mas fingi não entender nada. 


Eu sentia medo por ser ele. Calada eu tentava não fazer contato visual. Na minha bunda o seu pau só crescia. Tio Roberto começou a acariciar minha perna, as vezes ele chegava a tocar na minha buceta por cima do short. Meu pai aquela altura estava dormindo com minha mãe em algum lugar da casa. 


Tio Roberto conversava besteira comigo quando baixou minha blusa e agarrou meus peitos com sua boca. Ele chupou até deixá-los vermelhos. Eu tava começando a gostar daquilo quando escutamos um barulho vindo até nossa direção. Eu tentei tirar meu peito da boca do tio, mas ele sugava tão forte que eu não consegui. 


Parados na porta da cozinha estavam os meus outros tios. Eles chegaram perguntando porque a gente não esperou eles chegarem e foram se aproximando. Eu ainda estava sentada no colo do tio Roberto quando os outros tiraram o pau pra fora. Fizeram uma roda em minha volta me fazendo chupar todos eles. 


A cozinha só cheirava a piroca. Eu morria de medo do meu pai acordar. Fiquei na duvida do que fazer e abri minha boca pra receber piroca de todos eles. Eles tiraram minha roupa e me fizeram deitar no chão com as pernas abertas. 


Eu segurava duas pirocas uma em cada mão enquanto tinha um chupando minha buceta. Meu grelo estava bem duro de tesão e medo. O outro tentava forçar seu pau dentro da minha boca me fazendo engolir até o talo. 


Pouco tempo depois resolveram comer minha bucetinha. Eu implorei pra não fazerem isso, mas não deram ouvidos. Me posicionaram pra chupar um e levar piroca de outro na buceta. Eles ficaram se revezando assim enquanto os outros assistiam tocando uma punheta. 


Pouco tempo depois gozaram em cima de mim. Fiquei com porra até no cabelo. Eu estava muito cansada pra voltar pro meu quarto então o tio Roberto me levou até minha cama. Mas antes de sair ele ainda chupou minha bucetinha gozada até eu dormir. 


hentai grupal

By - Sheillaxv

Comentários