Enrabada pelo porteiro da minha escola I Contos Eróticos

Nunca fui muito pontual. Na época de escola no primeiro ano do ensino médio eu sempre chegava atrasada e o porteiro me deixava entrar porque conhecia meus pais. Eu tinha uma vida boa até que eles mudaram o funcionário e ele não me deixava entrar por nada nesse mundo.


Seu nome era Mário, era quase um coroa, devia ter seus 50 e poucos anos. Ele passou a vida inteira sendo porteiro, trocaram o antigo porque ele tinha aposentado. O novato era um pé no saco, ninguém gostava dele exceto umas meninas que ele vivia dando em cima. Logo os boatos se espalharam e quando ele não me deixava entrar eu soltava uma indireta na frente de todo mundo.


Pela petulância ele me deixava do lado de fora da escola por uns minutos e só me deixava entrar depois que o diretor autorizava. Em um dia de prova eu cheguei super atrasada por tinha ido ao médico, não peguei atestado e bati no portão igual uma louca. Não tinha diretor no dia, tava só o safado do Mário que me fez entrar pelos fundos da escola.


Eu tava já dentro quando ele me puxou pelo braço e falou que eu não deveria ter entrado depois do horário e sem uma justificativa, fiquei calada ouvindo ele dizer que eu só entrei porque eu iria pagar o favor depois. Fiquei encabulada com aquilo e fui fazer minha prova. Na saída enquanto eu esperava meus amigos sozinha no pátio; o porteiro se aproximou de mim e começou a puxar papo.


Ele perguntou se eu já sabia como pagaria a ele pelo favor, eu o avisei que não tinha dinheiro, a essa altura meu coração já estava a mil. Fiquei com medo dele me roubar ou sei lá o que, mas nunca passou pela minha cabeça que o que ele queria de verdade era a minha bucetinha, logo ele que passava o dia inteiro implicando comigo.


O resto da semana foi na base de indiretas, quando eu passava por perto ele ficava me encarando e olhando pro meu corpo inteiro. Parei de chegar atrasada por um tempo, mas não durou muito. Me atrasei outra vez ele me fez novamente dar a volta na escola e entrar pela porta do fundo. Mas dessa vez eu não fui pra sala de aula, fui escoltada por ele até um banheiro em construção.


Lá dentro ele me escorou na parede e me avisou que era a hora do pagamento e que a dívida seria em dobro por causa dos juros. Seu Mário enfiou sua língua dentro da minha boca, eu não tive reação só fiquei parada. Ele se sentou numa cadeira e me colocou sentada em seu colo de frente pra ele. Ele me beijava e me apertava contra ele.


O safado queria sentir minha bucetinha em cima do seu pau, mas como eu usava calça ele só roçava. Não sei porque deixei ele passar a mão em mim, na verdade quando tive coragem pra dizer alguma coisa eu já estava sem minha blusa e sutiã. Pronto pra mamar nas minhas tetas ele nem ligou pro que eu falei, não adiantou nada ter pedido pra parar.


Ele mordia o bico dos meus peitos e tirava fotos minhas sem blusa. Ele me tirou do seu colo e me colocou em pé na sua frente, pediu pra eu tirar minha calça enquanto ele gravava a cena. Seu Mário me fez ajoelhar entre suas pernas e tirar seu pau de dentro da calça. Sem parar de gravar nem por um segundo ele me fez abocanhar seu pau.


O desgraçado gozou dentro da minha boca sem avisar nada, me deixou toda suja, mas o seu pau ainda não tinha ficado mole. Ele tava louco pra me comer desde aquele primeiro dia. Me fazendo ficar de 4 ele ficou atrás de mim ajeitando seu pau na entrada da minha xota. Empurrou tudo de uma vez e sem lubrificação eu quase chorei de dor. Seu Mário tapou minha boca pra eu não gritar.


Ele ficava dizendo que era pra eu ficar quieta que daqui a pouco iria começar a ficar gostoso, mas eu só queria que acabasse. Quando ele começou a tocar no meu grelinho enquanto me fudia a minha buceta ficou molhada, mas eu ainda tinha nojo dele e tentei esconder meu tesão. Mas eu tava babando pela xota e não demorou muito pra ele sentir o melado em seu pau.


Me chamando de vadia ele me virou de frente e aumentou o ritmo das estocadas dentro de mim. Não aguentou muito depois de me ver excitada e esporrou tudo no fundo da minha buceta. Ele me fez vestir minha calcinha sem limpar seu leite, assisti aula daquele jeito toda meladinha, na saída ele foi conferir se eu ainda tinha seu leite guardado dentro de mim.
contos eroticos novinha inocente
By - Sheillaxv

Comentários