Encontrei minha irmã bêbada dormindo e comi seu cuzinho I Contos Eróticos

Gisa é a minha meia irmã mais nova. Faz pouco tempo que ela começou a morar na minha casa, quando a conheci eu já tinha 20 anos e ela 15. Aos 17 ela veio morar em nossa casa porque a mãe não aguentava mais sua rebeldia. 


A menina passava às vezes dias fora de casa dormindo com as amigas então a mãe dela mandou ela morar aqui, pro meu pai dar um jeito. Nada mudou, ela continuava saindo aqui pra colar nas festas, mas nosso pai não ligava muito. Quem costumava reclamar direto era eu. 


Odiava o jeito inconsequente dela e prometia sempre dar uns tapas se ela chegasse bêbada. Certo dia eu não aguentei mais e assim que ela chegou em casa capotou na cama de tão bêbada que estava. A menina não acordava por nada, fiz de tudo, até ameacei. Sacudi ela demais e a saia dela levantou, quando fui consertar ela tava sem calcinha e toda melada. 


A putinha passou o rolê inteiro dando a buceta chega tava vermelhinha. Dei uma leve cutucada na sua buceta pra ela não acordar. Mas ela estava tão bêbada que se eu enfiasse meu braço em sua buceta ela não iria perceber, eu logo pensei que agora faria ela me pagar toda a raiva que ela me fez passar esses dias todos aqui em casa. 


Ignorei completamente o fato dela ser minha irmã e abri suas pernas o máximo que dava, enfiei meu dedo bem no fundo da sua xota e ela tava bem molhada. Com certeza ainda tinha porra dos machos que ela deu na festa. Virei ela de barriga pra baixo pra ter certeza que não iria acordar e preparei seu cuzinho pra receber minha piroca. 


Usei a lubrificação da sua buceta pra entrar com mais facilidade no seu cuzinho. Melei a cabeça do meu pau e passei um pouco no seu cu usando os dedos. Quando meti meu dedo de vez em seu cu ela deu uma leve mexida, como se tivesse pra acordar, tirei meu dedo no susto, mas ela voltou a dormir e eu pude continuar com a minha vingança. 


Coloquei a cabeça do meu pau na entrada do seu cuzinho e meti de vez sem dó. Ainda dormindo ela gemia, acho que ela tava sonhando que tava na festa ainda, pois me chamava por outro nome e pedia pra eu fuder mais forte. Toquei no seu grelo enquanto comia seu cu e ele estava durinho, quando toquei ela gemeu mais alto então continuei massageando. 


Aquela vadia tava prestes a gozar na minha mão enquanto levava piroca no cu. Aquilo me deixou com mais tesão ainda, eu mal conseguia segurar minha porra que estava prestes a sair. Quando não aguentei mais eu tirei do seu cu e voltei a massagear seu grelo, eu ainda queria comer sua buceta, não podia gozar naquela hora.


Me segurei e quando a vontade passou eu enfiei na sua xota. Meu pau escorregava tanto dentro dela, parecia que eu tinha derramado óleo em sua buceta. Pela segunda vez ela gozou e foi em cima do meu pau, eu não aguentei ver aquilo e gozei logo em seguida. Não limpei minha porra, deixei escorrendo na sua buceta pra ela ver no dia seguinte a vadia que ela era. 


Com a cara mais sínica do mundo ela acordou no outro dia sem tocar no assunto, mas no fundo ela sabia o que tinha acontecido, ela me perguntou se ela tinha chegado muito bêbada e dado trabalho, mas eu respondi que não. 


Avisei que ela tinha chegado tão quietinha quanto um anjo, mais tarde perguntei a ela se ela tinha sentido algo depois que chegou e dormiu, ela só disse que sentiu uma cutucadas as costas, depois disso eu tive certeza da putinha que minha irmã era. 

contos eroticos
By - Sheillaxv

Comentários